Um dos principais motivos que fez o Android ser líder, como é hoje, é o fato dele rapidamente se espalhar por causa de aparelhos baratos – e de qualidade duvidosa – em mercados emergentes. Além disso, o sistema do Google pode ser usado por qualquer um, até mesmo em smartphones chineses que são vendidos a preço de banana. Exemplos disso são as agora gigantes Xiaomi e Micromax, que conseguem colocar no mercado smartphone super baratos mas com hardware de ponta. De olho nisso, a Microsoft quer popularizar ainda mais o Windows Phone e está interessada em novas políticas destinadas a conquistar esse tipo de fabricantes para produzir smartphones com o Windows Phone, além de tablets e até mesmo computadores com Windows. Paul Thurrott escreve que “a verdadeira estratégia da Microsoft para promover o Windows daqui para frente começa onde deve, com os fabricantes de hardware“. Ele se refere as empresas que abandonaram o Windows anteriormente para focar no open-source (que não é realmente livre) Android.

joe-belfiore-windows-phone-8-gdr3

Ele disse isso, pois é de conhecimento de todos que a Microsoft tem despejado altas taxas de licenciamento para todos os dispositivos Windows com menores que 9 polegadas, ou seja, todos os smartphones. Isso afugenta os fabricantes que preferem pagar pouco ou nada no Android. A nova estratégia é justamente trabalhar nessas taxas, baratear elas para chamar novamente os fabricantes de hardware de entradas. Assim será possível fabricar um smartphone Windows Phone barato.

Isso talvez pode dar certo, mas tem a questão mais importante de todas: Será que os consumidores querem comprar um Windows Phone? Richard Yu, chefe do grupo de negócios de consumo da Huawei, disse no mês passado que sua empresa não tem escolha a não ser ficar com Android simplesmente porque ele não viu nenhuma evidência de uma demanda de Windows Phone que justifique ele produzir smartphones com o sistema. Nós tentamos usar o sistema operacional Windows Phone,”  disse Yu ao The Wall Street Journal . Mas tem sido difícil convencer os consumidores a comprar um Windows phone. Ele não era rentável para nós.

O problema é que ao mesmo tempo que o Windows Phone se tornou um sistema operacional muito bom e que não deve nada aos outros, a Microsoft não tem dado às pessoas uma razão para usá-lo. Quando digo uma razão, me refiro há algum diferencial que faça o usuário mudar de plataforma. Esse negócio de que não trava, é mais rápido e estável, é justificativa de fã incondicional da marca. Atualmente o Android está super estável, o iOS – tirando o atual iOS8 – também está estável como sempre foi, ou seja, ainda falta um diferencial para o Windows Phone.

Isso não é um texto de fã de sistema, pois uso os 3. Considero atualmente o Windows Phone o mais promissor de todos, porém repito: falta um diferencial. Exemplificando: O Android tem o diferencial de ser altamente customizado além de ter aparelhos mais baratos. O iOS tem o diferencial de ter o hardware mais confiável e ter mais garantias de atualizações além do simples fato de levar o nome Apple já é um diferencial. Já o Windows Phone,  qual seria o seu diferencial que justificasse uma mudança?

Sem comentários

Deixe uma resposta