Real Time Analytics
Apple

iPhone X: Sem bordas e sem leitor de impressões digitais

Finalmente o tão aguardado iPhone X foi anunciado pela Apple. Infelizmente não teve nada de novo, além do que todos ja sabiam nos vazamentos. O iPhone X (pronunciado iPhone 10), traz uma tela praticamente sem bordas e o novo Face ID, um conjunto de tecnologias para reconhecimento facial, já que ele não tem o Touch ID, leitor de impressões digitais das outras versões.

O iPhone X tem vidro na parte frontal e traseira e aço inoxidável de “grade cirúrgica” ao redor dos lados, diferente do alumínio espacial do iPhone 8. É resistente a água e vem em duas cores: Cinza espacial (um quase preto) e prata.

iphone x frente

A nova tela foi batizada de “Super Retina” e a tecnologia empregada é o OLED. Ela possui a maior densidade de pixels em uma tela de iPhone; 458ppi. Ela possui 5,8 polegadas de tamanho diagonal e tem uma resolução de 2436 x 1125 pixels. É a primeira tela OLED em um iPhone, que Phil Schiller explica sem rodeios: é “a primeira tela OLED ótima o suficiente para estar em um iPhone”. Ou seja, mais uma vez a Apple tripudia dos concorrentes tornando seu iPhone como algo único, mesmo sendo algo que há anos outros fabricantes usam.

O ponto mais controverso do iPhone X é que a Apple retirou o botão inicial pela primeira vez na história, substituindo-o por um gesto de deslizar para cima da parte inferior do telefone, algo que muitos smartphones chineses já fazem, ou mesmo o Pixel Launcher do Google. Sem Touch ID, lá se foi o leitor de impressões digitais do iPhone.

iphone 8 face ID

Para substituir, o novo método é chamado Face ID e faz o que o nome sugere: ele desbloqueia o telefone apenas fazendo você olhar para ele. Ele combina um sistema de sensores com a câmera frontal e um iluminador que emite uma luz infravermelha que ilumina o rosto, por se tratar de infravermelho nada é visto pelo olho humano. A Apple chegou mesmo ao passo extra de construir um mecanismo neural dedicado – baseado em um design de chip personalizado dual-core – para processar o reconhecimento de rosto em tempo real. Sem dúvidas que algo bem mais complexo do que encontrado no Galaxy S8 e Note 8.

A empresa reivindica uma chance de 1 em 1.000.000 de uma outra pessoa ter o mesmo formato do rosto. Com excessão de gemêos, que dai não vai ter jeito. O reconhecimento será compatível com bancos e outros aplicativos que exijam segurança, antes feita pelo Touch ID.

O iPhone X possui duas câmeras traseiras de 12 megapixels e está equipado com uma estabilização de imagem óptica dupla. Os sensores são maiores e mais rápidos, de acordo com a Apple, e a câmera principal possui uma abertura f / 1.8 enquanto a lente telefoto possui uma abertura f / 2.4. Entre as duas câmeras está um flash quad-LED com suposta duas vezes melhor uniformidade de luz. O novo telefone também possui alto-falantes estéreos.

iphone x cameras

O processador A11 que foi introduzido no iPhone 8 no início do evento está, obviamente, presente no iPhone X. Ele possui dois núcleos de desempenho, quatro núcleos de alta eficiência e a primeira GPU projetada pela Apple. A Apple já anunciou uma plataforma de carregamento sem fio para unificar o carregamento sem fio de todos os seus dispositivos móveis e chama o sistema geral AirPower. A almofada de carga AirPower estará disponível no próximo ano.

O iPhone X suporta LTE Advanced e o padrão Bluetooth 5.0. Ainda não há aparelhos ou acessórios reais que você possa usar com um telefone Bluetooth 5, mas quanto mais telefones existem, mais ímpeto haverá para periféricos compatíveis.

O iPhone X tem um preço de US $ 999 com 64 GB de armazenamento e existe uma opção atualizada com 256 GB de armazenamento. A Apple abre pré vendas de compra no dia 27 de outubro, o envio começara em 3 de novembro.

