O Redmi Note 2 é um dos smartphones de entrada mais famoso e potente do mundo. Mas a Xiaomi resolveu melhorar ainda mais e lançou o sucessor Redmi 3 hoje. Agora, ele conta com um processador melhor e uma super bateria de 4,100 mAh. E continua extremamente barato, sem dúvidas o melhor custo beneficio atualmente no mundo. Mas, por enquanto, só foi lançado na China.

Enquanto os outros produtos da Xiaomi, os de entrada, traziam um acabamento simples, o Redmi 3 vem com corpo quase inteiramente em metal. Apenas uma pequena faixa nas partes superior e inferior contam com uma faixa em policarbonato para não interferir no sinal do celular. O painel traseiro traz um desenho em formato de diamantes com 4.166 pontos brilhantes, chamados de estrelas pela Xiaomi, para dar um ar elegante que lembra uma constelação de diamantes.

Especifiacações técnicas do Xiaomi Redmi 3

  • Processador Qualcomm Snapdragon 616 octa-core
  • 2GB de RAM
  • Tela de 5 polegadas HD 1280 x 720
  • 16GB de armazenamento interno + cartão de até 128 GB
  • Câmera principal de 13MP
  • Frontal de 5MP
  • Dual-SIM
  • 3G, LTE
  • WiFi, Bluetooth, GPS, A-GPS
  • 4100mAh bateria
redmi-3-2
Redmi 3 possui corpo inteiro em aço esconvado e texturizado na parte de trás.

Mas vamos partir para o que interessa: as especificações. O novo lançamento da Xiaomi traz uma tela de 5 polegadas com resolução HD, chipset Snapdragon 616, 2 GB de RAM, 16 GB de armazenamento com possibilidade de expansão via cartões microSD (máximo de 128 GB, de acordo com a fabricante), câmera principal de 13 megapixels e frontal de 5 megapixels. Abaixo da tela há três botões capacitivos para o controle do Android. E por falar no sistema, o Redmi 3 vem com o software MIUI da empresa.

Por se tratar de um modelo básico, Xiaomi não incluiu um leitor biométrico – algo que virou obrigatório nos recentes lançamentos. Porém, a boa notícia é que a fabricante chinesa foi generosa na bateria ao incluir uma capacidade de 4.100 mAh. Diante das especificações citadas acima, podemos esperar que esta bateria tenha uma autonomia de 2 a 3 dias em uso moderado. Ele também vem com tecnologia de carregamento rápido da Qualcomm, o Quick Charge, além de um carregador de 5V/2A – o que reduz drasticamente o tempo necessário para encher totalmente esses 4.100 mAh.

O Redmi 3 parece ser um celular bem bacana, não? Agora vem a melhor parte: ele custa apenas US$ 105 (uma conversão direta dos RMB 699 praticados na China). Por esse preço, realmente é difícil encontrar algo mais interessante no mercado. O Redmi 3 começará a ser vendido no país de origem amanhã, mas não foi informado quando a novidade chegará a mais mercados. Mesmo com a alta do dólar e taxas abusivas praticadas no Brasil, o novo smartphone básico da empresa teria um grande apelo comercial por aqui.

Sem comentários

Deixe uma resposta