Real Time Analytics
Android, Reviews, Samsung

Review Galaxy A5 (2017): é bom, mas longe de ser o melhor

O Galaxy A5 2017 é o representante da linha premium da Samsung no segmento compacto. Como uma alternativa ao Galaxy…

O Galaxy A5 2017 é o representante da linha premium da Samsung no segmento compacto. Como uma alternativa ao Galaxy S7, porém mais barato, a Samsung promete um smartphone potente, bonito e com boa câmera. Mas será que isso de fato se concretiza? É isso que vamos ver no nosso review do Galaxy A5 2017.

Review Galaxy A5 2017 – Design

Visualmente, o Galaxy A5 lembra o Galaxy S7, que foi o topo de linha da empresa no ano passado e, consequentemente, o mais caro. Assim como o irmão mais caro, ele possui design com cantos arredondados, tanto na parte traseira como na frontal. Ele é ligeiramente maior e mais grosso que o S7.

galaxy a5 2017

A grande novidade é que agora o smartphone tem proteção contra água e poeira, segundo a certificação IP68. Com isso, ele pode ser mergulhado a 1,5 m de profundidade em água doce, ao longo de 30 minutos. Vale lembrar que o produto tem proteção contra poeira, que é diferente de areia. A areia tem a capacidade de riscar a tela do seu celular se você não usar alguma película protetora.

No geral é um smartphone muito bem feito. Mesmo sendo de vidro na parte traseira e frontal, dá para perceber que ele é mais robusto que o S7, isso se deve ao fato de ser mais pesado. Além disso, procurei na internet reclamações sobre ele quebrar facilmente como o S7, o resultado foi bem menor. A Samsung fez um excelente trabalho no A5 2017 quanto ao design e construção.

Tela

galaxy a5 2017 frente 1

A tela de 5,2 polegadas tem resolução Full HD e também conta com a tecnologia proprietária da Samsung chamada Super AMOLED. Como é de costume da maioria, ela melhora o contraste das imagens e aumenta a duração da bateria. Quando os pixels exibem a cor preta, eles estão literalmente apagados, já que têm luz própria – isso não acontece em telas LCD LED, conforme já explicamos aqui.

Leiam também:  Motorola lança o Motorola DEFY MINI com dual-chip por 699 Reais

No geral a tela também é excelente, como de praxe nos aparelhos da Samsung. A tela é digna de top de linha, a melhor no segmento intermediário sem dúvidas.

Câmeras

A Samsung prometeu entregar excelentes câmeras. A abertura da lente é de f/1,9, o que na teoria daria ótimos resultados com pouca luz. Mas, no geral, o resultado não foi tão bom como esperado. O sensor de 16 megapixels até que entrega boas fotos durante o dia, em ambientes iluminados com luz natural, os resultados são bem detalhados. O sensor também lidou bem com luz artificial forte. Dentro do normal. Porém, em algumas ocasiões, senti um excesso de saturação, uma tentativa falha de tornar o céu e as árvores mais “bonitas” do que elas realmente são. Mas isso é culpa do software e dá para consertar depois.

Em situações de baixa iluminação ou cenas com regiões de alto contraste, o sensor mostra suas limitações. Enquando o alcance dinâmico restrito e a redução na definição saltam aos olhos.

Já a câmera frontal do Galaxy A5 tem também um sensor de 16 megapixels e o flash é uma luz emitida pela própria tela do aparelho. Apesar desse tipo de flash não ser muito bom em outros produtos, ele apresentou resultados satisfatórios no A5 2017.

As selfies também ficaram boas quando tiradas sob luzes natural e artificial. O nível de detalhamento, como esperado, foi superior em ambientes iluminados em relação aos resultados obtidos em locais com pouca luz.

Quanto aos recursos de fotografia manual, disponíveis apenas na câmera principal, o usuário pode mudar ISO, tipo de iluminação do ambiente e a quantidade de luz capturada. Não é possível mudar a velocidade do obturador, como comulmente é possível em modos manuais.

