Instagram pode liberar hoje vídeos de 10 minutos

Instagram IGVT

Já faz um tempo que rumores sobre o Instagram aumentar o tempo dos vídeos correm na internet. Muitos deles apontavam o lançamento para hoje (20/6).Segundo o Techcrunch, esse novo hub de vídeos se chamará IGTV e só será para celebridades da internet.

O novo hub de vídeo do Instagram irá aparecer na guia explorar do aplicativo e apresentará vlogs de até 10 minutos. Anteriormente os rumores apontavam para até 1 hora, mas provavelmente isso ficará para o futuro. Nesse momento tudo será um teste para melhorias no futuro

Não será liberado para todos, ainda.

O Techcrunch diz que na semana passada executivos do Facebook se reuniram com criadores de conteúdo on-line para incentivá-los a filmar vídeos de até 10 minutos. Estavam presentes no encontro celebridades da Internet ao invés de grandes editoras e estúdios de TV.

São esses criadores de conteúdo que definirão o estilo e o padrão para o hub de vídeos que os futuros criadores de IGTV terão que imitar. Se for verdade, o novo hub colocará o Instagram em competição direta com o YouTube, em vez de serviços de streaming como Netflix e Hulu.

Sobre como os criadores de conteúdo ganharão com o hub, os vídeos do IGTV terão opções de links imbutidos, algo como o que já acontece nos posts do stories atualmente. Nesses links os criadores direcionarão trafégo para seus sites ou lojas.

Mas não para por aí, o Instagram aparentemente está planejando oferecer monetização no futuro, mas há detalhes a serem definidos. Vale lembrar que se esse encontro foi, aparentemente, nos EUA. Não se sabe se o hub de vídeos do Instagram também estará disponível em outros países.

Pesquisa diz que Claro tem o 4G mais rápido do Brasil, TIM maior cobertura

4G

A Open Signal realizou uma pesquisa no Brasil e concluiu que a Claro tem a internet 4G mais rápida por aqui. Já a TIM possui a melhor cobertura 4G. A pesquisa foi realizada em cima do primeiro semestre de 2018. Confiram abaixo os detalhes.

Claro tem a melhor velocidade 4G do Brasil

A Claro teve uma média, segundo a pesquisa, de 28 Mbps de download. A vantagem sobre a média da segunda colocada, Vivo, é de 27% que marcos apenas 20 Mbps.

A pesquisa usa os dados obtidos dos próprios usuários que utilizem o site deles para fazer medições de velocida – não existe só Speed Test no mundo. Ao todo, foram 6,4 bilhões de testes realizados no site, vindos do Brasil. Foram utilizados 272 mil dispositivos diferentes para realizar a medição.

A Claro também tem a maior velocidade 3G e a maior velocidade de Upload, segundo a pesquisa.

TIM tem a melhor cobertura 4G do Brasil

Quanto a cobertura, a qual a TIM foi melhor, a operadora atingiu 75,87% de disponibilidade do sinal 4G para seus usuários. A margem é muito boa, matematicamente falandoisso significa que a cada 1000 acessos, cerca de 750 deles conseguem utilizar o 4G, embora a velocidade média da operadora seja de cerca de 13 Mbps apenas.

tim maior cobertura 4g

Isso confirma as informações que a própria TIM divulgou recentemente a imprenssa sobre a maior cobertura.

Em segundo lugar empatam a Claro e a Vivo que conseguem entregar o 4G em 62% das vezes que os usuários tentam.

Fonte: OpenSignal

Review Xperia XA2: Será o matador do Moto G6 Plus?

O Xperia XA2 é o novo intermediário da Sony. Custando cerca de R$ 1,6 Mil, ele veio para disputar mercado com um concorrente queridinho do Brasil: o Moto G6 Plus. Será que ele é um smartphone a altura? É isso que iremos ver nesse review do Xperia XA2.

Design e construção

A Sony é famosa pelo excesso de bordas. A linha XA desde o primeiro lançamento tinha por característica a ausência de bordas laterais. No Xperia XA2 continua assim. Com um visual quase sem bordas laterais, a principal característica desse aparelho é sua pegada.

É o smartphone mais confortável de usar que testei nos últimos anos. Ele não é excessivamente estreito, tem 9.7 mm de espessura. Mas quem acha ele muito espesso, saiba que o seu visual curvilíneo é perfeito, pois as extremidades são mais finas e ele vai, aos poucos, engrossando o que dá um encaixe perfeito na palma da mão.

Na parte de construção temos o aro de metal e a traseira é de plástico. Mas é um plástico de excelente qualidade e com a junção com o metal perfeita. Fato é que tem muita gente, inclusive nos comentários do Unboxing que fizemos dele, achando que é de metal.

Outro detalhe que gostei é que as partes superiores e inferiores são retas, sendo que o aparleho consegue ficar de pé nas superficies. Não é exatamete um visual novo, pois remete muito aos antigos Lumias.

Ele tem porta USB tipo C e o conector de fone de ouvido na parte traseira.

Claro que não seria Sony se não tivesses bordas em excesso. No caso dele, as bordas superiores e inferiores são grandes. Mas não achei que atrapalha em nada seu uso, além disso deixou ele com o visual mais alongado, compensando assim, visualmente falando, a tela com formato 18:9.

Tela

A tela  dele é uma tela tradicional no formato 16:9 e tem 5,2 polegadas. A resolução é ful HD e a tecnologia é a IPS, sempre muito bem otimizada pela Sony. Na prática tem um excelente brilho mesmo debaixo do sol. Isso significa que dá para usar mesmo em um dia ensolarado.

Esse é meu tamanho preferido de tela, e esse também é um motivo que o torna um smartphone tão confortável de se usar, mesmo com apenas uma mão.

Além disso , mesmo olhando de lado, em qualquer ângulo as cores não distorcem.

Review Xperia XA2 – Hardware e desempenho

Ele tem um legitímo processador de intermediário: um Qualcomm Snapdragon 830. Porém no resto a Sony economizou. São apenas 3 GB de memória RAM e 32 GB de armazenamento interno com suporte a cartão micro SD para expansão. Porém o slot é hibrido: ou você usa 2 SIM cards ou 1 SIM Card mais o cartão micro SD.

Na faixa de preço dele, todos os smartphones costumam ter 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno. Pelo menos a Sony dá um cartão de 32 GB na compra.

No geral o desempenho é excelente para a categoria. A Sony costuma mandar bem na otimização do software. A multitarefa funciona muito bem e ele é muito rápido, sem engasgos ou lags nas transições. Além disso, ele roda qualquer jogo da Google Play hoje, sempre com os gráficos no médio ou máximo.

Bateria

A bateria do Xperia XA2 é uma de suas principais caracterísitcas. Com 3.300 mAh ele garante um dia de uso sem problemas.

Em um dia de trabalho meu comum, tirando ele da tomada as 7 hrs, quando cheguei em casa as 7 ainda estava com 23% de bateria, o que é excelente para meu perfil de uso. Comparando com o concorrente Moto G6 Plus, no geral, a bateria dura 30% mais.

De tela, no nosso teste onde deixamos ele rodando Netflix sem parar, com todas as conexões ligadas e brilho no máximo, ele fez 6 horas de tela, contra 4:30 do G6 Plus.

Um ponto negativo onde, mais uma vez a Sony economizou, foi o carregador. Mesmo tendo suporte ao Quick Charge 3.0, ele vem com um carregador comum, sem suporte a carregamento rápido. Com isso ele demorar 2:30 para carregar por completo.

Na parte sonora ele se sai bem, o som não é steréo, embora tenha um alto falante em cima para chamadas, mas para som só é usado o de baixo.

Lembrando que ele está sendo vendido atualmente com um headphone Sony MDR-ZX310 que custa na faixa de R$ 80 e um cartão de memória de 32 GB, ambos “gratuitos” no pacote.

