Real Time Analytics
Android

2 núcleos? 4 núcleos? 8 núcleos? são absolutamente inúteis, diz Elop

Hoje o Windows Phone 7 da Microsoft separa águas. Enquanto o Android e o iOS ficam disputando quantidade de núcleos de processadores (mais o Android) o sistema microsoftniano permanece firme e forte com smartphones utilizando apenas um núcleo, e acreditem, eles não perdem em nada em termos de velocidade. Para esquentar a briga, o Stephen Elop que é CEO da Nokia, a principal parceira da Microsoft e utilizadora do seu sistema, disse em entrevista para o jornal chinês Yangcheng Evening News que processadores multi-cores não são tão úteis e são apenas devoradores de energia.

Stephen_elop

Por mais que os fãs do Android achem a afirmação  absurda, se pararmos para pensar um pouco ela faz sentido. Muitos podem afirmar que com processadores de apenas um núcleo não seria possível jogar jogos como Shadowgun ou semelhantes, mas reparem que somente no Android há essa necessidade. O iPhone 4 por exemplo, roda jogos semelhantes e até melhores com apenas um núcleo em seu processador. Isso deixa claro que esses processadores são exigência do Android, ele é um sistema pesado e ponto final. A própria Microsoft já provou isso pois basta pegar o HTC Ultimate com seu processador de apenas um núcleo e notar que ele é extremamente rápido em tudo e raramente trava.

Leia também | Review do HTC Ultimate com Windows Phone 7

É fato que a Microsoft já está trabalhando em dar suporte a processadores de 2 núcleos, mas notem que isso será uma exigência do Windows Phone 8 que será mais completo e bem próximo do Windows 8 para desktop. Além disso ele deve chegar daqui um ano ou mais.

Mas há também o outro lado da moeda, o lado do Android. O sistema em si eu considero o melhor atualmente e acredito que a quantidade de núcleos que um processador tem não faz diferença para o usuário desde que o sistema simplesmente seja rápido. Se ele precisa disso, paciência, coloque quantos núcleos for preciso e faça ele funcionar perfeitamente para os usuários. Afinal, isso não altera o preço pois os tops com Windows Phone estão no mesmo patamar de preço que um Android dual-core.

Leiam também:  Sony Mobile apresenta o novo smartphone Xperia go resistente à água, riscos e arranhões

A única coisa que os fabricantes do Android e o próprio Google precisam urgentemente analisar, e também o que o Elop chamou a atenção, é o consumo de energia. Não adianta, aumento de clock em processadores é diretamente proporcional ao consumo de energia. Eu não sei como está o consumo de energia dos novos quad-cores, mas duvido que seja melhor dos que os atuais Androids com processadores dual-core, simplesmente péssimos.

E vocês, concordam que processadores multi-cores são tão inúteis assim como diz Elop?

Comentários
  • Acredito sim! No começo, a tendência é ficar um pouco cético em relação ao poder de processamento de um sistema que roda com sigle-core e outro que roda com dual-core, mas depois, ao raciocinar (vendo exemplos do iOS e depois do WP) vi que isso era pura ostentação de hardware desnecessária. O hardware pode controlar o software mas sim o inverso!

  • O próprio Android tem bons exemplos de aparelho que oferecem bom desempenho com 1 core, como o HTC Flyer e o Xperia Play. Considerando que o segundo é destinado a jogos, essa característica é ainda mais marcante.

    Há um detalhe que precisa ser visto. Ainda que tenham apenas 1 core, a parte de processamento gráfico fica principalmente a cargo da GPU, que internamente já pode ter vários cores. Com isso, pode-se esperar que o aparelho não precise tanto assim de desempenho para produtividade e um único core seja mantido.

    Sobre consumo de energia, o ex Tegra 3 e atual Tegra 4-PLUS-1 parece ter criar uma solução interessante. Mas às vezes nem isso é necessário. O próprio uso independentes dos cores, com frequências diferentes, permite um uso inteligente de energia. A diferença é que ele poderá consumir mais energia para entregar mais poder de processamento, quando for realmente necessário.

