moto z moto z play

Hoje em um evento em São Paulo a Lenovo lançou oficialmente no Brasil o Moto Z e o Moto Z Play. Custando a partir de R$ 2.199,00, eles trazem boas configurações e trás como grande novidade os módulos, ou Moto Snaps será que as novidades são realmente um diferencial? Saibam um pouco deles abaixo.

Moto Z

O top de linha atualmente da empresa, o Moto Z, ficará com esse titulo até a Lenovo também lançar o Moto Z Force. Ele trás configurações parrudas e o colocam em pé de igualdade com os concorrentes. Ele trás processador Snapdragon 820, 4 GB de RAM e armazenamento de 64 GB e conta também com entrada para cartão micro SD. A tela é de 5,5 polegadas com resolução quad HD.

Correndo atrás da concorrência, aka Galaxy S7 e LG G5, a câmera dele não decepciona e trás um sensor de 13 Megapixels e abertura de ƒ/1,8, a mesma do G5. Além disso trás estabilização óptica de imagem e auto-foco laser, enquanto a câmera frontal tem 5 megapixels com abertura ƒ/2,2. Lembrando que o Moto X Style já foi muito elogiado por sua câmera.

Uma característica que deu o que falar é sua espessura de apenas 5,2 mm. É muito fino. Em troca disso a Lenovo arrancou o conector de fone de ouvido, deixando o áudio a cargo da entrada USB C dele. Outro componente prejudicado por essa espessura é a bateria que trás apenas 2.600 mAh. Mas a Lenovo que não é besta, deu um “brinde” para os usuários brasileiros que é o Snap de bateria, com 2.220 mAh extra. Outro brinde é o Style Shell que se trata somente de uma capinha para o aparelho, mas que se aproveita do conetor do Snap para se fixar. A única real vantagem nele é que o aparelho fica mais grosso e some o enorme calombo da câmera traseira.

Obviamente que para justificar os brindes ele vem custando caro: R$ 3.199 na configuração básica — a que inclui os Snaps de bateria e capa. Tá no preço dos rivais quando lançados. Lembrando que todas as versões do S7 ainda vem com o Gear VR de graça e estão custando menos que isso. Isso por si só pode colocar em risco as vendas do Moto Z nesse preço.

Serão vendidos separadamente cinco Moto Snaps:

  • Capa traseira Style Shell: R$ 99;
  • Bateria OFFGrid PowerPack: R$ 399;
  • Alto-falante JBL SoundBoost: R$ 699;
  • Projetor InstaShare: R$ 1.499;
  • Câmera Hasselblad True Zoom: R$ 1.499.

Haverão alguns kits do Moto Z com outros Snaps, que me parecem bem mais interessantes que comprar os módulos avulsos. O kit com falantes da JBL sai por R$ 3.499 e o kit com o projetor ou com a câmera da Hasselblad saem por R$ 3.999 — todos os kits incluem a bateria e a capa do kit básico.

Assim, os falantes saem por R$ 300 e a câmera ou o projetor por R$ 800, na média metade do preço dos módulos vendidos separadamente.

Moto Z Play

Para quem não tá tão endinheirado, o Moto Z Play é a escolha mais lógica, já que se trata de um bom intermediário. Com uma configuração mais simples – que curiosamente é praticamente a mesma do capado LG G5SE o top de linha da LG – ele custa a partir de R$ 2.199,00 e é compatível com todos os snaps.

Além disso ele tem uma vantagem frente ao irmão mais caro: uma bateria bem melhor. Ela possui a ótima capacidade de 3.510 mAh e de quebra sobrou espaço para o conector de fone de ouvido e ainda não tem calombo na câmera. Mas mesmo assim continua muito fino: 7 mm. O Moto Z Play traz um Snapdragon 625 de 2,0 GHz; 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento.

No quesito câmera o preço faz diferença: Ela até tem uma resolução maior, com 16 megapixels, mas menor abertura com apenas ƒ/2,0 e ainda não possui estabilização ótica.

O Moto Z Play tem preço sugerido de R$ 2.199, com apenas uma Style Shell no kit básico. O kit com módulo de bateria sai por R$ 2.399, o com alto-falante por R$ 2.499 e o projetor ou a câmera saem por R$ 2.999

Sem comentários

Deixe uma resposta