Câmeras

A câmera principal do Xperia XA2 é de 23 MP e, infelizmente, tem abertura de f2.0. É uma câmera, é o mesmo conjunto ótico que equipou o Xperia Z5, topo de linha em 2015 e 16.

Na prática ele consegue excelentes fotos durante o dia. Possui um bom alcance dinâmico e uma riqueza de detalhes enorme. As vezes senti um pouco falta de constraste nas fotos, mas no modo manual dá para ajustar isso.

No modo automático não tem como ativar o HDR manualmente, pelo que entendi o software escolhe quando usar. Já no modo manual dá, porém me parece apenas uma turbinada no constraste, não melhorando o alcance dinâmico como deveria.

Durante a noite as fotos ficaram melhores do que eu esperava, dada sua abertura de f2.0. Porém, mesmo assim, fica inferior aos concorrentes que já contam com sensores de 1.8 ou 1.7. As fotos só ficam aceitáveis graças ao trabalho de sofware da Sony. Porém, se você der um zoom nas imagens, nitidamente possuem bastante ruidos e borrões.

Ele grava vídeos em full HD a 30 e 60 fps, e 4K em 30 fps. Além disso também filma em câmera lenta.

A câmera frontal, embora tenha uma abertura super pequena de f2.4, traz bons resultados. Além disso ela é grande angular de 120 graus, o que é bem legal para tirar fotos com bastante gente ou mostrando o cenário ao fundo. Ela tem 8 MP e tem um excelente desempenho durante o dia com bastante detalhes, a noite é razoável.

Vale a pena?

Custando na faixa de R$ 1.600, na mesma faixa do Moto G6 Plus, é dificil indicar o Xperia XA2. Ele tem vários aspectos bons como o excelente acabamento e constução e design compacto, que me agrada muito. As câmeras são boas, não excelentes e tem uma excelente bateria.

Pesa contra o preço e o armazenamento de 32 GB. Mas para quem é fã da Sony, ele vai dar conta do recado e, principalmente, para aqueles que não querem um telefone muito grande como o Moto G6 Plus ou Samsung J7 Pro.

 

 

Como instalar o Android 8 Oreo no seu PC gratuitamente

android 8 oreo no PC

Existem diversas maneiras de rodar aplicativos do Android em um PX, seja no Windows, Mac ou Linux. Mas nem todos são confiáveis e fáceis de usar. Então se você procura uma solução segura e gratuita para rodar o Android no seu PC X86 ou X64, o Android-x86 baseado no Android 8.1 Oreo é a melhor opção.

O Android-x86 é, na verdade, um dos poucos projetos de código aberto para instalar o Android em um computador comum. A maioria de outras soluções são pagas. Evidentemente, o Android-x86 pode estar às vezes atrasado em termos de recursos avançados, mas em troca, é prometida uma versão limpa, segura e aberta do Android projetada para PCs.

Android-x86 8.1 RC 1 é o primeiro lançamento público do projeto baseado no Android 8.1 Oreo. Ainda não é o lançamento final, mas sim um release candidate próximo da final. Essa versão traz naturalmente recursos do Android O, como processos em segundo plano mais eficientes, notificações mais inteligentes, seleção de texto inteligente e muito mais.

O projeto também adiciona suas próprias características especiais, naturalmente. O Android-x86 agora suporta a inicialização e instalação em sistemas UEFI. Ele também tem suporte mais amplo para hardware, como telas multitoque, áudio, Wi-Fi, Bluetooth, câmera e muito mais. Ele tem suporte para o modo de janela de forma livre, o que significa que você pode tratar aplicativos como janelas comuns em uma área de trabalho e um ativador da barra de tarefas que fica no topo da barra de navegação padrão para proporcionar uma experiência de desktop mais familiar.

Instalar o Android X-86 não é um bicho de 7 cabeças, lá no site deles ensina passo a passo.

