Nem Redmi 4 nem Redmi Note 4, agora é só Redmi Pro. O novo smartphone intermediário da Xiaomi promete deixar os concorrentes com cabelo em pé. Com um processador de 10 núcleos, 4 GB de RAM, até 128 GB de armazenamento e uma câmera dupla de bom desempenho e ainda por cima custando pouco, esse pode ser o momento de você querer importar um Xiaomi.

Um ponto que chama a atenção logo de cara é a presença de duas câmera em sua parte traseira, demonstrando assim que a Xiaomi decidiu seguir a tendência iniciada há algum tempo e que pelo visto será adotada até mesmo pela Apple em seu suposto iPhone Pro. Segundo revelado pela chinesa, o conjunto com sensores de 13 e 5 megapixels é capaz de gerar imagens “no nível de uma DSLR” no que diz respeito ao efeito de desfoque, gerando assim uma sensação de profundidade acima da média para um smartphone.

redmi pro

Em sua parte frontal é possível vermos que a Xiaomi continua apostando em uma grande quantidade de bordas acima e abaixo do display, algo parcialmente justificado pela presença de um botão home com leitor de impressões digitais, porém que certamente poderia ser melhor aproveitado para que o Redmi Pro tivesse dimensões mais compactas. Por último, mas não menos importante, devemos destacar sua enorme tela OLED de 5,5 polegadas, que de acordo com a companhia é a melhor já utilizada em um modelo da linha Redmi.

redmi pro usb c

Na parte de construção, não podemos de notar o upgrade em comparação com o Redmi Note 3, seu antecessor. Agora ele é completamente feito em alumínio escovado. A versão anterior, embora fosse predominantemente em alumínio, as bordas superiores e inferiores eram de plástico, diminuindo assim o custo e facilitando a instalação de antenas.

redmi pro camera

Especificações técnicas do Redmi Pro

Embora a Xiaomi tenha destacado que esse é o melhor Redmi já feito, ele não deixa de ser um intermediário, teoricamente. Ele vem rodando em cima de um processador MediaTek Helio-X20 enquanto as outras duas possuem o Helio-X25, ligeiramente mais potente. Vale lembrar que primeiro a Xiaomi lançou um Redmi Note 3 com processador Mediatek e depois lançou uma versão Pro com processador Qualcomm. Não dá para saber como vai ser com o Redmi Pro, pois apesar de ser o processador mais potente da mediatek, normalmente o desempenho deles deixam a desejar, quando comparados com os concorrentes da Qualcomm e sua linha Snapdragon. Sem mais, seguem abaixo suas especificações técnicas:

  • Tela OLED de 5,5 polegadas com resolução Full HD (1080 x 1920 pixels)
  • Chipset MediaTek Helio-X20 64-bit Deca-Core com clock máximo em 2,3 GHz ou MediaTek Helio-X25 64-bit Deca-Core com clock máximo em 2,5GHz
  • GPU ARM Mali-T880 MP4 (780 MHz ou 850 MHz)
  • 3 GB ou 4 GB de RAM
  • 32 GB, 64 GB ou 128 GB de espaço para armazenamento interno, expansível via cartão microSD (slot híbrido com segundo SIM)
  • Câmera principal com sensores de 13 e 5 megapixels e flash dual-LED
  • Câmera frontal de 5 megapixels com lentes grande-angulares
  • Leitor de impressões digitais no botão home
  • Dual-SIM
  • Compatível com redes 4G LTE
  • USB Type-C
  • Disponível em prata, dourado e cinza espacial
  • Dimensões de 151.5 x 76.2 x 8.15 mm
  • Peso de 174 gramas
  • Bateria de 4.050 mAh
  • Android 6.0.1 Marshmallow com interface MIUI 8

Redmi Pro – Preço e disponibilidade

Obviamente que evolução significa preço maior. Como ele é bem melhor que o Redmi Note 3 tanto em hardware como em construção, ele ficou mais caro. Mas nada exagerado.  A versão mais básica do aparelho vem com Helio-X20, 3GB de RAM e 32GB de armazenamento por aproximadamente R$ 735, enquanto outra ligeiramente mais potente com Helio-X25, 3GB de RAM e 64GB de armazenamento custará algo em torno de R$ 833. Já o Redmi Pro em sua variante com maior poder de fogo será encontrado por US$ R$ 980, contando com Helio-X25, 4GB de RAM e 128GB de armazenamento interno. Obviamente esses preços são sem impostos.

Mas o preço ainda é bem convidativo. Com minha experiência em importar aparelhos chineses, posso dizer que nunca passa de R$ 250 a taxa da receita. Então podemos dizer, que por menos de R$ 1500 você poderá ter um Redmi Pro aqui no Brasil. Agora te pergunto: Existe algum aparelho que chegue perto dele aqui no Brasil custando isso?

As vendas serão iniciadas na China no próximo dia 8 de agosto, prepare seu bolso.

Sem comentários

Deixe uma resposta