Hardware e perfomance

Por dentro, o Galaxy A5 de 2017 tem processador Exynos 7880, 3 GB de memória RAM e 32 GB de armazenamento interno. É possível expandir o espaço para arquivos e fotos com cartão microSD. Ele é dual SIM mas não possui slot híbrido. O desempenho geral do aparelho foi bom, fluido e sem interrupções abruptas durante o uso de apps do cotidiano.

Leiam também:  Vídeo: Android Jelly Bean rodando em um... Nokia N9!

Para games, o smartphone teve boa performance, apesar do consumo de bateria ser alto, dada a necessidade de processamento gráfico pesado. Em jogos mais pesados, como o GTA San Andreas, ele não aguentou o tranco com gráficos ao máximo, gerando sombras, lags e cortadas. Mas, tirando o GTA, a jogatina foi satisfatória na maioria dos jogos pesados.

Benchmarks Galaxy A5 2017

AnTuTu: 60199
Basemark OS II: 1437
Geekbench 4: 4022
Vellamo: 3554

Bateria do Galaxy A5 2017

A bateria é uma das principais características do Galaxy A5 2017. A autonomia foi satisfatória nos testes, mas não acima da média, como acontecia nos concorrentes lançados em 2016. No meu dia de testes, tirei o smartphone da tomada às 9h, escutei duas horas de música por streaming no 4G e naveguei por 1h30min, também no 4G, com brilho no automático. Às 23h10, a bateria chegou a 37%. É uma boa marca, que deve ser suficiente para a maioria dos usuários.

Software

O sistema Android Marshmallow do celular é bem parecido com o que vimos no Galaxy A9, lançado no fim do ano passado. Ele vem com poucos apps de fábrica, como ferramentas de sistema (apps de notas, gravador de músicas, monitor de exercícios) e com o pacote Microsoft Office mobile.

Há também o Opera Max, um app de compressão de dados que ajuda a economizar a sua internet móvel.

Vale ressaltar que esse gadget tem suporte para o sistema de pagamentos Samsung Pay. Ou seja, ele pode armazenar seus dados de cartões de crédito em um compartimento criptografado na memória interna e acessá-lo rapidamente quando você encostar o dispositivo em um terminal de pagamentos (de NFC ou tarja magnética) e autorizar a transação com a sua impressão digital.

Leiam também:  LG anuncia oficialmente Vu 3 comt ela de 5.2" 4:3 e processador Snapdragon 800

A coisa mais sem sentido que a Samsung fez no Galaxy A5 (2017) foi lançá-lo com o Android 6.0.1 Marshmallow de fábrica — o aparelho foi anunciado pela primeira vez em janeiro, na CES, e a versão final do Nougat foi liberada pelo Google em agosto de 2016.

Pelo menos ele já traz a nova interface da Samsung, que ficou ainda mais limpa em relação à versão anterior. As telas são predominantemente brancas, os ícones estão mais sérios e há recursos novos, como o Filtro de luz azul (para não prejudicar a qualidade do seu sono) e a integração mais profunda com a Samsung Cloud, que faz backup dos seus contatos, notas e fotos para que você não tenha que começar do zero no aparelho novo.

Galaxy A5 2017 Prós e contras

Prós

  • Ótimo design;
  • proteção contra água e poeira;
  • Bateria satisfatória;
  • Excelente tela.

Contras

  • Desempenho poderia ser melhor;
  • Câmera abaixo do que esperávamos.
  • Preço alto.

Conclusão

O Galaxy A5 pode ser considerado uma versão light do Galaxy S7 em termos de construção, mas fica longe do desempenho do top de linha. Ela não é a melhor opção se comparado com outras marcas, não que seja ruim, mas levando em consideração o preço há opções mais baratas que irão entregar o mesmo ou melhor. Porém, em termos de construção, ele é o melhor nessa faixa de preço. Se você não liga tanto para esse quesito, vale a pena dar uma olhada em seus concorrentes diretos em sua faixa de preço: Zenfone 3, Moto G5 Plus e iPhone 6. Inclusive já o comparamos com o Moto G5 Plus.

