Review Maze Alpha em português. O gigantão chinês

Por | 7 de abril de 2018 às 10h26

Inspirado no Xiaomi Mi Mix, o Maze Alpha tem poucas bordas nas laterais e parte superior. Porém na parte de baixo tem o leitor de impressões digitais e sua câmera. Ele é enorme, mas tem boas características. Acompanhem no nosso review abaixo.

Construção e hardware

Resumindo suas especificações, ele possui um processador Mediatek Helio P25, tela de 6 polegadas full HD com Gorilla Glass 4, 4GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno. O sistema é o Android 4.0, em uma versão quase pura.

Quanto ao design, ele tem um visual bem premium, onde o aro é de metal e a traseira de vidro. Vale lembrar que possui conector de fone de ouvido na parte de cima e USB 3.0 Tipo C na parte de baixo.

Usar o Maze Alpha com apenas uma mão é algo razoavelmente desconfortável. Além de grandalhão, ele tem uma borda inferior enorme, muito maior do que vemos na linha Mi Mix da Xiaomi. A empresa tentou remover ao máximo a borda superior do aparelho, mas deixou a de baixo exagerada.

Abaixo da tela temos um botão home capacitivo com leitor biométrico incorporado. E assim como no Mi Mix, o Alpha também traz tela no canto inferior direito. Na traseira temos duas câmeras no topo, além de um flash simples de LED. Na parte inferior há apenas o nome da empresa.

O design é bastante simples, mas de boa qualidade. No entanto, o Maze Alpha escorrega com facilidade e não vem com capinha de proteção. Nas laterais temos os botões de energia e volume (direita) e gaveta híbrida de cartão SIM e microSD (esquerda). Na parte superior temos a entrada P2, enquanto na parte inferior há o microfone de chamadas, porta USB-C e alto-falante.

O leitor biométrico do aparelho funciona até bem, mas não é muito rápido. Nesta faixa de preço realmente é complicado encontrar biometria eficiente, mas pelo menos o leitor do Maze Alpha raramente falha.

Review Maze Alpha -Tela

O Maze Alpha vem com tela gigante de 6 polegadas com painel IPS LCD Full HD (1920 x 1080 pixels). A qualidade é boa pelo preço cobrado, entregando ângulo de visão decente. No entanto, o que mais chama a atenção aqui é o brilho que passa dos 1.000 lux (medição feita com luxímetro). Normalmente só vemos este nível de brilho em aparelhos topo de linha.

A empresa oferece a tecnologia MiraVision, que permite alterar a saturação das cores da tela a gosto do usuário. Temos três perfis para escolher: padrão, vívido e modo usuário. Os dois primeiros permitem escolher entre cores mais precisas ou exageradas na tela do aparelho. O destaque aqui vai para o último modo.

O software permite alterar o contraste, saturação, brilho, nitidez, temperatura e até o contraste dinâmico. Também há a opção de filtro de luz azul para reduzir a fadiga visual ao usar o smartphone no escuro.

Software

Eis um bom ponto positivo. O Maze Alpha possui um versão do Android que praticamente é um Android puro. Há algumas funções especificas dele que, infelizmente, não foram traduzidas para o português. Mas no geral, o sistema é bem polido e o smartphone é bem rápido.

Camera

Como sempre nestes smartphones, para ter mais RAM e espaço interno, acabam por cortar um pouco na camera, nada de extraordinário a reportar. Comportamento aceitável para se tirar umas fotos casuais.

 

O Alpha conta com dois sensores na traseira, sendo um de 13 megapixels e outro de 5 megapixels. Porém, o secundário serve apenas para auxiliar o primeiro no foco automático, funcionando mais como um sensor de luz do que uma câmera.

Mesmo que o aparelho ofereça o recurso bokeh (para borrar o fundo das imagens em modo retrato), o que ele faz é algo similar ao que temos no Instagram, borrando apenas as bordas da foto. É possível selecionar o nível de intensidade, mas o resultado final está longe do que encontramos em smartphones que realmente desfocam o fundo dos cenários.

Apesar de vir com sensor ISOCELL da Samsung, a câmera do Maze Alpha deixa muito a desejar. A representação de cores é ruim, saindo fotos saturadas em ambientes ensolarados e imagens com baixa saturação em momentos registrados com pouca luz. O modo HDR também não faz um bom trabalho diante da limitada faixa dinâmica que a câmera é capaz de alcançar.

Fotos contra o sol saem bastante escuras, diante do problema de exposição prolongada. Em cenários noturnos, a câmera do Maze Alpha também deixa a desejar. Temos fotos muito granuladas, onde objetos distantes não passam de apenas mancha.

Conclusão

Estamos a olhar para um smartphone indicado para quem quer um smartphone com tela grande, desempenho aceitável e não se preocupa muito com a qualidade da camera fotográfica.

R$ 770
7.3

Preço

9.0/10

Hardware e desempenho

7.0/10

Tela

8.0/10

Funcionalidades

7.0/10

Bateria

7.0/10

Câmeras

6.0/10
CategoriasReviewsTags,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *