A lei da gravitação universal de Newton é explicitamente clara: Tudo que desce, tem que cair. A Samsung vem crescendo constantemente nos últimos anos, depois que deixou a falida Nokia para trás, como a empresa que mais vende celulares no mundo. Ela chegou a vender quase metade dos celulares do universo. Mas o ciclo caminha ao fim. Os acionistas já esperavam uma queda de lucros, porém a decepção foi maior do que pensavam. Os lucros da empresa caíram 74% em comparação

com o mesmo período de 2013. Desde 2011, quando ainda a Nokia era forte, o Índice não foi tão baixo.

galaxy-alpha-smartphones-01

Embora a Samsung ainda seja líder absoluta em todos os segmentos de smartphones, a queda livre que vem ocorrendo se dá justamente pelo mesmo motivo que a Nokia fechou as portas: falta inovação. Não é que as outras empresas estão reinventando a roda e mostrando coisas extraordinárias, o fato é que a Samsung caiu na mesmice. Por outro lado, LG e Motorola fazem pequenas mudanças que a Samsung não faz. A Motorola vende o Moto G, um smartphone com hardware bom e que roda qualquer coisa, a preço de banana – se comparado com a concorrência – sem contar o novo Moto X que tem um hardware quão bom que a concorrência e custa metade. A LG sempre traz pequenas coisas como o simples Knock Code, tela 4K, smarbutton, laser para focalização de imagens e por ai vai. O que a Samsung faz? modifica seu péssimo TouchWiz e o deixa cada vez mais feio e lento. E os smartphones da linha S e Note há tempo que não mostram novidades. Só o último Note Edge traz algo novo, mas ainda é uma cobaia e não será comercializado universalmente.

Outro problema são os preços, principalmente em mercados emergentes, aka Brasil. Mas alguns podem falar: a Apple tá igual a Samsung: Não mostra nada de novo e cobra o olho da cara nos seus smartphones, mas mesmo assim não registra quedas de lucros desse porte. A resposta é simples, uma maça. Por um momento a Samsung até conseguiu um parcela de status de grife com a linha Galaxy, mas nunca irá se comparar ao iPhone. Esse já se consolidou como item de luxo e status. A Samsung tentou seguir esse caminho, mas não chegou lá pelo simples fato de não ter uma maça em sua carcaça.

Vamos exemplificar a situação com o Galaxy S5. Os preços praticados pela Samsung no Brasil, só como exemplo, são absurdos e quase chegam ao preço de um iPhone. Logicamente aqueles usuário que normalmente procuram status irão de iPhone. Já aqueles mais conscientes, irão comparar o S5 com modelos equivalentes: Dai temos um o S5 por 2200 Reais, LG G3 por 1500 e Moto X por 1300, quem conhece vai comprar qual? Nem preciso responder. Mas mesmo assim o S5 vende mais, porém bem menos do que antes, pois nessa situação as vendas serão divididas em 3 modelos, dai a queda de lucros. Tendo a Samsung a confiabilidade que possui, bastava baixar o preço, mas não, eles estão infectados pela Apple e acham que podem ser iguais a ela. Mas definitivamente Galaxy S não é mais sinônimo de status.

Outro exemplo é a venda de smartphones de entrada, maior parcela de lucro da empresa. Depois da chegada do Moto G, que tornou simplesmente um vicio no mundo inteiro, abocanhou um mercado que antes era dominado pela Samsung, imagine o prejuízo que ela teve nesse segmento.

A queda na venda de smartphones foi de 22%, gerando uma situação inédita onde o lucro de vendas de semicondutores superou o lucro de venda de celulares.

351a026nhewhsb3s6jqtn2ud6

Obviamente, a culpa não é só da Samsung, a maior culpada é a concorrência. Nos últimos meses a Samsung pela primeira vez teve concorrentes com o sistema Android, principalmente Motorola e LG. Há também o crescimento absurdo de companhias chinesas como Xiaomi e Huawei entre outras, que dominam o mercado asiático. A Xiaomi é atualmente a terceira maior fabricantes do mundo, passando a LG e estando atrás somente da Samsung e da Apple.

Mas nem tudo tá perdido, e a Samsung ainda tem tempo e condições de voltar a crescer e continuar com seu domínio. A difrença dela em relação aos concorrentes ainda é enorme: ela tem 23,8% do mercado mundial, seguida pela Apple com 12%, Xiaomi com 5,3% , Lenovo com 5,2% e LG com 5,1%.  Alguns analistas dizem que falar em crise na Samsung é algo prematuro, devido aos números acima, por outro lado eles alertam que a Samsung tem que esboçar uma reação. Ainda concluem que a empresa está no meio de um “sanduiche”, entre a Apple e os chineses.

Vale ressaltar que a Samsung, diferente de Blackberry e Nokia, tem lucro de diversas fontes como semicondutores, TVs,computadores e outros, onde é líder na maioria. Analistas também dizem que seria uma boa hora dele começar a focar mais em modelos de entrada e intermediários, como faz a Motorola e LG.

Porém não será agora que a empresa irá mudar. Ao comentar os números, a empresa disse que acredita que as vendas irão melhorar, principalmente no Natal, onde ela acredita que o Note 4 vai estourar em vendas. Eu discordo, não acho que os usuários ao redor do mundo irão ser “apaixonar” por um aparelho que custa absurdos 699 Obamas, que além de não oferece nada de realmente novo, continua com uma interface feia e que acaba com o desempenho do aparelho.

Com informações de: 9to5, iG e Tech2

Sem comentários

Deixe uma resposta