Real Time Analytics
Apple

Para atender a demanda de iPhone 5, Foxconn contrata trabalhadores que vivem sem eletricidade e água corrente

Certas coisas que acontecem dentro das fábricas da Foxconn são difíceis de acreditar. Depois de histórias envolvendo suicídios, trabalho escravo e outras barbaridades, a noticia que rola hoje em vários jornais do mundo é que para suprir a demanda de iPhones 5, a Foxconn está contratando trabalhadores que vivem em alojamentos sem eletricidade e sem água corrente. Quem descobriu os fatos foram jornalistas franceses infiltrados em uma das unidades da Foxconn na China.

A Apple, que na realidade paga a Foxconn para fabricar seus iGadgets, prometeu corrigir esses problemas lá no início deste ano, mas de acordo com os jornalistas pouca coisa foi melhorada nas instalações da empresa chinesa.

Os vídeos abaixo mostram 60 minutos do que acontece dentro de uma fábrica na cidade de Zhengzhou. Tudo foi filmado disfarçadamente por repórteres da “France 2 TV station”. São exibidos dormitórios mal cuidados, sujos, sem eletricidade, água corrente ou elevadores. É nesse ambiente desumano que os funcionários da empresa vivem.

Além disso, o repórteres disfarçados disseram que nem todos os trabalhadores são menores de idade, porém muitos deles foram obrigados por administrações de escolas a trabalharem na empresa. Embora os salários tenham melhorados, as acusações de falta de segurança nas moradias e má alimentação, parecem não compensar em nada esse “aumento” financeiro que a empresa deu desde o começo do ano.

A reportagem chegou a conclusão que o grande vilão da história, agora é o iPhone 5. Com um enorme volume de negócios entre a Foxconn e a Apple, a empresa chinesa é obrigada a recrutar mais pessoas, que em muitas vezes, são “seleciondas” em campanhas de contratação enormes. Obviamente os alojamentos da fábrica não estão prontos para o aumento no número de ocupantes.

Leiam também:  É oficial: iPhone 4S chega dia 16 de Dezembro no Brasil

E as autoridades? a Foxconn já respondeu às investigações, porém, basicamente diz que as fábricas não são perfeitas e eles estão tentando melhorar condições de trabalho. Abaixo alguns trechos de um comunicado oficial da empresa:

“A Foxconn leva muito a sério  a responsabilidade por nossos funcionários e nós trabalhamos duro para dar aos nossos 1,4 milhões de trabalhadores na China um ambiente seguro e de trabalho satisfatório. Estamos seguindo nossas próprias políticas rígidas, de acordo com leis da china, e nossos compromissos com nossos clientes para garantir que o maior nível de saúde e de segurança são aplicadas para nossas operações em todos os locais em toda a China. Como a maior da China empregador do setor privado, oferecemos remuneração e benefícios que são muito maiores do que os salários impostas pelo Governo e que são competitivos com todos os nossos colegas de setor em todos os locais onde atuamos. A Foxconn não é perfeita, mas estamos fazendo progressos todos os dias e continuamos a levar nossa indústria para atender às necessidades da nova geração de trabalhadores na China. Que o progresso se reflete no nosso sucesso no recrutamento e retenção de profissionais e nos relatórios dos muitos membros dos meios de comunicação internacionais que visitaram nossas operações e que livremente e de forma independente falado com os empregados. Nosso objetivo é continuar a cumprir as nossas responsabilidades para com os nossos clientes, aos nossos colaboradores, e para as comunidades onde operamos. “

Só queria saber como são as condições de trabalho nas fábricas em outros países, inclusive no Brasil. Por aqui, creio que as condições devem ser boas. Eu particularmente responsabilizaria em primeiro lugar o governo chinês, está claro que não fiscalização alguma por lá. Em segundo a Apple, que fica escondida por trás de sua mascara de empresa politicamente correta, enquanto se utiliza de mão de obra semi-escrava para suprir a demanda de seu iPhone, objeto de ostentação no mundo todo.

Via Engadget, fonte Envoye Special

Comentários
  • Com certeza que o governo chinês é coresponsavel desta falta de vergonha….qto. a maçã demonstra que o único interesse continua sendo o profit absurdo, alias como nas demais ….

  • Tudo isso pro Iphone chegar aqui custando mais que um bom notebook.
    A culpa basicamente é do governo chinês que permite que isso ocorra, se ele não permitisse a Foxconn não usaria mão de obra escrava e a Aple não seria omissa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Apple, Noticias

Há 40% de chances da Apple comprar o Netflix e 30% a Disney

Existe uma probabilidade de 40% de que a Apple adquira a Netflix graças a reforma fiscal promovida pelo presidente Donald…

Existe uma probabilidade de 40% de que a Apple adquira a Netflix graças a reforma fiscal promovida pelo presidente Donald Trump foi aprovada. Quem afirmar são os analistas do Citi Jim Suva e Asiya Merchant.