Leiam também:  Android ainda come poeira do iOS quando o assunto é jogos
Apple, Samsung, Xiaomi

Apple passa Samsung e vende mais smartphones no Mundo

Saiu a pesquisa do IDC que divulga os números de vendas das fabricantes de smartphones ao redor do mundo e suas respectivas…

Saiu a pesquisa do IDC que divulga os números de vendas das fabricantes de smartphones ao redor do mundo e suas respectivas fatias de mercado no último semestre de 2017. A Apple passou a Samsung e agora é a marca que mais vende smartphones no mundo. Xiaomi continua crescendo. Vejam abaixo os detalhes.

Como normalmente acontece, no semestre do lançamento de um iPhone a Apple acaba ultrapassando os concorrentes, como foi o caso do iPhone X. Segundo Tim Cook, é o smartphone mais vendido da marca desde o seu lançamento. Porém, a taxa de crescimento da Apple foi abaixo do que os investidores esperavam. Vejam abaixo a lista completa.

smartphones mais vendidos 2017 apple passa samsung

Notem que a briga está acirrada. A Apple teve 19,2% do Market Share contra 18,4%, uma diferença em números de cerca de 800 mil smartphones vendidos apenas. A Huawei segue em terceiro com 10,2% e a Xiaomi em querto com 7%.

Mas o que achei mais impressionante é o fato que todas as marcas tiveram queda de vendas se comparado com o mesmo período de 2016, com excessão da Xiaomi. Enquanto todos caíra, a Xiaomi praticamente duplicou as vendas, uma porcentacem de 96,9% de aumento nas vendas em 1 ano. Ela nem figurava essa lista em 2016.

Outro detalhe a se levar em consideração, e que dá todo o mérito a Apple, é que a empresa americana vende apenas 7 modelos diferentes de aparelhos e com custo acima da média. Se levarmos em conta a Samsung, que vende incontáveis modelos sendo a grande maioria baratos com pequena margem de lucro, podemos ter ideia dos lucros da Apple. Isso mesmo, em lucro a Apple lucro muito mais que as outras empresas porque vende aparelhos com margem enormes.

Leiam também:  iPad 2 vs iPad original: tabela comparativa

Fonte: IDC

materia completa
Apple, Noticias

Há 40% de chances da Apple comprar o Netflix e 30% a Disney

Existe uma probabilidade de 40% de que a Apple adquira a Netflix graças a reforma fiscal promovida pelo presidente Donald…

Existe uma probabilidade de 40% de que a Apple adquira a Netflix graças a reforma fiscal promovida pelo presidente Donald Trump foi aprovada. Quem afirmar são os analistas do Citi Jim Suva e Asiya Merchant.

O corte nos impostos, juntamente com o novo subsídio oferecido para que as empresas repatriem seu dinheiro aplicado fora dos EUA sem ter que pagar tributos altissímos, dará à Apple um montante de dinheiro nunca visto antes dentro dos EUA. Segundo a Bloomberg, a companhia tem cerca de 252 bilhões de dólares aplicados, mas boa parte dessa quantia está em territórios fora dos EUA e, até o momento, era impossível trazer esse dinheiro de volta para o país devido aos impostos aplicados. O montante, segundo os analistas, cresce 50 bilhões de dólares ao ano.

Para entender essa quantidade de dinheiro, basta saber que a Apple precisaria apenas de um terço desse dinheiro para comprar o Netflix.

“Historicamente, a Apple evitou repatriar dinheiro para os EUA para evitar a elevada tributação desses valores. Por isso, a reforma tributária pode permitir que a empresa coloque o dinheiro em uso”, dizem os analistas, no relatório.

Segundo Citi, a Apple mantém mais de 90% de seu dinheiro fora dos EUA, então a empresa poderia se beneficiar se fizesse uma repatriação única. “Com uma taxa de 10% sobre o dinheiro, a empresa teria 220 mil milhões de dólares para aplicar em aquisições”. Ai que entra o Netflix ou mesmo a Disney.

A Apple tinha de 20 à 30% de chance de adquirir a Disney, porém isso foi antes da aquisição pela Disney dos ativos de estúdio e TV da Fox. Ou seja, isso provavelmente não ocorrerá.

A Apple tem lutado há anos para oferecer uma oferta atraente para a TV. O iTunes tem sido um grande sucesso para a empresa, mas os telespectadores migraram cada vez mais para serviços como Netflix, Amazon ou Hulu para assistir seus programas e filmes favoritos. Comprar o Netflix seria algo importante para consolidar a empresa nesse ramo.

