Web Analytics

Intel líder em vendas de chips? Não. Samsung acaba com 20 anos de festas

Intel líder em vendas de chips? Não. Samsung acaba com 20 anos de festas

Parece até estranho dizer isso, mas a Intel não é mais líder no segmento de produção de chips. Depois de 24 anos de avanço na tecnologia e internet, principalmente no segmento mobile, outro player de peso virou o jogo e assumiu a liderança: a Samsung. A gigante coreana que faz de tudo, assume a liderança de mais um ramo da tecnologia.

Estamos em época de divulgação de resultados financeiros da primeira metade do ano. Não diferente, as duas empresas divulgaram seus resultados nesta semana. A divisão de semicondutores da Samsung teve receita de US$ 15,8 bilhões no segundo trimestre de 2017, enquanto a Intel ficou com US$ 14,8 bilhões. Como informa a Associated Press, se os preços de chips se mantiverem, a Samsung Semiconductor também deve ficar à frente da criadora do Pentium em receita anual.

A Intel liderava o setor desde 1993. Esse ano foi quando foram lançados os processadores Pentium, líderes absolutos até hoje no mercado de PCs. Já a Samsung ocupava a sétima posição, já que sempre foi tradicional na produção de circuitos integrados para as mais diversas aplicação na eletrônica. Em 2006 os coreanos pularam para o quarto lugar em 2006, e desde 2008 estavam na vide liderança.

Mas explicar como a Samsung alcançou e passou a Intel, é bem simples: PCs vs dispositivos mobiles. Enquanto ano a ano a produção de PCs caem – ramo principal da Intel – a produção de smartphones, relógios inteligentes e gadgets em geral crescem. Qual a semelhança entre eles? Além do tamanho reduzido, todos utilizam memórias DRAM, e a Samsung é a maior produtora do mundo. Além disso, ela também se destaca na produção de outros chips como sua linha de processadores Exynos e até mesmo na fabricação de processadores para a Qualcomm, como o atual Snapdragon 835. Isso mesmo, a Qualcomm tem parceria com a Samsung e utiliza unidades fabris da coreana na fabricação desses processadores.

E a Intel pode sofrer ainda mais nos próximos anos. A AMD lançou recentemente a linha de processadores AMD Ryzen que os analistas dizem que irá vender bem. Outra concorrência que ela sofrerá é de outra líder do segmento: a Qualcom. A maior produtora de processadores do mundo já avisou que pretende colocar seu Snapdragon 835 (fabricado em parceria com a Samsung) em computadores com Windows 10. A coisa tá feia para Intel. Não seria o momento de uma nova investida no ramo mobile?

Comentários

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0