Real Time Analytics
Apple

iPad brasileiro custa a mesma coisa mesmo com incentivo fiscal, pode Arnaldo?

Você acredita em papai noel? e coelhinho da páscoa, também não? se você disse não para ambas as perguntas dever ser esperto o suficiente para não acreditar que os tais “incentivos fiscais” que o governo brasileiro oferece para fabricantes gringos, não favorece em nada nós consumidores. A primeira vez que surgiu o rumor que o governo daria subsidios para a Foxconn – famosa fabricante de iGadgets e praticante da escravidão –  para ela começar a montar produtos da Apple no Brasil, muita gente ficou animada com a remota possibilidade de ter um iPhone brasileiro mais barato, mas não foi bem assim. O tal incentivo que já existia para fabricantes de tablets e não mudava em nada o preço final deles, favoreceu a Foxconn, somente ela. A empresa, assim como as outras, não repassa a mamata para os pobres consumidores brasileiros. Isso mesmo, o iPad fabricado na fábrica da Foxconn em Jundiaí, interior de São Paulo, já está sendo vendido no Brasil, e acreditem: pelo mesmo preço dos fabricados na China. Podem esquecer aquela lenda de preço 30% menor.

ipad-sera-fabricado-no-brasil

Desde fevereiro que a fábrica de Jundiaí monta modelos de segunda e terceira gerações do tablet da Apple, para isso a empresa chinesa conta com incentivos financeiros, que incluem isenção ou redução de IPI, PIS e Cofins. Os dispositivos feitos no país, identificados pelo sexto e sétimo algarismos do número de produto “BR”, podem ser encontrados na loja virtual brasileira da Apple e nas redes Americanas e Walmart.

Chega a ser uma piada o acontecido. Para a Foxconn ampliar sua planta em Jundiaí e montar iPads, a empresa enviou ao nosso querido governo um pacote de exigências em troca de investir no país, o investimento seria de US$ 12 bilhões em cinco anos. Em troca o governo pediu a transferência de tecnologia e emprego de mão-de-obra majoritariamente brasileira. Ou seja, em nenhum momento o governo exigiu redução de preço por parte da Fioxcoon / Apple.

Leiam também:  Apple libera iOS 11 para todos. Saiba melhorias e aparelhos compatíveis

Ai fica fácil, imaginem a cabeça do pessoal da Foxconn: “Vamos montar uma nova fábrica e vender mais para a Apple. Além disso pagaremos menos impostos e o melhor de tudo é que não precisaremos baixar os preços, ou seja, vamos multiplicar nossa margem de lucro!”

Tudo bem que o Brasil ganhou em empregos, mas o mínimo que o governo poderia ter exigido era uma redução no preço dos aparelhos, afinal, quem menos ganhou com tudo isso foi o brasileiro que tem que pagar mais por um produto montado aqui.

A Foxconn investiu 2 bilhões na fábrica brasileira e agora além de abastecer o mercado nacional também abastece países latino-americanos. Com certeza foi os 2 bilhões mais bem investidos da empresa.

Se você pensa em comprar um iPad 2 ou o novo iPad  fabricados no Brasil, você terá que desembolsar os mesmos valores praticados anteriormente: R$ 1549,00 no novo iPad com Wi-Fi e  16 GB,  R$ 1.749 no de 32 GB  ou R$ 1.999 no de 64 Gbytes. Já as versões do novo iPad com Wi-Fi e 3G/4G (que nem funciona no Brasil ) saem por R$ 1.849 o de 16 GB, R$ 2.049 de 32 GB ou R$ 2.299 o de 64 GB. E ai: vai encarar o precinho?

Fonte: Folha

Comentários
  • e o brasil sempre dando um "arrego" para empresas explorarem os nulos impostos e lucrarem ao máximo.
    se eu tivesse uma empresa e fosse gringo o brasil era uma mina de ouro, "investir pouco e lucrar muito" esse é o real lema da apple.

  • a margem de lucros das montadoras de carros, linha branca, TVs', eletroeletronicos e pornograficamente alta…o governo nao tem nem ai….fatura junto via icms,pis/cofins etc..etc e o povo que se esploda.

  • Ai ai, essa novela nunca vai acabar?
    Acho que só teremos gadgets com um bom preço se os Brasieiros criarem uma marca própria nacional e com produtos de qulidade a um preço justo, o qie claro não é o caso da Positivo porque o produtos des mesmo tendo um bom preço é de qualidade inferiror aos outros da mesma categoria

  • O problema é que o pessoal que vive de aparência vai comprar, custe o que custar. Canso de ver gente que mora de aluguel em subúrbio com carro de 70.000 reais financiado em 60 vezes. Essas porcarias de iPad não são produtos de primeira de necessidade, ninguém precisa deles para viver ou trabalhar, todo mundo sabe que eles só servem para consumo de mídia. Quem precisa de um computador portátil para trabalhar basta ir atrás de um laptop ou de um netbook, produtos bem mais versáteis e baratos e, para consumo de mídia, qualquer tablet xing ling de 500 reais resolve o problema. É só ninguém comprar que, magicamente, na semana seguinte o preço diminui.