O corte nos impostos, juntamente com o novo subsídio oferecido para que as empresas repatriem seu dinheiro aplicado fora dos EUA sem ter que pagar tributos altissímos, dará à Apple um montante de dinheiro nunca visto antes dentro dos EUA. Segundo a Bloomberg, a companhia tem cerca de 252 bilhões de dólares aplicados, mas boa parte dessa quantia está em territórios fora dos EUA e, até o momento, era impossível trazer esse dinheiro de volta para o país devido aos impostos aplicados. O montante, segundo os analistas, cresce 50 bilhões de dólares ao ano.

Para entender essa quantidade de dinheiro, basta saber que a Apple precisaria apenas de um terço desse dinheiro para comprar o Netflix.

“Historicamente, a Apple evitou repatriar dinheiro para os EUA para evitar a elevada tributação desses valores. Por isso, a reforma tributária pode permitir que a empresa coloque o dinheiro em uso”, dizem os analistas, no relatório.

Segundo Citi, a Apple mantém mais de 90% de seu dinheiro fora dos EUA, então a empresa poderia se beneficiar se fizesse uma repatriação única. “Com uma taxa de 10% sobre o dinheiro, a empresa teria 220 mil milhões de dólares para aplicar em aquisições”. Ai que entra o Netflix ou mesmo a Disney.

A Apple tinha de 20 à 30% de chance de adquirir a Disney, porém isso foi antes da aquisição pela Disney dos ativos de estúdio e TV da Fox. Ou seja, isso provavelmente não ocorrerá.

A Apple tem lutado há anos para oferecer uma oferta atraente para a TV. O iTunes tem sido um grande sucesso para a empresa, mas os telespectadores migraram cada vez mais para serviços como Netflix, Amazon ou Hulu para assistir seus programas e filmes favoritos. Comprar o Netflix seria algo importante para consolidar a empresa nesse ramo.

Leiam também:  Android vs iOS: Qual parte do mundo eles dominam?

Via Business Insider

materia completa
Apple, Featured

Confirmado: Apple deixa iPhone antigos mais lentos de propósito

Se você tinha a impressão de que seu iPhone antigo começa a ficar mais devagar com o tempo, saiba que essa impressão…

Se você tinha a impressão de que seu iPhone antigo começa a ficar mais devagar com o tempo, saiba que essa impressão acabou de ser confirmada pela própria Apple.

Nesta quarta-feira, a Apple admitiu que uma atualização de software lançada no ano passou deixou o smartphone propositalmente mais lento para evitar problemas de bateria – com o desligamento repentino do iPhone.

O patch fe parte da atualização do iOS 10.2.1 e afetou os modelos iPhone 6, iPhone 6 PlusiPhone 6S Plus e iPhone SE. O iOS 11.2trouxe o mesmo recurso para o iPhone 7 e iPhone 7 Plus – que também será aplicado aos atuais iPhone no futuro.

Segundo a empresa, aparelhos antigos com baterias de íon de lítio tendem a ter problemas a longo prazo, quando as bateria já não seguram tanta carga quanto aparelhos novos.

Nosso objetivo é oferecer a melhor experiência para clientes, que inclui o desempenho geral e o prolongamento da vida de seus dispositivos. As baterias de íon de lítio tornam-se menos capazes de fornecer demandas de corrente quando em condições frias, com baixa carga da bateria ou à medida que envelhecem ao longo do tempo, o que pode resultar no desligamento inesperado do dispositivo para proteger seus componentes eletrônicos“, indicou a Apple em um comunicado (via CNet).

O comentário da Apple vem em resposta a um artigo de John Poole, fundador da organização por trás do software de benchmark Geekbench, que afirmou que processadores do iPhone perdem performance com o tempo.

Há ainda uma terceira hipótese que eu acredito que também tem sua parcela de culpa: a obsolescência programada. Sim, é muito mais lucrativo para uma empresa forçar o usuário a pensar que seu aparelho está mais lento porque é antigo e, consequentemente, comprar um modelo mais novo. Um exemplo de que isso acontece são os smartphones com Android.