    Uma curiosidade: o Nokia N95 tinha 2 processadores. Só não me lembro se eles eram usados como os dual core de hoje ou se um deles tinha uma finalidade específica.

    • Boa, muita gente esquece da GPU (até eu no post, rsrsr). Quanto ao N95, não tenho certeza, mas se não me engano eles não eram usados simultaneamente como os modelos atuais, parece que um entrava em ação só no momento de engasgo mesmo. Porém não utilizava o clock multiplicado por 2. Acho que era MAIS OU MENOS isso.

      • Olha, essa do N95 ter 2 CPUs eu acho que é mito hein!

        Eu dei uma pesquisada rápida aqui e não achei nada sobre isso, mas pode ser que ele tenha um co-processador que cuide dos dispositivos de áudio, wireless, câmera, Bluetooth, IR, etc… Enquanto a CPU de 332MHz cuida do trabalho pesado, que é processar os aplicativos e jogos, como no Nintendo DS que tem duas CPUs: Uma para processar os jogos e a outra fica a encargo de processar o áudio, o wireless e a segunda tela (Se não estou enganado). =)

  • Eu quero um tablet com processador quad core…Assistir vídeos com qualidades acima de full hd,etc..
    Não gosto desse Elop..Se não existisse iphone nem Androids,o munda ainda seria dominado pela Nokia,com seu sistema fraco,e com pouquíssimo poder de processamento.Mas apareceu a concorrência e mudou tudo..
    Temos smartphones com qualidades de PC,até melhor q muito…
    Hoje os smartphones e tablets vendem mais q PCs….Isso tem um ótimo motivo(evolução )

  • Sinceramente? Eu não acho que ele esta errado, realmente smartphones com mais de 2 núcleos é pura balela pra quem mal sabe bater uma foto, mas no fundo eles (A Microsoft) estão é morrendo de dor de cotovelo, porque o Windows Phone 7 não suporta "Dual Core", não suporta resoluções muito altas e tem outras milhares de limitações que o Android, iOS e até o Symbian já deixaram pra traz por serem sistemas mais desenvolvidos.

    Também não vou dizer que o WP7 é um lixo, porque ele realmente faz maravilhas com processadores de 1GHz e 512 de Ram, tão fluido quanto o Android nunca vai ser… Mas, tudo tem seu preço. =)

    Minha opinião: Um processador simples de até 1.2 GHz esta de bom tamanho para a maioria das pessoas, sendo que essa maioria só usa o Smartphone para tarefas básicas do dia-a-dia, tais como twittar e facebookar o dia todo e bater algumas fotos de vez em quando; Dual Core esta de bom tamanho para qualquer entusiasta atualmente, mesmo porque nem existem aplicações que necessitam mais de 1 núcleo para rodar bem, a não ser filmes ou jogos que ainda assim rodam tranquilamente em qualquer Smartphone desde que o mesmo tenha uma quantia de RAM generosa e uma boa GPU;

    Quad Core? Só se for em tablet, onde o uso seria algo mais próximo ao de um PC, ainda mais com o Ubuntu chegando ai…

  • Ele esta meio certo.
    Ele tem razão de que os processadores de dois nucleos não estão totalmente otimizados com o android.
    Basta ver o Tegra 2 no android 3.2.
    Mesmo com 1 Ghz dois nucleos e + 1 GB de memória DDR3 ele ainda trava.
    O android passa a sensação de estar em desenvolvimento.
    O IOS com um processador de apenas 1 nucleo faz muito mais e consome menos energia.
    Não adianta nada termos tablets e aparelhos quad core como o Tegra 3 e a bateria durar 1 dia apenas.
    Queremos é carregar o smartphone e o tablet na segunda e só carregar de novo na quarta.
    Dois dias de bastante uso seria perfeito.
    Usei um Ipad 2 e a bateria dura mais do que as 10 horas prometidas pela Apple e com ele eu consigo carregar na segunda e só usar o carregador na quarta a tarde (vendo videos, Youtube e lendo livros)
    Em tablets android como o Galaxy Tab 8.9 ou o 10 a bateria dura apenas 1 dia e com muito esforço, tela no brilho minimo e td mais

  • Ele está errado. Só está puxando a sardinha para o lado dele.