  • Muito simples.. basta não comprar nada da marca iAgumaCoisa e pronto. Falta o povo aderir aos tablets android assim como foram com os Smartphone, aí anima o pessoal dos Apps a capricharem mais ainda e realmente fazer uma concorrencia forte frente ao iPad.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Apple, Noticias

Há 40% de chances da Apple comprar o Netflix e 30% a Disney

Existe uma probabilidade de 40% de que a Apple adquira a Netflix graças a reforma fiscal promovida pelo presidente Donald…

Existe uma probabilidade de 40% de que a Apple adquira a Netflix graças a reforma fiscal promovida pelo presidente Donald Trump foi aprovada. Quem afirmar são os analistas do Citi Jim Suva e Asiya Merchant.

O corte nos impostos, juntamente com o novo subsídio oferecido para que as empresas repatriem seu dinheiro aplicado fora dos EUA sem ter que pagar tributos altissímos, dará à Apple um montante de dinheiro nunca visto antes dentro dos EUA. Segundo a Bloomberg, a companhia tem cerca de 252 bilhões de dólares aplicados, mas boa parte dessa quantia está em territórios fora dos EUA e, até o momento, era impossível trazer esse dinheiro de volta para o país devido aos impostos aplicados. O montante, segundo os analistas, cresce 50 bilhões de dólares ao ano.

Para entender essa quantidade de dinheiro, basta saber que a Apple precisaria apenas de um terço desse dinheiro para comprar o Netflix.

“Historicamente, a Apple evitou repatriar dinheiro para os EUA para evitar a elevada tributação desses valores. Por isso, a reforma tributária pode permitir que a empresa coloque o dinheiro em uso”, dizem os analistas, no relatório.

Segundo Citi, a Apple mantém mais de 90% de seu dinheiro fora dos EUA, então a empresa poderia se beneficiar se fizesse uma repatriação única. “Com uma taxa de 10% sobre o dinheiro, a empresa teria 220 mil milhões de dólares para aplicar em aquisições”. Ai que entra o Netflix ou mesmo a Disney.

A Apple tinha de 20 à 30% de chance de adquirir a Disney, porém isso foi antes da aquisição pela Disney dos ativos de estúdio e TV da Fox. Ou seja, isso provavelmente não ocorrerá.

A Apple tem lutado há anos para oferecer uma oferta atraente para a TV. O iTunes tem sido um grande sucesso para a empresa, mas os telespectadores migraram cada vez mais para serviços como Netflix, Amazon ou Hulu para assistir seus programas e filmes favoritos. Comprar o Netflix seria algo importante para consolidar a empresa nesse ramo.

Leiam também:  Artigo: iPhone 5 com processador dual-core Cortex A15 é o mais rápido que existe

Via Business Insider

materia completa
Apple, Featured

Confirmado: Apple deixa iPhone antigos mais lentos de propósito

Se você tinha a impressão de que seu iPhone antigo começa a ficar mais devagar com o tempo, saiba que essa impressão…

Se você tinha a impressão de que seu iPhone antigo começa a ficar mais devagar com o tempo, saiba que essa impressão acabou de ser confirmada pela própria Apple.

Nesta quarta-feira, a Apple admitiu que uma atualização de software lançada no ano passou deixou o smartphone propositalmente mais lento para evitar problemas de bateria – com o desligamento repentino do iPhone.

O patch fe parte da atualização do iOS 10.2.1 e afetou os modelos iPhone 6, iPhone 6 PlusiPhone 6S Plus e iPhone SE. O iOS 11.2trouxe o mesmo recurso para o iPhone 7 e iPhone 7 Plus – que também será aplicado aos atuais iPhone no futuro.

Segundo a empresa, aparelhos antigos com baterias de íon de lítio tendem a ter problemas a longo prazo, quando as bateria já não seguram tanta carga quanto aparelhos novos.

Nosso objetivo é oferecer a melhor experiência para clientes, que inclui o desempenho geral e o prolongamento da vida de seus dispositivos. As baterias de íon de lítio tornam-se menos capazes de fornecer demandas de corrente quando em condições frias, com baixa carga da bateria ou à medida que envelhecem ao longo do tempo, o que pode resultar no desligamento inesperado do dispositivo para proteger seus componentes eletrônicos“, indicou a Apple em um comunicado (via CNet).

O comentário da Apple vem em resposta a um artigo de John Poole, fundador da organização por trás do software de benchmark Geekbench, que afirmou que processadores do iPhone perdem performance com o tempo.

Há ainda uma terceira hipótese que eu acredito que também tem sua parcela de culpa: a obsolescência programada. Sim, é muito mais lucrativo para uma empresa forçar o usuário a pensar que seu aparelho está mais lento porque é antigo e, consequentemente, comprar um modelo mais novo. Um exemplo de que isso acontece são os smartphones com Android.