Android, Lenovo, Motorola, Reviews

Review Moto Z2 Force, o celular com tela indestrutível

A segunda versão do smartphone de tela inquebrável chegou no fim do ano passado. Mas será que uma tela inquebrável consegue…

A segunda versão do smartphone de tela inquebrável chegou no fim do ano passado. Mas será que uma tela inquebrável consegue colocar o Moto Z2 Force em pé de igualdade com a concorrência? É isso que vamos analisar nesse review.

Design conservador, mas justificável

moto z2 force frente 2

Enquanto a concorrência está cada vez mais arriscando no design, a Motorola com seu Moto Z2 Force mateve praticamente intocável o design do Moto Z2 Force. Design sem bordas, telas com proporção 18:9 e resistência a água, são características dos concorrentes que vocês não verão aqui. Se isso faz diferença, Galaxy S8, LG G6, Pixel 2 e outros são melhores opções.

Mas a justificativa do design do Moto Z2 Force é um: os Moto Snaps. Os módulos – bem caros, só para enfatizar – que agregam funções ao Moto Z2 Force exige que ele mantenha o mesmo visual, pelo menos na parte traseira. Mas a justificativa é relativa, já que com o mesmo formato é perfeitamente possível aumentar a tela e mudando a proporção para 18:9 e, automaticamente, diminuindo suas enormes bordas. E isso irá acontecer na linha 2018.

Mas, o Moto Z2 Force ainda é um smartphone bonito de olhar. Sua espessura de apenas 6,1 mm chama muito atenção assim como o peso de apenas 143 gramas. Completa seu corpo inteiro de metal que trás uma segurança maior nele, afinal seu peso e espessura em um primeiro momento passa insegurança.

Vale lembrar que a tela é inquebrável, o resto do aparelho não. Então não compre pensando que você tem um smartphone super resistente, se ele cair vai arranhar o frame de metal vai sim amassar. A ideia da Motorola é que a tela fique intacta ao uso. Ela não garante em nenhum momento que o resto do aparelho seja resistente.

Tela inquebrável, mas os riscos continuam

O Moto Z2 Force trás a segunda geração da tecnologia s[]ShatterShield. Desenvolvida pela própria Motorola para a primeira versão, o Moto X Force, ele trás um conjunto de camadas de proteção sobrepostas para garantir resistência ao display. Esse display é de AMOLED flexível, por isso é dificil de quebrar e resiste a quedas.

moto z2 force shattershield

O grande diferencial das camadas, é que a última visível não é de vidro, como em outros celulares, o Moto Z2 Force tem uma fina camada de plástico. Isso torna o display mais flexível e capaz de absorver impactos do dia a dia sem estilhaçar ou apresentar rachaduras. Mas ai vem outro problema: plástico é plástico.

Leiam também:  Vídeo: Oppo N1, roda CyanogenMod e tem Google Playstore

No Moto X Force a reclamação maior era justamente essa última camada que arranhava demais. No Moto Z2 Force ela melhorou muito, mas continua arranhando com mais facilidade que um vidro. Depois de um dias os arranhões aparecem inevitavelmente. Mas o que achei mais ruim foi que o plástico atrapalha um pouco o dedos deslizar na tela. As vezes parece que tem algo “prendendo” o dedo. Com o tempo se acostuma. Tudo isso citado acima é resolvido colocando uma pelicula de vidro, solução simples e barata.

moto z2 force tela arranha

Mas em qualidade de visualização a tela do Moto Z2 Force é competente. Ela possui 5,5 polegadas e resolução Quad HD (1.440 x 2.560 pixels). Como se trata de uma tela de AMOLED o brilho e constraste são excelentes. Mas, comparando com a tela do Galaxy S8 também de AMOLED, ela tem menos brilho, perceptível principalmente em um dia claro.