Xiaomi Mi A2: Vazamento revela tudo o que você precisa saber

Sabemos que a Xiaomi não é muita fã do Android Puro, pelo contrário, a MIIUI é totalmente modificada. Mas quando o Xiaomi Mi A1 foi lançado rodando o Android One, a surpresa foi grande. Isso fez dele um sucesso mundial de vendas. Então não se espera menos que isso no Xiaomi Mi A2. Agora sabemos tudo sobre ele.

Leiam também |  motivos para comprar o Xiaomi Mi A1

Dado o hardware quase padrão dos telefones atualmente, além da tendência de os dispositivos Android One estarem nos níveis médios a baixos, não há nada exatamente surpreendente na folha de especificações do Mi A2. É, no entanto, talvez reconfortante notar que a Xiaomi adotou o design de tela 18: 9, mas não ira colocar um notch nela.

Xiaomi Mi A2 – Ficha Técnica

De acordo com o digitec , o Mi A2 virá com especificações mais poderosas, fazendo ele subir de nível, de intermediário para um intermediário premium. Segue a ficha técnica:

  • Processador Snapdragon 660;
  • 4 GB de RAM;
  • 32, 64 ou 128 GB de armazenamento interno;
  • Tela de 5,99 polegadas 18:9 e resolução full HD+ (2160 x 1080 px);
  • Câmera traseira dupla de 20 + 12 MP;
  • Câmera frontal de 20 MP.

Em termos de design, é praticamente o mesmo que o Mi A1, exceto por um detalhe: Agora a câmera dupla do Mi A2 está disposta verticalmente no canto, como no Xiaomi Mi8

De acordo com a listagem, o Xiaomi Mi A2 de 32 GB custará 289 CHF, cerca de R$ 1.086 em conversão direta sem impostos. Já a versão de  64 GB e 128 GB custarão 329 CHF (R$ 1.236) e 369 CHF (R$ 1.382), respectivamente.

O Xiaomi Mi A2 virá em opções de cores preto, azul e dourado. O Xiaomi Mi A2 está programado para ser lançado em Agosto.

Como usar o Instagram no celular sem aplicativo instalado

instagram sem aplicativo

Sabe aquela linda foto que você tirou com sua câmera e quer colocar no Instagram, mas você por algum motivo está sem o aplicativo instalado e não consegue instalar? Saiba que tem como postar fotos no Instagram sem estar com o aplicativo. Vamos te ensinar agora como postar no Instagram sem o aplicativo.

É interessante que o processo envolve o site oficial do Instagram. Veja abaixo o passo a passo de como postar no Instagram sem celular e aplicativo.

Como usar o Instagram no celular sem aplicativo instalado

  1. A primeira coisa é ir no site instagram.com no navegador do celular e faxer login;
  2. Aperte o ícone de câmera do site na parte de baixo da tela, no caso do Android, ou na parte de cima no caso do iPhone;
  3. Escolha a melhor forma de fazer o upload de sua imagem;
  4. Faça as suas edições, caso precise;
  5. Toque em “avançar”, escreva sua legenda e depois compartilhe com seus amigos.

O único porém nesse método é que não temo como utilizar os famosos filtros do aplicativos, mas ai basta antes de postar editar em outro app de edição de imagens. Além disso, no site on-line não tem como postar ou mesmo acessar o stories dos seus amigos, o mesmo para vídeos e mensagens diretas.

Vale lembrar que se acessar pelo PC não vai funcionar. As funções do site para PC se limitam a comentar e curtir fotos dos amigos, não há como postar fotos ou visualizar as Stories.

Dica de compra: Moto Z3 Play por R$ 1.820

O Moto Z3 Play acabou de ser lançado custando R$ 2.199. Um preço um tanto salgado. Porém hoje ele está R$ 1.820 no Submarino em uma promoção relâmpago.

Basta clicar nesse link. Seu processador é o Snapdragon 636, 30% mais rápido que o anterior 630. Infelizmente nesse preço mereceria pelo menos Snapdragon 660. Ele vem com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno. Além disso há uma versão com 6 GB e 128 GB de armazenamento interno. A bateria continuou com 3.000 mAh, ainda menos que os 3510 mAh da primeira, e elogiada, versão. Ele roda Android 8.0 Oreo.

