Real Time Analytics
Noticias

É oficial: Coreia do Norte está por trás do ataque a Sony Pictures

O FBI confirmou agora pouco o que todos já tinham certeza: a Coreia do Norte realmente está por trás dos ataques que assolaram Sony Pictures nas últimas semanas. Desde o acontecido, várias autoridades americanas já comentavam o caso e que investigações estavam sendo feitas. O FBI diz que fez uma investigação em estreita colaboração com outros departamentos e agências do governo dos EUA. Depois dessas investigações, eles afirmam ter informações suficientes para concluir que o governo norte-coreano é responsável pelos ataques. A investigação ainda continua.

O FBI informa que tem trabalhado diretamente com a Sony Pictures Entertainment logo após que os ataques começaram. No decurso da investigação, o FBI descobriu que o malware que infectou a Sony é semelhante a outros tipos de malwares já conhecidos por serem escritos e usados em outros ciberataques norte coreanos no passado, até linhas de códigos específicas dos coreanos foram identificadas.

Eles também possuem provas envolvendo de onde foram feitos os ataques. Vários endereços IPs embutidos em algoritmos do malware, também foram identificados em ciberataques norte-coreanos anteriores. Os ataques foram encaminhados através de uma série de outros países, inclusive China, mas o FBI foi capaz de descobrir a origem com a ajuda da NSA.

Em nenhum momento mencionam a China como co-autora, já que muitos especulam que o país tenha apoiado os norte-coreanos por teoricamente o país não ter muita tecnologia para isso. Nenhum grupo de hackers ou entidade foram mencionadas nas acusações, por enquanto só o governo coreano é identificado como autor. Obviamente as investigações ainda não concluíram quem os ajudou, pois sozinho não fizeram, ou de certo o FBI não quer divulgar nomes por enquanto. O governo americano não falou a respeito de nenhuma ação contra a Coreia do Norte, mas deixou um recadinho para os coreanos:

Tais atos de intimidação fogem dos limites de comportamento aceitável por parte de outro governo. O FBI leva a sério qualquer tentativa de ataque através seja por meio cibernéticos, ameaças de violência ou de outra, para minar a prosperidade econômica e social dos nossos cidadãos.

Só para lembrar, teoricamente o motivo de tudo começou porque a Sony estava para lançar um filme chamado “A entrevista”, uma comédia em que Seth Rogan e James Franco interpretam 2 jornalistas que são encarregados pelo governo americano de matar o líder supremo da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, embora os hackers não fizeram nenhuma referência à Coreia do Norte ou ao filme. De qualquer modo, a Sony Pictures cancelou o lançamento do filme, principalmente por pressão dos cinemas americanos que temiam alguma retaliação em suas salas. No Brasil o filme também foi cancelado. Por outro lado, quem fez o ataque vazou o filme na internet onde é possível achar em sites de torrents.

Leiam também:  Android crescerá 169% nos EUA em 2010

Abaixo a declaração completa do FBI (em inglês):

Today, the FBI would like to provide an update on the status of our investigation into the cyber attack targeting Sony Pictures Entertainment (SPE). In late November, SPE confirmed that it was the victim of a cyber attack that destroyed systems and stole large quantities of personal and commercial data. A group calling itself the “Guardians of Peace” claimed responsibility for the attack and subsequently issued threats against SPE, its employees, and theaters that distribute its movies.

The FBI has determined that the intrusion into SPE’s network consisted of the deployment of destructive malware and the theft of proprietary information as well as employees’ personally identifiable information and confidential communications. The attacks also rendered thousands of SPE’s computers inoperable, forced SPE to take its entire computer network offline, and significantly disrupted the company’s business operations.

After discovering the intrusion into its network, SPE requested the FBI’s assistance. Since then, the FBI has been working closely with the company throughout the investigation. Sony has been a great partner in the investigation, and continues to work closely with the FBI. Sony reported this incident within hours, which is what the FBI hopes all companies will do when facing a cyber attack. Sony’s quick reporting facilitated the investigators’ ability to do their jobs, and ultimately to identify the source of these attacks.

As a result of our investigation, and in close collaboration with other U.S. government departments and agencies, the FBI now has enough information to conclude that the North Korean government is responsible for these actions. While the need to protect sensitive sources and methods precludes us from sharing all of this information, our conclusion is based, in part, on the following:

  • Technical analysis of the data deletion malware used in this attack revealed links to other malware that the FBI knows North Korean actors previously developed. For example, there were similarities in specific lines of code, encryption algorithms, data deletion methods, and compromised networks.
  • The FBI also observed significant overlap between the infrastructure used in this attack and other malicious cyber activity the U.S. government has previously linked directly to North Korea. For example, the FBI discovered that several Internet protocol (IP) addresses associated with known North Korean infrastructure communicated with IP addresses that were hardcoded into the data deletion malware used in this attack.
  • Separately, the tools used in the SPE attack have similarities to a cyber attack in March of last year against South Korean banks and media outlets, which was carried out by North Korea.