    O Android não é o sistema mais pesado e muito menos é inútil ter vários núcleos.

    Uma impressão que muitos podem ter é que pelo smartphone não ser muito bom para usar vários apps ao mesmo tempo como no PC fazemos com o ALT+TAB e portanto não ser interessante ter vários núcleos. Mas se pensarmos em todos os serviços que rodam simultaneamente, como atualizador do android market, GPS, processamento de chips 3G e wifi, apps que ficam abertos verificando mensagens, como o facebook, whatsapp e demais, é sim muito interessante possuir um poder de paralelismo, senão a preempção VAI SIM prejudicar o seu aplicativo. Um processador é sequencial, ele não tem como fazer duas coisas ao mesmo tempo sem paralisar outra, uma preempção com nível mais fino ainda assim vai causar problemas com o aumento de aplicativos rodando simultaneamente.

    Talvez quad-core seja um pouco demais, mas dual-core com certeza tem um ganho muito bom. Pelo menos para ter um processador com preferência para o foreground e outro para o background no mínimo.

  • Calma que tem mentira ai no meio. O A5 tem 2 núcleos de 1gb. o sistema operacional direcionado pro hardware específico é mais simples e portanto mais rápido. Nestes termos os produtos da Apple sempre foram "superiores" e é a mesma briga do windows.Mas é claro que um processador sozinho gasta menos energia. não precisa controlar que processador fará o quê, mas a velocidade é muito diferente. De qualquer maneira, onde gasta mais energia é na tela e não no processamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Android, Xiaomi

5 motivos para comprar o Xiaomi Mi A1

O Xiaomi Mi A1 sem dúvidas que foi uma das maiores surpresas apresentadas no ano passado pelo mercado Chinês. Não…

O Xiaomi Mi A1 sem dúvidas que foi uma das maiores surpresas apresentadas no ano passado pelo mercado Chinês. Não é atoa que ocupa o primeiro lugar na nossa lista de melhores chineses. Mas porque ele é tão bom assim, porque tanta gente está falando dele? Confiram 5 motivos que separamos para vocês.

1 – Xiaomi Mi A1 roda Android One, praticamente um Google Pixel baratinho

O sonho de muita gente é ter um smartphone da linha Pixel do Google. Assim irá receber atualizações primeiro que todo mundo do Android, sem aplicativos duvidosos ou modificações sem sentido por parte dos fabricantes. Porém, além de não vender no Brasil, os aparelhos do Google são muito caros. É ai que entra o Android One.

xiaomi mi a1 android one

Android One é um projeto do Google em parceria com fabricantes que leva o Android Puro, direto do Google, para aparelhos mais baratos. A Xiaomi entrou na parceria e lançou o Xiaomi Mi A1. Essa é a grande diferença.

Temos um aparelho com hardwar mediano, de 2016, mas com desempenho surpreendente. Afinal, custa apenas 700 Reais. Ele já está rodando o Android 8.0 Oreo, e receberá muitas atualizações pelo menos por uns 2 anos.

2 – Câmera acima da média da categoria

O Xiaomi Mi A1 tem uma câmera acima da média. Obviamente que não estou falando que concorre com algum topo de linha, mas certeza que é melhor que a maioria dos intermediários do mercado, nacional ou importado. A câmera principal dupla tem dois sensores de, sendo um de 26 mm com abertura f/2.2 e outro com lente teleobjetiva de 500 mm e abertura f/2.6.

Leiam também:  Google Pixel vs Galaxy S8, aparelho do Google tem câmera melhor, segundo o DxOMark

Xiaomi Mi A1 dual cameras

As aberturas não são tão boas, porém o trabalho de software é excelente. Ele trás um modo retrato nativo que consegue desfocar o fundo como poucos topos de linha conseguem. Fotos durante o dia são de excelente qualidade com um belo contraste e alcance dinâmico. Achou pouco?

Então escuta essa: após instalar a câmera do Google com HDR+, os resultados melhoram muito, ficando muito, mas muito acima da média. Inclusive o modo retrato, tão eloagiado do Google Pixel, consegue no Mi A1 praticamente o mesmo resultado. Veja como instalar aqui.