Hardware de ponta

Processador Snapdragon 835, memória RAM de 6 GB e 64 GB de memória interna com suporte a cartão microSD de até 2 TB (embora ainda não existam tais). Impressionante não é? Mas números são só números até que testemos um smartphone na prática.

Como se comporta o Moto Z2 Force na prática? Espetacularmente bem. O Moto Z2 Force é incrivelmente rápido, nunca trava e roda qualquer jogo, do mais pesado que exista, sem dificuldade.

Nem se preocupe em ficar fechando aplicativos. Simplesmente não consegui superar a multitarefa deles, abri cerca de 100 aplicativos para estressar o aparelho. Nem sinal de travamento. O Android super otimizado manteve quase todos os apps e começou a fechar quando julgou necessário.

Ele tem o que há de melhor atualmente no mercado. Não há muito o que falar.

Câmeras dentro do padrão Motorola

moto z2 force camera

O Moto Z2 Force trás uma câmera dupla na traseira. São dois sensores de 12 MP com abertura de f/2.0, sendo que um é monocromático e o outro é colorido. A combinação é bem interessante.

No papel, a Motorola trás diversos recursos de software que colocariam a câmera do Moto Z2 Force dentre as melhores no mercado.

Leiam também:  Vídeo: Android Jelly Bean rodando em um... Nokia N9!

Temos o já obrigatório “Modo Profundidade”, que permite ao celular aplicar um efeito que deixa o plano de fundo da foto borrado, enquanto o primeiro plano fica em destaque. O primeiro truque é que dá para brincar um pouco com esse fundo desfocado.

Depois que você tira foto, dentro do app há um modo “profundidade”. Escolhendo onde você quer o foco, dá para você deixar, por exemplo, o fundo preto e branco, desfocado ou retirar o fundo e substituir por outra foto.

Legal não é? Seria muito bom se funcionasse satisfatoriamente, o que não ocorre. O modo profundidade nem sempre separa bem o que está em primeiro plano do que está no fundo, deixando, muitas vzes, um aspecto artificial que deixa a foto parecendo o resultado de um Photoshop mal feito. Na maioria das vezes alguma coisa se perde no foco misturando frente e fundo. Isso acontece com toda a linha de smartphones com câmera dupla da Motorola. Quem sabe não seja melhorado em futuras atualizações.

Deixando de lado o modo profundidade e funcionando como uma câmera normal, a câmera do Moto Z2 Force consegue tirar boas fotos. Muitas vezes o celular perde a mão no balanço de branco e no alcance dinâmico. Mas, num geral, faz fotos acima de qualquer intermediário. Mas que fique claro que a qualidade da câmera não é a mesma do Galaxy S8 ou iPhone 8. Ela está no nível de qualidade do LG G6 ou Zenfone 4, embora em uma comparação perderia no número de alguns recursos fotográficos.

O que fiquei surpreso foi da qualidade em baixa luminosidade. Embora tenha uma abertura pequena de f/2.0, especialmente por conta do sensor secundário que fotografa em tons de cinza, a quantidade de ruído é mínima. Fotos noturnas ou em ambientes escuros não são um problema para ele.

A câmera frontal de 5 MP e ângulo aberto captura uma área maior que o normal, o que é bem-vindo, mas, em termos de qualidade, não impressiona.

E os Moto Snaps, ainda valem a pena?

O diferencial da linha Z, como comentamos logo acima, é o suporte a Moto Snaps, acessórios modulares que se conectam ao smartphone por meio de conectores ímas. Todos os Snaps lançados em 2016 e 2017, para as duas gerações do Moto Z e Moto Z Play, funcionam no Moto Z2 Force. Esse conceito de retroportabilidade que acho sensacional na linha Z. E vai continuar por pelo menos uns 2 anos!