Na traseira, ele tem uma câmera de 12 megapixels com abertura f/1,7 e outra de 5 MP para desfocar o fundo. O Z3 Play continua com resistência a respingos, mas perdeu o conector de 3,5 mm, que ainda sobrevivia no Moto Z2 Play. Agora, será necessário usar um adaptador USB-C ou um fone de ouvido Bluetooth.

 

Zenfone 5Z estreia mais barato que OnePlus 6 na Europa

zenfone 5 destaque

A ASUS anunciou no começo do ano o Zenfone 5Z, novo smartphone topo de linha da empresa. O destaque fica por conta do hardware e, para bem ou mal, o notch na tela. Hoje ele entrou em pré venda no mercado europeu, com um preço surpreendente.

A versão mais “fraca” com 6 GB de RAM e 64 GB de armazenamento começou a ser vendido na França e Itália por 499 euros (R$ 2.180, em conversão direta). Quem comprar em pré-venda ainda ganhará 50 euros de desconto (R$ 218, em conversão direta).

zenfone 5z franca

Na França há ainda a versão mais potente com 8 GB de RAM e incríveis 256 GB de armazenamento interno, chega custando 600 euros (R$ 2.616, em conversão direta), sendo que há os mesmo 50 Euros de desconto na pré-venda.

Para efeito de comparação, seu concorrente direto no mercado asiático, o OnePlus 6, é vendido oficialmente na Europa por 520 euros (R$ 2.267, em conversão direta) na versão mais básica igual ao Zenfone 5Z, com 6 GB de RAM e 64 GB de armazenamento.

Vale lembrar que o Zenfone 5 será anunciado no Brasil em breve, embora ainda não tenhamos uma data específica. Quanto a versão 5Z ainda é uma incógnita, mas com esse preço dá para imaginar que ele virá.

TIM começa a operar 4G 700 MHz no Rio de Janeiro, Goiânia e Curitiba

TIM

Continuando a expansão de sua rede 4G em 700 MHz, a TIM anunciou hoje que começou a operar em 3 novas capitais: Curitiba, Goiânia e Rio de Janeiro. Agora são 1.088 cidades utilizando essa frequência. 

Vale notar que a TIM diz ter a maior cobertura brasileira em 4G: 3.125 cidades. Além do 700 MHz, ela também opera nas frequências de 1.800 MHz (banda 3) e 2.600 MHz (banda 7).

Mas qual a vantagem de utilizar a frequência de 700 MHz frente as outras? É bem simples de entender. Quanto mais baixa a frequência, mais forte é o sinal. Com isso, a TIM consegue operar melhor, por exemplo, em lugares onde as outras frequências tem dificuldades como ambientes internos. Além disso, com o maior alcance, ela economiza em antenas.

Vale lembrar também que essa frequência era usada para TV analógia, sendo assim a cobertura é gradual e acompanha o desligamento da TV analógica e adequação das emissoras para a TV digital e que as mesmas evitem interferências. São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre ainda não estão operando com o 700 MHz, mas em breve começarão.

Além da TIM, a Claro e a Vivo já operam com 4G em 700 MHz no Rio de Janeiro. A Oi ficou de fora no leilão da frequência e opera apenas com 2.600 MHz e, em menor volume, com 1.800 MHz.

Moto Z3 Play vs Moto G6 Plus: qual comprar?

A Motorola lançou recentemente dois membros de suas principais famílias de smartphones: o Moto G6 Plus, o mais potente da linha intermediária e o Moto Z3 Play, aparelho intermediário premium, acima do Moto G6 Plus. O problema é que ambos são semelhantes em vários aspectos, porém a diferença de preço é grande. Qual será que vale a pena? Vejam nosso comparativo do Moto Z3 Play vs Moto G6 Plus.

Leiam tambémReview Moto G6 Plus, ainda o queridinho do Brasil?