Leiam também:  Novo iPod Nano: Agora com câmera de vídeo

Embora as fabricantes garantam no máximo duas atualizações, com a alegação que versões mais novas do sistema deixariam os aparelhos mais lentos, desenvolvedores fazem ROMs alternativas sempre da versão mais nova do sistema para esses mesmos aparelhos. Isso prova que na realidade as empresas não atualizam por diversos motivos, mas com certeza não é porque o aparelho já esteja antigo.

materia completa
Apple

R$ 7 mil, esse será o iPhone X mais barato no Brasil.

Que os iPhones chegam absurdamente caros no Brasil não é segredo. Que o iPhone X está muito caro até nos…

Que os iPhones chegam absurdamente caros no Brasil não é segredo. Que o iPhone X está muito caro até nos EUA também não é segredo. Mas mesmo assim, cobrar R$ 7 Mil no iPhone X mais simples é fora da realidade do Brasil, mas sim, a Apple pode e está cobrando isso. Detalhes abaixo.

Leiam também –  O que o iPhone X faz que outros não fazem; confiram 5 novos recursos

Embora ainda não tendo se pronunciado oficialmente, a Apple através do aplicativo da Apple Store divulgou “sem querer” os preços do novo iPhone. O aplicativo já está apontando a pré-venda dos 2 modelos do iPhone X com seus respectivos preços.

preços iphone x brasil
Créditos da imagem: Tudocelular

De acordo com o que foi revelado, o iPhone X de 64 GB de armazenamento interno deve chegar no Brasil custando absurdos R$ 7 mil, enquanto que a variante mais potente, com 256 GB de armazenamento interno, poderá ser comprado por módicos R$ 7,8 mil. Se não bastasse esses preços, os acessórios para o novo iPhone também foram revelados, onde uma capa de couro custa R$ 749.

Lembrando que esses preços são da loja oficial da Apple, que tradicionalmente é mais cara que as lojas comuns. A vista ele sai por R$ 6,3Mil, levando em conta a diferença de preços dos outros modelos entre a loja oficial e outros revendedores, no fim das contas achamos que o iPhone X mais simples deve ficar na casa dos R$ 5,5 Mil.

Se interessou? Vai ter que esperar pois aparentemente o estoque de pré-venda da Apple Brasil já se esgotou.

Leiam também:  Android vs iOS: Qual parte do mundo eles dominam?
materia completa
Apple, Noticias

iPhone 8 Plus por R$ 6.500 é novo rumor da internet brasileira

A Apple faz mistério, como sempre, mas as operadoras telefônicas já foram avisadas: o iPhone 8 Plus chega ao Brasil entre a…

A Apple faz mistério, como sempre, mas as operadoras telefônicas já foram avisadas: o iPhone 8 Plus chega ao Brasil entre a última semana de novembro e a primeira de dezembro. O modelo mais barato, o de 64 GB, vai custar R$ 6,5 mil. Isso mesmo que você leu: R$ 6.500. Esse é o palpite de Lauro Jardim, no jornal “O Globo”.

Sabemos que a Apple não é bem conhecida pelos preços praticados no Brasil. Seus iPhones também batem recorde quando lançados aqui, recorde de celulares mais caros do Brasil. Dessa vez não foi diferente. Segundo o colunista Lauro Jardim publicou no jornal O Globo, o “iPhone 8 mais barato custará R$ 6,5 mil no Brasil”. Mas calma lá: R$ 6.500 em um iPhone? Será mesmo?

Isso não quer dizer que realmente será esse o preço. Os palpites do colunista quanto ao preço de produtos da Apple nem sempre são acertados. Segundo uma análise minunciosa do pessoal do Tecnoblog, ele na verdade custama errar, e sempre para mais. Em 2010, o colunista disse que a primeira geração do iPad iria custar “entre R$ 1.800 (Wi-Fi) e R$ 2.900 (Wi-Fi mais 3G)”. No fim das contas chegaram por R$ 1.649 e R$ 2.599, respectivamente.

Já em 2011, uma previsão sobre o iPhone 4S dizia que ele iria custar a partir de R$ 2.100 nas operadoras. Na verdade, o preço começava em R$ 1.899.

Em 2015, chutou nada menos do que R$ 4 Mil no iPhone 6s. Esse ele acertou.

Mas existem outros palpites por ai mais, digámos, realistas. O conhecido blog MacMagazine, especialista em Apple, costuma acertar mais. Eles já publicaram uma tabela a respeito dos preços estimados dos novos iPhones, conforme podem ver abaixo:

Leiam também:  Novo iPod Nano: Agora com câmera de vídeo

Eu acredito que esses serão os preços. A partir de R$ 4.599 na versão mais básica do iPhone 8 (64 GB) até R$ 6.499 no iPhone X mais caro, o de 256 GB. Mesmo assim estão extremamente caros comparados com o preço praticado nos EUA, por exemplo.

materia completa