Leiam também:  Apple pode finalmente usar metal liquido no iPhone 6

Via Business Insider

materia completa
Apple, Featured

Confirmado: Apple deixa iPhone antigos mais lentos de propósito

Se você tinha a impressão de que seu iPhone antigo começa a ficar mais devagar com o tempo, saiba que essa impressão…

Se você tinha a impressão de que seu iPhone antigo começa a ficar mais devagar com o tempo, saiba que essa impressão acabou de ser confirmada pela própria Apple.

Nesta quarta-feira, a Apple admitiu que uma atualização de software lançada no ano passou deixou o smartphone propositalmente mais lento para evitar problemas de bateria – com o desligamento repentino do iPhone.

O patch fe parte da atualização do iOS 10.2.1 e afetou os modelos iPhone 6, iPhone 6 PlusiPhone 6S Plus e iPhone SE. O iOS 11.2trouxe o mesmo recurso para o iPhone 7 e iPhone 7 Plus – que também será aplicado aos atuais iPhone no futuro.

Segundo a empresa, aparelhos antigos com baterias de íon de lítio tendem a ter problemas a longo prazo, quando as bateria já não seguram tanta carga quanto aparelhos novos.

Nosso objetivo é oferecer a melhor experiência para clientes, que inclui o desempenho geral e o prolongamento da vida de seus dispositivos. As baterias de íon de lítio tornam-se menos capazes de fornecer demandas de corrente quando em condições frias, com baixa carga da bateria ou à medida que envelhecem ao longo do tempo, o que pode resultar no desligamento inesperado do dispositivo para proteger seus componentes eletrônicos“, indicou a Apple em um comunicado (via CNet).

O comentário da Apple vem em resposta a um artigo de John Poole, fundador da organização por trás do software de benchmark Geekbench, que afirmou que processadores do iPhone perdem performance com o tempo.

Há ainda uma terceira hipótese que eu acredito que também tem sua parcela de culpa: a obsolescência programada. Sim, é muito mais lucrativo para uma empresa forçar o usuário a pensar que seu aparelho está mais lento porque é antigo e, consequentemente, comprar um modelo mais novo. Um exemplo de que isso acontece são os smartphones com Android.

Leiam também:  É a morte do Symbian um caminho sem volta?

Embora as fabricantes garantam no máximo duas atualizações, com a alegação que versões mais novas do sistema deixariam os aparelhos mais lentos, desenvolvedores fazem ROMs alternativas sempre da versão mais nova do sistema para esses mesmos aparelhos. Isso prova que na realidade as empresas não atualizam por diversos motivos, mas com certeza não é porque o aparelho já esteja antigo.

materia completa
Apple

R$ 7 mil, esse será o iPhone X mais barato no Brasil.

Que os iPhones chegam absurdamente caros no Brasil não é segredo. Que o iPhone X está muito caro até nos…

Que os iPhones chegam absurdamente caros no Brasil não é segredo. Que o iPhone X está muito caro até nos EUA também não é segredo. Mas mesmo assim, cobrar R$ 7 Mil no iPhone X mais simples é fora da realidade do Brasil, mas sim, a Apple pode e está cobrando isso. Detalhes abaixo.

Leiam também –  O que o iPhone X faz que outros não fazem; confiram 5 novos recursos

Embora ainda não tendo se pronunciado oficialmente, a Apple através do aplicativo da Apple Store divulgou “sem querer” os preços do novo iPhone. O aplicativo já está apontando a pré-venda dos 2 modelos do iPhone X com seus respectivos preços.

preços iphone x brasil
Créditos da imagem: Tudocelular

De acordo com o que foi revelado, o iPhone X de 64 GB de armazenamento interno deve chegar no Brasil custando absurdos R$ 7 mil, enquanto que a variante mais potente, com 256 GB de armazenamento interno, poderá ser comprado por módicos R$ 7,8 mil. Se não bastasse esses preços, os acessórios para o novo iPhone também foram revelados, onde uma capa de couro custa R$ 749.

Lembrando que esses preços são da loja oficial da Apple, que tradicionalmente é mais cara que as lojas comuns. A vista ele sai por R$ 6,3Mil, levando em conta a diferença de preços dos outros modelos entre a loja oficial e outros revendedores, no fim das contas achamos que o iPhone X mais simples deve ficar na casa dos R$ 5,5 Mil.

Se interessou? Vai ter que esperar pois aparentemente o estoque de pré-venda da Apple Brasil já se esgotou.

Leiam também:  É a morte do Symbian um caminho sem volta?
materia completa