O LG G Flex é um smartphone top de linha, sendo assim traz um hardware de ponta: chip Snapdragon 800, formado por processador quad-core de 2,26 GHz e GPU Adreno 330, além de 2 GB de RAM, suficiente para rodar vários aplicativos ao mesmo tempo. O armazenamento interno é de 32 GB, porém sem entrada para MP de memória, do total 6 GB são usados para o sistema. Sua câmera é de 13 MP e faz vídeos em 4K, já a dianteira é de 2 MP e faz vídeo em full HD, fato raro hoje em dia. Abaixo nosso review do G Flex. A tela é de 6 polegas com resolução HD 720p, o que o encaixa no mercado dos fablets. Ao invés de um super detalhado review, preferi algo mais pessoal, as impressões que tive ao usar o aparelho.

O grande destaque fica por conta do seu design, único no mundo. Ele é todo flexível: corpo de plástico, a tela e a bateria, tudo flexível. A tela é de 6 polegada e feita de POLED, seria a mesma tecnologia do LED, porém é utilizado um plástico ao invés de vidro, o deixando flexível.

O desempenho é ótimo, ótimo não, excelente. Nos testes práticos achei ele o melhor smartphone em desempenho que já testei, superando o G2. Como assim se ambos possuem o mesmo hardware? É que como ele possui uma tela com menor resolução, o processador tem menos trabalho para gerenciar ela, sobrando para outros recursos. Jogos mais pesados como Asphalt 8: AirborneFIFA 14 e Real Racing 3 são executados com taxa máxima de frames, parece até que tá rodando um Candy crush nele.

Já nos benchmarks sintéticos, o G Flex se dá bem, ficando inclusive acima do G2 também. Mas não vou entrar em detalhes de benchmarks, já que não os considero tão importante assim, o que vale é a prática, e nisso o G Flex é um dos melhores. Confiram abaixo nosso vídeo review.

Impressões sobre o L G Flex

O que mais me chamou a atenção do aparelho sem dúvida foi seu visual diferenciado. É interessante notar que depois de poucas horas usando uma tela encurvada, o cérebro parece que acostuma com isso. Depois de usar ele e pegar novamente um smartphone “comum”, parece que algo está errado ou faltando. A tela encurvada é mais amigável de ler. Outro detalhe, é que a tela de POLED do G Flex não tem o brilho de outras telas, deve ser por causa do uso do plástico. Confesso que ela parece estranha no começo, pois é opaca e sem tanta brilho, resumindo parece que falta vida na tela. Porém depois de um tempo percebi que essa “falta” de brilho cansa menos a tela, principalmente para leitura isso é um ponto positivo.

Review LG G Flex
Cores um pouco opacas, e resolução fica devendo

Por outro lado, a resolução da tela foi sacrificada sendo que a mesma é de 720p, (1280 x 720 pixels). Atualmente todos os aparelhos tops de linha acima de 5 polegadas já possuem resolução full HD ou maior, como no caso do LG G3. Na prática, ele tem ícones grandes e se olhados bem de perto, dá para notar o serrilhado dos mesmos. Mas tirando a mania de perfeição, no uso diário não achei a tela ruim, pelo contrário ela possui um bom ângulo de visualização e cores bonitas, embora um pouco “lavadas” o que soa um pouco artificial em alguns momentos.

Já aviso que o corpo encurvado, estilo telefone de mesa, teoricamente é mais confortável na hora de realizar uma ligação, mas fica na teoria. Na prática não faz a miníma diferença o seu formato curvo, vale mesmo o visual que chama a atenção de todos que olham o aparelho.

LG G Flex Review
Curva é bonita, mas não tão útil

Outra característica dele é o fato dele “regenerar” a parte traseira quando arranhado. Embora realmente funcione a tecnologia, não é exatamente o que esperávamos. Ele só recupera arranhões bem superficiais, beeeem superficiais. Tentei um arranhão de leve com uma chave, talvex até com menos pressão do que ocorreria em contato de ambos no bolso apertado da calça (afinal ele é gigante no bolso), o resultado foi desanimador, pois o arranhão foi recuperado cerca de 50%. No fim das contas o arranhão continuou lá. Mas vale lembrar que é o primeiro a ter esse material, nos próximos a função deve melhorar.

A câmera é mediana. A LG, juntamente com a Motorola, ainda é inferior aos concorrente quando o assunto é fotografia. Mas na hora de filmar ele se mostrou excelente, os vídeos em 4K possui um nível de detalhamento impressionante, perfeito para dar zoom neles. A câmera frontal me surpreendeu, pois além de ter 2 MP – o que garante bons selfies – ela grava vídeos em full HD, fato raro atualmente.

Conclusão

Gostei bastante do G Flex, se trata de um top de linha completo. Seu hardware é de ponta, o que vai garantir para o usuário pelo menos uns 2 anos de uso sem problemas algum, ou até mais que isso. Mas o grande destaque dele é seu design inovador. O legal dele é que foge do padrão adotado nos outros modelos, quem comprar um pode falar que tem algo diferente de tudo o que há no mercado atualmente. Mas vale ressaltar que suas diferenças não fazem a menor diferença no uso diário.

Mas a parte negativa é o preço, bem elevado. Mas vale ressaltar que se comparássemos com outros modelos a venda no Brasil, o preço é “justificado” graças aos materiais diferentes que foram utilizados nele.  Como no Brasil tudo é estratosfericamente caro, obviamente a LG não iria faze diferente.

Onde comprar:
R$ 2137 – Americanas http://oferta.vc/3bst
R$ 2184 – E-fácil http://oferta.vc/3bss
R$ 2199 – Girafa http://oferta.vc/3bsu

1 Comentário

Deixe uma resposta