blackphone

A intenção da Geeksphone realmente é revolucionar o mercado de smartphones, há pouco tempo atrás o Revolution com seu SO em dual-boot foi uma grande novidade, e na MWC 2014 a empresa apresentou o Blackphone com um conceito um tanto diferenciado, zelando pela privacidade e segurança do usuário, a equipe de experts em privacidade (como a eles se intitulam) investiu pesado em pesquisa e desenvolvimento do produto.

O PrivatOS é uma versão customizada do Android, que traz diversos recuros como sistema de navegação anti-rastreamento, apagar dados do usuário remotamente sem necessidade de contas cadastradas e até Wifi que desabilita automaticamente em redes não confiáveis.

O aparelho vem com alguns aplicativos de criptografia pré instalados como o Silent Phone (para ligações Voip), Silent Text (mensagens) e Silent Contacts (agenda de contatos), Silent Keys (gerenciador de senhas) e o SpiderOak (serviço de armazenamento na nuvem), Blackphone Firewall, todos desenvolvidos pela Silent Circle, empresa parceira da Geeksphone.

O Blackphone já está sendo vendido para todo o mundo em seu site oficial por 629,00 dólares, e vem equipado com processador quad-core de 2 GHz, 2 GB de RAM, 16 GB de armazenamento interno, tela com resolução em HD de 4,7 polegadas, conectividade compatível com LTE (4G), HSPA+ (3G), Wi-Fi 802.11n, Bluetooth 4.0, câmera de 8 Megapixels na traseira e de 2 MP dianteira.

Algumas perguntas que não querem calar: você investiria quase 1500 reais num smartphone zelando pela sua “sensação de segurança”. Será que o Blackphone é fruto real de combate dos recentes fatos históricos de espionagem americana, ou talvez uma jogada de marketing se aproveitando da sensação de vulnerabilidade que os usuários de smartphones vem sentindo ? Compartilhe conosco nos comentários o que você pensa a respeito.

Sem comentários

Deixe uma resposta