Leiam também:  HTC Tattoo: Um Android de baixo custo

moto z2 force moto snaps

Para o nosso teste, a Motorola enviou um Snap de bateria externa, que recarrega o smartphone sem fios quando você está longe de uma tomada. Assim como em qualquer outro modelo da linha, o acessório funciona de modo extremamente intuitivo e prático: é só acoplar e pronto.

O portfólio de acessórios ainda inclui um projetor, uma lente com zoom óptico para a câmera, uma caixa de som, um gamepad que atua como controle para jogos e uma câmera de 360 graus. Todos são compatíveis com o Moto Z2 Force ou qualquer outro smartphone da linha Z.

moto z2 force snap game

O problema desses acessórios, porém, continua sendo o mesmo: preço. O mais barato é o de bateria e custa R$ 399. Há Snaps que chegam a custar até R$ 1.499 (projetor), que é praticamente o preço de outro celular.

Mas o legal é que você compra de acordo com sua necessidade. Além disso dá para importar esses módulos por preços melhores, claro, sabendo dos riscos de uma importação.

Review Moto Z2 Force – Prós e contras

Prós

  • Tela inquebrável
  • Preço competitivo
  • Um dos melhores hardwares da atualidade
  • Compatibilidade com Moto Snaps

Contras

  • Design passado
  • Câmera poderia ser melhor

Review Moto Z2 Force – Preço e Conclusão

Com um visual defasado frente a concorrência, o Moto Z2 Force em um primeiro momento poderia não ser uma opção. Mas não é bem assim. Se trata de uma das melhores compras no contexto geral. Temos aqui um hardware excelente, uma tela inquebrável (mesmo tendo pontos negativos) e uma câmera ok. Mas o grande diferencial é o seu preço: é possível achar ele até uns R$ 2100. Bem abaixo do Galaxy S8 seu concorrente. Para efeito de comparação ele custa o preço de um Zenfone 4 de 4 GB cujo tem um hardware inferior e leva vantagem apenas na câmera.

  • Compre aqui o Moto Z2 Force

O único smartphone que briga com ele na escolha seria o LG G6. Possui uma câmera melhor e design mais atraente, mas perde em todos os outros aspectos.

materia completa
Samsung

Conheçam 3 novas funções do Galaxy S9 confirmadas

Durantes os últimos meses vários rumores sobre o S9 surgiram. Ao passo que seu lançamento esteja se aproximando, 25 de Fevereiro, …

Durantes os últimos meses vários rumores sobre o S9 surgiram. Ao passo que seu lançamento esteja se aproximando, 25 de Fevereiro,  separamos para vocês 3 novas funções que já são garantidas que o Galaxy S9 e Galaxy S9 Plus irão receber.

Leiam tambémVídeo mostra tudo que já sabemos sobre o Galaxy S9

Essas 3 funções foram confirmadas pela própria Samsung Coréia através de seu canal no Youtube. Vamos a lista.

1 – Galaxy S9 terá super Slow Motion e 4K há 12 fps.

Conforme o vídeo abaixo, dá para notar uma sequencia de vídeos de esportes de alta velocidade e, de repente, a velocidade do vídeo diminui drasticamente para um vídeo de um atleta de com roupa de wingsui. O Galasy S9 virá com um modo Super Slow Motion.

Os rumores apontam para vídeos em câmera lenta com incríveis 1.000 fps, bem como 120fps em uma resolução de 4K. O último duplicaria o melhor padrão anterior de 60 fps em 4K, visto nos últimos iPhones da Apple. Mas nem tudo são flores. Somente o chipset Exynos 9810 da Samsung pode fornecer isso. Com isso os usuários dos EUA não usufruirão, pois estão restritos aos processadores Qualcomm. O Galaxy S9 americano será equipado com o Snapdragon 845.

2 – Câmera com alto desempenho em baixa luz

O Galaxy S7 e S8 já são um dos melhores quando o assunto é tirar fotos ou filmar em ambientes pouco iluminados. Mas a Samsung quer elevar o patamar com o Galaxy S9.