3 – Acabamento e construção

Ele possui uma construção de topo de linha. Lembra inclusive aparelhos mais caros com o OnePlus 5. Tem um corpo inteiro de metal escovado super resistente. A tela possui ainda cantos 2,5D que melhora a resistência.

5 – Preço

O principal é o preço. Custando atualmente cerca de R$ 700 (somente usando o nosso link e cupom) ele é uma excelente opção de compra. Ao comprar o Xiaomi Mi A1 você terá um aparelho com bom hardware e desempenho. Confiram os links abaixo:

Comprar o Xiaomi Mi A1

Xiaomi Mi A1 Vermelho por R$ 719 (CUPOM: hsa1gb )

Xiaomi Mi A1 Preto por R$ 739

Xiaomi Mi A1 Dourado por R$ 739 

 

materia completa
Android, Samsung

Galaxy A8 deve custar R$ 2.400, o modelo mais barato

A Samsung enviou um convite a imprensa – embora tenha deixado o tekimobile de fora – essa semana sobre o…

A Samsung enviou um convite a imprensa – embora tenha deixado o tekimobile de fora – essa semana sobre o lançamento de um novo modelo da linha Galaxy, possivelmente será a chegada do Galaxy A8, novo intermediário premium da empresa. Mas o preço poderá assustar.

O evento acontecerá dia 6 de Fevereiro, mas ainda não se sabe exatamente quando ele começará a ser vendido, mas já podemos falar em preços. No Brasil, o Galaxy A8 vai custar R$ 2.399, enquanto sua versão maior, a A8+, sairá por R$ 2.699. Ambos aparecem em versões com 4 GB de memória RAM e 64 GB para armazenamento, além de suporte a dois chips ou uso do slot adicional para a instalação de cartões SD. São três opções de cores: preta, dourada e ametista.

Isso mesmo, ele vai chegar custando quase o preço do Galaxy S8, claramente a melhor opção. Quanto as diferenças do modelo comum do Plus está em dois aspectos. Enquanto o A8 chega ao Brasil com tela de 5,6 polegadas e bateria de 3.000 mAh, o A8+, como o nome já indica, é um pouco mais robusto, trazendo um display de 6 polegadas e célula de 3.500 mAh, garantindo um pouco mais de autonomia aos usuários.

Samsung Galaxy A8 e A8+ chegam ao Brasil em três opções de cores

No restante, a parte visual permanece com as mesmas características dos lançamentos internacionais. Apesar de serem classificados pela Samsung como parte de seu segmento intermediário, as configurações do A8 e A8+ herdam características de seus companheiros do topo de linha, como a tela com proporção 18,5:9 e resolução de 2960 x 1440 pixels. Ficou de fora, entretanto, a curvatura, que faz com que as imagens apareçam até as laterais do dispositivo.

Na parte de dentro está um processador Exynos octacore, com dois núcleos rodando a 2,2 GHz e os outros seis a 1,6 GHz. Outros recursos de celulares mais potentes também aparecem aqui, como a dupla de câmeras na parte da frente, com 16 MP e 8 MP, respectivamente, além de um sensor traseiro de 16 megapixels. Todas as câmeras contam com sistema de otimização para imagens noturnas, além de tecnologia de correção automática de pixels, que garante a melhor qualidade possível para as fotos e vídeos produzidos com o aparelho.

Leiam também:  Alguns smartphones chineses baratos estão infectados com Malware

Além disso, como não poderia deixar de ser, teremos o suporte aos óculos de realidade virtual GearVR e também a possibilidade de recarga rápida da bateria, com o carregador apropriado. As vendas, como sempre, devem começar por meio da loja oficial da Samsung e varejistas parceiros.

A fabricante, entretanto, ainda não confirmou a chegada oficial dos modelos por aqui. Mas se você se interessou pelos Galaxy A8 e A8+, já pode ir separando suas economias, pois o lançamento está mais próximo do que nunca.