É bom frisar que, obviamente, o Moto Z3 Play é superior na maioria dos aspectos. O motivo do comparativo é analisar se essas melhoras fazem tanta diferença assim, para justificar a diferença de R$ 600 no preço. Ou se o G6 Plus consegue fazer tudo o que o Moto Z3 Play custando bem mais barato.

Moto Z3 Play vs Moto G6 Plus – Design e construção

A principal diferença entre o Moto Z3 Play vs Moto G6 Plus, provavelmente é na construção e no desenho. Na traseira ambos compartilham o vidro, um downgrade em relação as suas versões anteriores que eram de metal. Mas no Moto G6 Plus é mais refinado.

Temos um vodro com efeito 3D e ainda curvas acentuadas na lateral que garante um melhor encaixe na mão. Ele é mais fácil e confortável de usar. O Moto Z3 Play é um vidro reto. O motivo é o encaixe dos Moto Snaps.

Porém na lateral, o Moto Z3 Play se sobressai pois usa metal enquanto o Moto G6 Plus é mais frágil ao usar plástico no aro.

Além disso, na parte frontal, o Moto G6 Plus é um pouco estranho já que na parte inferior tem um sensor estreito para caber o estranho logo gigante da Moto. Um erro de design. Já o Moto Z3 Play, embora também tenha o logo, a borda inferior é menor pois o leitor biométrico foi para a lateral.

Ponto para o Z3 Play por ser mais resistente. A questão estética se divide na traseira o G6 Plus e na frente o Z3 Play, mas gosto é gosto.

Moto Z3 Play vs Moto G6 Plus – Tela

Temos aqui duas telas praticamente do mesmo tamanho. 6,01 polegadas no Z3 e 5,9 no G6 Plus. Na prática a diferença é  nula, não dá para perceber.

Mas na qualidade a história é outra. Temos aqui uma tela de Super AMOLED que tem uma excelente qualidade no Moto Z3 Play. A tela do Moto G6 Plus também é boa, mas mesmo sendo de IPS achei um pouco opaca as cores sendo que, normalmente, tende a ficar em tons frios.

Dá para melhorar nas configurações, mas nesse confronto entre Moto Z3 lay vs Moto G6 Plus, no quesito tela, a superioridade do modelo mais caro é evidente. O preto é profundo e o brilho é bem mais forte. Em um dia ensolarado, no Moto Z3 Play o usuário não terá problemas, mas no Moto G6 Plus terá um pouco de dificuldade. Ponto para o Z3 Play.

HMoto Z3 Play vs Moto G6 Plus – Hardware e desempenho

O Moto Z3 Play vem com o SoC Snapdragon 636, enquanto o Moto G6 Plus vem com o antecessor: o Snapdragon 630.

Tecnicamente falando o 636 é mais avançado. Ele utiliza núcleos Kyro 260, mais moderno que os Cortex A53 da ARM. Eles oferecem até 40% a mais de perfomance que o A53 e, teoricamente, o mesmo consumo energético. Além disso, a GPU Adreno 509 é ligeiramente melhor que a 508.

No Antutu dá para notar, pois a pontuação realmente fica em torno de 40% superior ao 630. Na execução de jogos também dá para perceber um pouco mais de fluidez e carregamento mais rápido.

Tudo isso é tecnicamente falando, mas e na prática, faz diferença? Em 90% dos casos não. A velocidade, multitarefa e outras tarefas básicas não haverá diferenças. Em jogos, também não vai fazer tanta diferença, embora melhor, o Z3 Play assim como o Moto G6 Plus não são focados nisso. Isso é foco de topo de linha.

Mas dentro da parte de hardware, há alguns fatores que pesam mais em prol do Moto G6 Plus.

O primeiro é a bandeja que não é hibrida. Dá para usar dois SIM Cards e um cartão de memória. No Z3 Play não, o usuário tem que escolher.

O segundo ponto é a saída de fone de ouvido. A Motorola tirou do Z3 Play, enquanto no G6 Plus está presente. Esses são dois fatores que eu acho mais importante que a diferença minima de desempenho na prática.