Leiam também:  Esqueçam erros dos mapas do iOS 6, iPhone 5 irá bater recordes e ainda é grande atração

Embora as fabricantes garantam no máximo duas atualizações, com a alegação que versões mais novas do sistema deixariam os aparelhos mais lentos, desenvolvedores fazem ROMs alternativas sempre da versão mais nova do sistema para esses mesmos aparelhos. Isso prova que na realidade as empresas não atualizam por diversos motivos, mas com certeza não é porque o aparelho já esteja antigo.

materia completa
Apple

R$ 7 mil, esse será o iPhone X mais barato no Brasil.

Que os iPhones chegam absurdamente caros no Brasil não é segredo. Que o iPhone X está muito caro até nos…

Que os iPhones chegam absurdamente caros no Brasil não é segredo. Que o iPhone X está muito caro até nos EUA também não é segredo. Mas mesmo assim, cobrar R$ 7 Mil no iPhone X mais simples é fora da realidade do Brasil, mas sim, a Apple pode e está cobrando isso. Detalhes abaixo.

Leiam também –  O que o iPhone X faz que outros não fazem; confiram 5 novos recursos

Embora ainda não tendo se pronunciado oficialmente, a Apple através do aplicativo da Apple Store divulgou “sem querer” os preços do novo iPhone. O aplicativo já está apontando a pré-venda dos 2 modelos do iPhone X com seus respectivos preços.

preços iphone x brasil
Créditos da imagem: Tudocelular

De acordo com o que foi revelado, o iPhone X de 64 GB de armazenamento interno deve chegar no Brasil custando absurdos R$ 7 mil, enquanto que a variante mais potente, com 256 GB de armazenamento interno, poderá ser comprado por módicos R$ 7,8 mil. Se não bastasse esses preços, os acessórios para o novo iPhone também foram revelados, onde uma capa de couro custa R$ 749.

Lembrando que esses preços são da loja oficial da Apple, que tradicionalmente é mais cara que as lojas comuns. A vista ele sai por R$ 6,3Mil, levando em conta a diferença de preços dos outros modelos entre a loja oficial e outros revendedores, no fim das contas achamos que o iPhone X mais simples deve ficar na casa dos R$ 5,5 Mil.

Se interessou? Vai ter que esperar pois aparentemente o estoque de pré-venda da Apple Brasil já se esgotou.

Leiam também:  evasi0n - Primeira ferramenta para jailbreak do iOS 6 está disponível
materia completa
Apple, Noticias

iPhone 8 Plus por R$ 6.500 é novo rumor da internet brasileira

A Apple faz mistério, como sempre, mas as operadoras telefônicas já foram avisadas: o iPhone 8 Plus chega ao Brasil entre a…

A Apple faz mistério, como sempre, mas as operadoras telefônicas já foram avisadas: o iPhone 8 Plus chega ao Brasil entre a última semana de novembro e a primeira de dezembro. O modelo mais barato, o de 64 GB, vai custar R$ 6,5 mil. Isso mesmo que você leu: R$ 6.500. Esse é o palpite de Lauro Jardim, no jornal “O Globo”.

Sabemos que a Apple não é bem conhecida pelos preços praticados no Brasil. Seus iPhones também batem recorde quando lançados aqui, recorde de celulares mais caros do Brasil. Dessa vez não foi diferente. Segundo o colunista Lauro Jardim publicou no jornal O Globo, o “iPhone 8 mais barato custará R$ 6,5 mil no Brasil”. Mas calma lá: R$ 6.500 em um iPhone? Será mesmo?

Isso não quer dizer que realmente será esse o preço. Os palpites do colunista quanto ao preço de produtos da Apple nem sempre são acertados. Segundo uma análise minunciosa do pessoal do Tecnoblog, ele na verdade custama errar, e sempre para mais. Em 2010, o colunista disse que a primeira geração do iPad iria custar “entre R$ 1.800 (Wi-Fi) e R$ 2.900 (Wi-Fi mais 3G)”. No fim das contas chegaram por R$ 1.649 e R$ 2.599, respectivamente.

Já em 2011, uma previsão sobre o iPhone 4S dizia que ele iria custar a partir de R$ 2.100 nas operadoras. Na verdade, o preço começava em R$ 1.899.

Em 2015, chutou nada menos do que R$ 4 Mil no iPhone 6s. Esse ele acertou.

Mas existem outros palpites por ai mais, digámos, realistas. O conhecido blog MacMagazine, especialista em Apple, costuma acertar mais. Eles já publicaram uma tabela a respeito dos preços estimados dos novos iPhones, conforme podem ver abaixo:

Leiam também:  Esqueçam erros dos mapas do iOS 6, iPhone 5 irá bater recordes e ainda é grande atração

Eu acredito que esses serão os preços. A partir de R$ 4.599 na versão mais básica do iPhone 8 (64 GB) até R$ 6.499 no iPhone X mais caro, o de 256 GB. Mesmo assim estão extremamente caros comparados com o preço praticado nos EUA, por exemplo.

materia completa