Via Canaltech

materia completa
Android, Motorola

Moto G6, X5 e Z3 Play: Confiram as fotos dos supostos aparelhos

Ontem vazaram vários renders da nova geração de smartphones da Motorola apareceram. São fotos do Moto G6, X5 e Z3 Play. Todos…

Ontem vazaram vários renders da nova geração de smartphones da Motorola apareceram. São fotos do Moto G6, X5 e Z3 Play. Todos com grandes e importantes mudanças. Também foram mostrados alguns novos Moto Mods. Vejam abaixo os detalhes.

Moto G6, Moto G6 e Mot G6 Play

Seguindo a tradição, será dois Moto G6 já conhecidos; Moto G6 e Moto G6 Plus. Porém a diferença é que nos renders aparecem um novo modelo chamado Moto G6 Play.

As diferenças entre o Moto G6 e o Moto G6 Plus se destacam pelo processador. Mas há mais mudanças entre eles. Seguindo o novo padrão de design trazido pelo Moto X4, os novos Moto G6 terão traseiras de vidro com o mesmo efeito 3D. Além da câmera salda com duas lentes.

O Moo G6 deve contar com um display de 5.7″ Full HD (com aspecto 18:9 e bordas reduzidas), sensor dual-cam na parte traseira (12 + 5MP), módulo de 16MP na frontal, e leitor de impressões digitais na parte frontal.

O processador provavelmente será um Snapdragon 430, e terá 3 ou 4GB de RAM com 32 ou 64GB de armazenamento interno. A bateria seria de 300 mAh segundo os rumores.

Já o Moto G6 Plus teríamos como principal diferença o processador. Nesse caso seria um Snapdragon 630. Além disso a tela seria maior com 5,93″, bem como a bateria, que seria de 3200 mAh.

Por último teríamos o novo Moto G6 Play. Esse teria as mudanças mais interessantes. Primeiro seria a mudança do leitor de impressões digitais, que ao invés de ser na frente como acontece tradicionalmente com a linha G, ele seria movido para a traseira. O que parece bem legal é que um pedido que os fãs da Motorola fazem há anos e usar um leitor de impressões digitais embutido no famoso circulo com o logo da empresa.

Leiam também:  Motorola RAZR MAXX chega às lojas Vivo

A bateria também seria maior com 4000 mAh.

Moto X5

O mais aguardado seria mesmo o Moto X5, sucessor do não tão aclamado Moto X4. Por mais que o Moto X4 não tenha feito tanto sucesso, pelo menos no Brasil, ele trouxe vida nova a linha Motorola com diferenciais como corpo em vidro e proteção contra água e poeira.

O Moto X5 manteria o design de vidro curvo e também a proteção contra água. Mas o mais interessante seria mesmo o seu formato sem bordas. Seguindo a moda de outras marcas. Notem que ele praticamente não possui bordas laterais e na parte de cima e de baixo são menores, lembra bastante o design do Galaxy S8.

Mas o mais “interessante” seria que na parte de cima o Moto X5 tem o famigerado entalhe, ou dente, que o iPhone X trouxe. Nele estaria acomodando a câmera frontal e possível sensores faciais para desbloqueio da tela. Pelo menos a solução da Motorola é colocar uma faixa preta por trás das notificações, disfarçando a existência do dente.

Conforme o banner, há um tal de “Moto Smar Ai”. Esse novo sistema de inteligência artificial deve ser o responsável por administrar o reconhecimento facial. Notem que não um leitor de impressões digitais no aparelho, mostrando que a Motorola deve estar apostando suas fichas no reconhecimento facial.

 

Há ainda uma espécie de barra de rolagem ou botão virtual abaixo do doc de aplicativos. Ele também pode estar ligado a inteligência artificial presente no aparelho.

Moto Z3 Play

Por último temos o Moto Z3 Play, que chegaria como o intermediário premium da Motorola e compatível com os Moto Snaps. Assim como o Moto X5, ele adota o padrão sem bordas, e parece que também usará reconhecimento facial como modo de desbloqueio, afinal não sinais de um leitor de impressões digitais. Uma segunda opção seria um leitor por debaixo da tela, já que a Vivo já apresentou a tecnologia na CES.