We are deeply concerned about the destructive nature of this attack on a private sector entity and the ordinary citizens who worked there. Further, North Korea’s attack on SPE reaffirms that cyber threats pose one of the gravest national security dangers to the United States. Though the FBI has seen a wide variety and increasing number of cyber intrusions, the destructive nature of this attack, coupled with its coercive nature, sets it apart. North Korea’s actions were intended to inflict significant harm on a U.S. business and suppress the right of American citizens to express themselves. Such acts of intimidation fall outside the bounds of acceptable state behavior. The FBI takes seriously any attempt—whether through cyber-enabled means, threats of violence, or otherwise—to undermine the economic and social prosperity of our citizens.

 

Leiam também:  Como anda o mercado mundial mobile? confira o infográfico

Comentários
  • Bem, TODOS tem duvidas sobre essa autoria, tanto que TODOS os jornais sérios acham isso ridículo, uma nação quebrada como a Coreia comuna não tem como ter feito o ataque, e se tivesse feito teria alardeado pra Deus e pro mundo, vide o impacto e o perfil do ditador em chefe. Aliais acreditar no fbi por si só ja eh cômico de tão infantil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Apple, Noticias

Há 40% de chances da Apple comprar o Netflix e 30% a Disney

Existe uma probabilidade de 40% de que a Apple adquira a Netflix graças a reforma fiscal promovida pelo presidente Donald…

Existe uma probabilidade de 40% de que a Apple adquira a Netflix graças a reforma fiscal promovida pelo presidente Donald Trump foi aprovada. Quem afirmar são os analistas do Citi Jim Suva e Asiya Merchant.

O corte nos impostos, juntamente com o novo subsídio oferecido para que as empresas repatriem seu dinheiro aplicado fora dos EUA sem ter que pagar tributos altissímos, dará à Apple um montante de dinheiro nunca visto antes dentro dos EUA. Segundo a Bloomberg, a companhia tem cerca de 252 bilhões de dólares aplicados, mas boa parte dessa quantia está em territórios fora dos EUA e, até o momento, era impossível trazer esse dinheiro de volta para o país devido aos impostos aplicados. O montante, segundo os analistas, cresce 50 bilhões de dólares ao ano.

Para entender essa quantidade de dinheiro, basta saber que a Apple precisaria apenas de um terço desse dinheiro para comprar o Netflix.

“Historicamente, a Apple evitou repatriar dinheiro para os EUA para evitar a elevada tributação desses valores. Por isso, a reforma tributária pode permitir que a empresa coloque o dinheiro em uso”, dizem os analistas, no relatório.

Segundo Citi, a Apple mantém mais de 90% de seu dinheiro fora dos EUA, então a empresa poderia se beneficiar se fizesse uma repatriação única. “Com uma taxa de 10% sobre o dinheiro, a empresa teria 220 mil milhões de dólares para aplicar em aquisições”. Ai que entra o Netflix ou mesmo a Disney.

A Apple tinha de 20 à 30% de chance de adquirir a Disney, porém isso foi antes da aquisição pela Disney dos ativos de estúdio e TV da Fox. Ou seja, isso provavelmente não ocorrerá.

A Apple tem lutado há anos para oferecer uma oferta atraente para a TV. O iTunes tem sido um grande sucesso para a empresa, mas os telespectadores migraram cada vez mais para serviços como Netflix, Amazon ou Hulu para assistir seus programas e filmes favoritos. Comprar o Netflix seria algo importante para consolidar a empresa nesse ramo.

Leiam também:  Sony Xperia SL é confirmado. Apenas um Xperia S com overclock

Via Business Insider

materia completa
Noticias

Chinesa VIVO irá lançar primeiro leitor de digitais na tela amanhã

Vários documentos já apontavam que a chinesa Vivo iria lançar o primeiro smartphone com leitor de digitais na tela. Ao…

Vários documentos já apontavam que a chinesa Vivo iria lançar o primeiro smartphone com leitor de digitais na tela. Ao que parece, isso vai acontecer amanhã na CES 2018. A empresa enviou um convite para a imprenssa mostrando claramente do que se trata.