Do lado do Moto Z3 Play há os snaps. Eu particularmente acho bem legal eles, porém não são baratos. Mas quem quer esses upgrades, ou já possui snaps e não quer perder. Isso também vai pesar.

Moto Z3 Play vs Moto G6 Plus – Bateria

A bateria do Moto G6 Plus é maior: são 3.200 mAh contra 3.000 mAh do Z3 Play. Ambos possuem carregador Turbo Power. O carregamento é igual.

A linha Z Play pe conhecida pelo seu desempenho energético, e o Z3 mantém a fama. Mesmo com uma bateria menor ele foi melhor em todos nossos testes.

No uso cotidiano, no  meu dia de trabalho. Ambos aguentam sem problema um dia todo mesmo em um uso pesado. Mas o Z3 Play, no geral, consegue um desempenho melhor. No mesmo dia de trabalho meu, fazendo tudo igual, as 7 da noite o G6 Plus chegou com 14% de bateria, enquanto o Moto Z3 Play estava com 32%.

No teste de tela, colocando os dois aparelhos para reproduzir vídeos sem parar, com brilho no máximo e todas as conexões ativas. O Moto Z3 Play fez 8:30 minuto, contra apenas 4:46 do Moto G6 Plus. Ai vemos como uma tela de AMOLED faz diferença, são 80% a mais de bateria.

Câmera

Ele possuem um conjunto semelhante de câmeras: Dois sensores, sendo um de 12 MP com abertura de f1.7 e o outro de 5 MP com abertura f2.2.

No geral, os resultados são muito semelhantes com luz boa. NMas em baixa luz, o Z3 Play é melhor. Mas não na qualidade do sensor, já que é o mesmo. Mas pelo fato do Z3 Play tem PDAF, a laser enquanto o G6 Plus só tem o tradicional foco por constraste.

O foco a laser ém muito mais rápido, por isso fotos a noite ficam melhores, pois normalmente no G6 você precisa ficar sem se mexer e esperar ele focar. Como no Z3 Play o processo é bem mais rápido, na maioria dos casos as fotos sairão melhor com puca luz.

Já na câmera frontal a diferença é mais gritante. Embora ambos possuam 8 MP, o Z3 Play tem abertura maior, f2.0 vs f2.2. Durante o dia a história se repete, as fotos ficam semelhantes, pouca coisa mais detalhadano Z3. Mas com pouca luz,  nem precisa se a noite, o Z3 Play se sai muito melhor. O G6 Plus tenta corrigir a ausência de luz por software, e as imagens no geral ficam lavadas e sem detalhes.

Mesmo o G6 Plus tendo flash frontal, o recurso de flash utilizando o brilho na tela do Moto Z3 Play se mostra mais eficiente. Pois no G6 Plus a foto fica com tonalidade estranha, já no Z3 Play fica mais natural e com mais detalhes.

Na gravação de vídeo a qualidade é a mesma, porém a estabilização do Z3 Play também é melhor.

Som

Na parte sonora, nenhum deles tem saída estéreo. Mas o Moto G6 Plus é melhor. O som é mais alto, com graves mais acentuados e menos estridente que no Z3. Lembrando que ele traz a tecnologia Dolby Atmos e o Z3 Play não.

Moto Z3 Play vs Moto G6 Plus. – Vale a pena?

No geral, o Moto Z3 é melhor conforme já disse. Porém as diferenças não são tão grandes. No processamento é minima. Na câmera só e melhor a noite.

O que pesaria em minha opinião para o Z3 Play é sua bateria cerca de 15% melhor e e seu acabamento com laterais de metal. A tela é bem  melhor, mas não interfere no uso final tanto assim.

Por outro lado, no G6 Plus temos a gaveta hibrida e a saída de fone de ouvido.

Mas R$ 600 não acho justificável, é muito dinheiro. Então minha indicação, sem dúvidas, é o Moto G6 Plus.