O Z3 Pay provavelmente teria um processador Snapdragon 660. Sua tela seria de 6 polegadas com aspecto 18:9 e resolução full HD+. Vale notar que mesmo aumentando a tela, o fato de reduzir as bordas laterais e superiores, além do novo aspecto 18:9, daria perfeitamente para manter o tamanho do Z2 Play e, consequentemente, a compatibilidade com os Moto Snaps atuais.

Leiam também:  Google Pixel vs Galaxy S8, aparelho do Google tem câmera melhor, segundo o DxOMark

Como de praxe, deve ter também uma versão mais potente do Moto Z3 play, talvez um Moto Z3 Force. Esse teria a mesma tela, porém com maior resolução e processador Snapdragon 845.

Moto Mod 5G

O Moto Z3 chegaria ao mercado trazendo consigo outro importante lançamento para a linha de Moto Mods; trata-se de um módulo capaz de conectar-se à redes 5g.

Levando em consideração a quantidade de vazamentos, é quase certo afirmar que conheceremos esses dispositivos (e talvez muito mais) durante a MWC 2018.

Fonte: Slashleaks, com informações do Tudocelular

materia completa
Android, Samsung

Galaxy S9 e S9+ chegam dia 26 de Fevereiro. Fonte é segura.

A Samsung ja havia confirmado que provavelment o Galaxy S9 e S9+ seriam lançados na MWC 2018 que acontece em Barcelona em…

A Samsung ja havia confirmado que provavelment o Galaxy S9 e S9+ seriam lançados na MWC 2018 que acontece em Barcelona em Fevereiro. De acordo com Evan Blass, famoso por vazar informações no Twitter, de fato os novos tops de linha da Samsung chegam mês que vem.

Leiam também: Review do Galaxy S8

De acordo com o Twitter de Evan Blass, o Galaxy S9 e Galaxy S9+ serão apresentados dia 26 de Fevereiro. Depois, a partir do dia 16 de Março, começará a distribuição global dos aparelhos. As pré-orders começarão antes, no dia primeiro de Março. Vale lembrar que no ano passado, em 2017, o Galaxy S8 atrasou um mês em relação aos anos anteriores.

A Samsung irá usar seu recém lançado chipset Exynos 9810 no Galaxy S9. Além disso, a versão americana, como sempre acontece, deverá vir com o Snapdragon 845. Não haverá alteração na relação de aspecto 18.5:9 do Infinity Display. Outra coisa que, para a felicidade de muitos, é que o conector P2 para fones de ouvido 3,5 mm continua firme e forte. Além disso é certeza que a Samsung finalmente vai abrir mão de colocar o sensor ao lado da câmera, será abaixo como em outros fabricantes. Abaixo uma foto com a suposta caixa do aparelho que vazou.

galaxy s9 caixa

A respeito das câmeras, o Galaxy S9 terá apenas um sensor. Já o Galaxy S9 Plus virá com um sensor duplo. O sensor principal será um de 12 MP como os anteriores. A novidade fica por conta da abertura que será variável entre f/1.5 e f/2.4.

Leiam também:  Xiaomi lança Mi Note e Mi Note Pro, 2 monstros para concorrer com iPhone 6 Plus e Note 4

galaxy s9 galaxy s9 plus

Isso é uma novidade já apresentada pela Samsung, assim diz o Ars Technica. A Samsung já fez um sensor semelhante em um aparelho chamado W2018. No que isso ajuda? Em condições de pouca iluminação, ele usa a abertura f/1,5 para capturar o máximo possível de luz; em cenas mais brilhantes, ele usa a abertura f/2,4 para uma profundidade de campo maior. Atualmente, com a abertura f/1,6 fixa, o Galaxy S8 costuma estourar na luz em ambientes muito iluminados, já que entra muita luz no sensor pois é bem aberto.

Como você pode ver no GIF abaixo, um conjunto de lâminas de abertura abre e fecha à medida que os níveis de luz mudam, semelhante a uma câmera DSLR:

Ao que parece, o Galaxy S9 Plus terá uma qualidade ainda melhor que o Galaxy Note 8, um dos melhores no mundo atualmente.

Com informações: Tecnoblog, Twitter

materia completa