A Vivo publicou uma imagem teaser com o slogan “Desbloquear o futuro” e prometeu desvendar o primeiro smartphone com um leitor de impressão digital na tela em 10 de janeiro. Interessante é que será mostrado, provavelmente, um smartphone pronto e não um protótipo.

Embora possa ser o primeiro, ele talvez não seja o único a ser lançado na CES. A empresa Synaptics também prometeu um telefone com leitor de impressões digitais na tela durante o evento. Só não se sabe se trata de um aparelho comercial, ou apenas um conceito.

Leiam também:  LG Optimus G E975 começa a ser atualizado para o Kitkat oficialmente
materia completa
Noticias

Drone de brinquedo de US $ 99 possui tecnologia da Intel e DJI

A chinesa DJI, mais conhecida pelo Spark e Mavic Pro, decidiu fazer uma parceria com a Ryze Tech para criar…

A chinesa DJI, mais conhecida pelo Spark e Mavic Pro, decidiu fazer uma parceria com a Ryze Tech para criar um modelo de apenas US$ 99. O Tello tem foco no aprendizagem de programação e ainda conta com tecnologia Intel embarcada.

O Tello, feito pela startup chinesa Ryze Tech é um drone acessível com tecnologia da Intel e DJI que tem como foco ensinar programação para crianças e adultos. Custando US $ 99, o Tello é uma pequena máquina com uma câmera que pode capturar vídeo de 360 ​​graus e transmitir imagens ao vivo para um tablet ou um óculos VR, que não foi informado ainda qual.

Destina-se a um público jovem, e a Ryze promete recursos que o tornarão seguro e fácil de usar, incluindo decolagem e pouso automáticos. Ele diz que esses recursos são possíveis por causa de um chip de processamento grafico da Intel e estabilização de vôo da DJI, detentora de 70% do marketshare de drones no mundo.

O Tello é bem compacto, mede apenas pesa apenas 98×92,5×41 mm e pesa cerca de 80 gramas. Ele pode voar por até 13 minutos a uma velocidade de 28,8 km/h e uma distância de 100 metros, transmitindo imagens ao vivo em HD (720p). A câmera integrada tira fotos de 5 megapixels.

Há alguns recursos bacanas: você pode simplesmente jogar o Tello no ar para que ele comece a voar; deslizar o dedo na tela do aplicativo para fazer manobras aéreas; e gravar vídeos com trajetórias pré-definidas. Todo o controle é feito por meio de Bluetooth, seja por meio de um aplicativo no smartphone ou um controle dedicado.

O Tello pode ser usado por crianças, pois ele possui detector de colisão, proteção nas hélices e sistema contra falhas, permitindo pousar com segurança mesmo se a conexão for perdida. E, por meio do kit de desenvolvimento, é possível programá-lo com a linguagem Scratch.

Leiam também:  Android crescerá 169% nos EUA em 2010

Via The Verge

materia completa
Noticias

5 melhores smartphones para jogar atualmente

Os dias em que o celular era usado apenas para realizar chamadas e enviar mensagens SMS já se passaram. Segundo…

Os dias em que o celular era usado apenas para realizar chamadas e enviar mensagens SMS já se passaram. Segundo o provedor de inteligência de mercado NewZoo, em 2017, o setor de jogos de dispositivos móveis espera um aumento de 42% da renda global de mercado de jogos, acumulando mais de 120 bilhões de reais (BRL). Com cada vez mais jogos para dispositivos móveis, desde a indústria de cassino para dispositivos móveis se aproximando cada vez mais da jogabilidade portátil até simuladores de construção, como Fallout Shelter da Bethesda e muito mais, os desenvolvedores de telefone trabalharam muito para desenvolver a tecnologia para atender à crescente demanda de jogadores de portáteis, com alguns tendo mais sucesso que outros. Estamos aqui para conferir alguns dos melhores smartphones para jogar no mercado, com o nosso objetivo sendo encontrar para VOCÊ o melhor telefone para jogar em 2017.

Ao procurar smartphones para jogar para comprar, há vários fatores importantes que devem ser considerados. Dentre eles:

  • Um processador potente
  • Uma tela de tamanho razoável com resolução decente
  • Espaço de armazenamento e unidades de expansão
  • Vida útil da bateria
  • Alto-falantes e/ou entrada de áudio
  • O desempenho integrado que aprimora os aplicativos é sempre um ótimo bônus, apesar de não ser necessariamente um requisito, pois há diversos aplicativos no mercado de aplicativos móveis que realizam funções semelhantes

Agora que sabemos do que bons smartphones para jogar precisam, vejamos alguns dos dispositivos que fornecem as melhores experiências de jogo:

  1. HTC 10

htc 10 jogos
Créditos da imagem: HTC

Dentre nossa lista de melhores smartphones para jogar, quem fica na quinta posição é o HTC 10. O HTC 10 possui um processador Snapdragon 820 e uma CPU de quatro núcleos por trás de uma tela de 5,2 pol. de 1440x2560p, sendo uma das telas mais responsivas da HTC já lançadas. Para compensar o processamento superior, o HTC possui uma bateria de 3.000mAh com Carregamento Rápido 3.0, permitindo que os jogadores possam voltar à ação ainda mais rápido, carregando até 50% em apenas 30 minutos. Combine isto com o sistema de gerenciamento de aplicativos próprio da HTC, o Boost+, que permite que jogadores ajustem o dispositivo para oferecer ainda mais capacidade de jogabilidade e você terá um dispositivo excepcionalmente poderoso com quase a metade do preço das nossas duas melhores escolhas.

  1. Motorola Moto Z2 Play

moto z2 play melhor celular para jogos
Crédito da imagem: Motorola

 

Leiam também:  Como anda o mercado mundial mobile? confira o infográfico

Equipado com um poderoso processador Qualcomm Snapdragon 625, tendo 8 núcleos e uma frequência de relógio máxima de 2,2 GHz, o Moto Z2 é certamente potente suficiente para executar aplicativos de jogos, apesar de não ser o único motivo de ter chegado nesta lista. Combine o Z2 com o Moto Gamepad, que se conecta a qualquer smartphone da família Moto Z, e você terá um console móvel completamente funcional no seu bolso. Com dois analógicos de controle, setas direcionais e quatro “botões de ação tática”, o módulo conecta-se diretamente ao dispositivo, significando que não haverá nenhuma lentidão de conexões sem fio. Potencializando este complemento, há uma bateria de 1.035 mAh independente (isto ultrapassa uma bateria de 3.000 mAh no próprio telefone). O Moto Z2 pode não ser tão poderoso quanto um iPhone 7 ou um Samsung S8, para jogadores com um determinado orçamento, é certamente uma escolha confiável.

  1. Sony Xperia Z5

xperia z5 celular jogos
Créditos da imagem: Sony

Mais uma opção entrando para o mercado de jogos bem-sucedido é o Xperia Z5 da Sony. Capaz de se conectar a outros dispositivos da Sony em sua casa, os jogadores podem transmitir jogos do PlayStation 4 direto para o celular e até mesmo jogar usando um controle Dualshock 4 conectado. No entanto, esta funcionalidade não deve diminuir o telefone em si. Com uma tela de 5,2 pol. com um processador Snapdragon 810, e 3GB de RAM, o Xperia Z5 não é inferior quando se trata de desempenho sob pressão. Lançado inicialmente em 2015, significa que, apesar de o dispositivo não ser tão poderoso quanto alguns telefones mais novos no mercado, você pode adquiri-lo com um preço inferior, ou seja, podendo gastar mais dinheiro em jogos propriamente ditos. 

  1. iPhone 7

iphone 7 celular jogos
Créditos da imagem: Appleapple

Quando o assunto são telas de ótima definição e processadores potentes, é difícil superar o iPhone da Apple e o iPhone 7 e 7S não são uma exceção. A tela de LCD Full HD de 1080x1920p demonstra sua potência com uma CPU A10 Fusion de quatro núcleos que, combinada com o iOS da Apple, oferece um desempenho extremamente impressionante na maioria dos aplicativos.

  1. Samsung Galaxy S8

galaxy s8 celular jogos
Créditos da imagem: Samsung

Apesar de todos os dispositivos nesta lista estarem equipados para enfrentar o desafio de oferecer desempenho para jogos decente, o novo S8 e S8 plus da Samsung leva os jogos de celular para patamar completamente novo. Com um processador Qualcomm Snapdragon 835 de oito núcleos, 4GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno, o Samsung S8 possui o primeiro processador de 10nm do mundo, que não só supera todos os rivais, mas com 20% de potência a menos. Combine esta potência de computação com uma GPU que a Samsung diz ser 50% mais capaz do que os modelos anteriores, significando que até mesmo os aplicativos com os gráficos mais intensos devem rodar suavemente. A capacidade de o dispositivo se conectar a dispositivos de armazenamento externo significa que o seu espaço nunca acabará e, a verdadeira cereja do bolo, com o Samsung DeX, é possível conectar o seu Galaxy S8 ou S8+ a um monitor, teclado e mouse para ter uma experiência completa de computador de mesa.

Leiam também:  Pegando o limão para tentar fazer uma limonada.

materia completa