No vídeo abaixo dá para notar que um grupo que caminha durante a noite em uma floresta, ao avistar um cervo, tira uma foto com o S9 e a foto sai super clara. Claro que dificilmente um celular irá tirar foto em uma floresta a noite satisfatoriamente. Mas em ambientes com pouca iluminação (não nenhuma) a Samsung deverá entregar um excelente smartphone para bater o Google Pixel 2 e seu HDR+.

3 – Reconhecimento facial e Animojis

Samsung não seria a mesma se não copiasse alguma função dos últimos iPhones (isso não quer dizer que a Apple não faça o mesmo). O iPhone X trouxe o melhor sistema de reconhecimento facial que existe hoje no mercado. Com ele, além de desbloquear a tela apenas olhando, uma função que chamou a atenção foi os Animojis. São emogis criados a partir das expressões do próprio usuário.

A Samsung também terá sua própria versão de Animojis, ou algo parecido, afinal no vídeo foi criado um emoji com rosto de humano e não de animais. Mas a ideia será a mesma.

E aí, o que vocês esperar dos novos Galaxy S9 e S9 Plus? Deixem seus comentários.

materia completa
Android, Samsung

Galaxy S8 e S8+ começa a receber o Android 8.0 Oreo

A Samsung normalmente começa a testar uma versão nova do Android com alguns beta testers, no caso do S8 começou…

A Samsung normalmente começa a testar uma versão nova do Android com alguns beta testers, no caso do S8 começou em Novembro. Passando a fase de testes, finalmente os usuários começam aos poucos a receber a atualização para o Android 8.0 Oreo.

O site especializado em Samsung, o SamMobile, avisa que os beta tester do Oreo para S8 já começaram a receber a atualização final. Passada essa fase, que deve ser rápida, os usuários de forma geral começarão a finalmente terem seus smartphones atualizados.

Mas antes de correr lá em configurações para atualizar seu aparelho, saiba o seguinte: como sempre a atualização é aos poucos de país em país. E, infelizmente, o Brasil costuma ficar no fim da lista.

A grande novidade que virá junto com o Android 8.0 Orei é a nova interface da Samsung. A Samsung Experience 9.0 chega com várias funcionalidades presentes no Oreo. Fazem parte disso a nova central de notificações; melhor gerenciamente da multitarefa, principalmente fechando apps sedentos de RAM que ficam em segundo plano; notificações que surgem ao pressionar e segurar algum ícone; melhorias no Always On Display, novos emojis; e por aí vai.

Usuários da geração passada ainda terão que esperar um pouco. S7 e S7 Edge já está em fase de testes, mas pela lógica depois irá para os beta testers só então para os usuários comuns, ou seja, ainda vai demorar.

Leiam também:  Vídeo: Oppo N1, roda CyanogenMod e tem Google Playstore
materia completa
Samsung

Vídeo Hands-on do Galaxy A8+ e Galaxy A8

A Samsung anunciou (6) os modelos Galaxy A8 e o A8+ para o mercado brasileiro, anunciados em Dezembro lá fora. Com…

A Samsung anunciou (6) os modelos Galaxy A8 e o A8+ para o mercado brasileiro, anunciados em Dezembro lá fora. Com visual mais próximo do Galaxy S9 que ainda não foi lançado, eles elevam o padrão e se tornam smartphones premium na construção e no preço. A grande novidade é a câmera frontal dupla.

A principal diferença entre os dois modelos é o tamanho da tela. O Galaxy A8 possui display AMOLED de 5,6 polegadas e resolução de 2220×1080 pixels; no Galaxy A8+, o tamanho sobe para 6 polegadas, mantendo a resolução. As bordas são bem finas, no que a Samsung chama de “display infinito”. Porém não tem a função Edge como a linha S. Na verdade, achei as bordas grandes se comparada com a linha S e Note, sendo assim, não acho que caberia o nome infinity display. O leitor de digitais fica na traseira, abaixo da câmera.

Leiam também:  Samsung lança Galaxy A7, smartphone mais fino da empresa
materia completa