A Microsoft está estudando acabar com sua exigência que os fabricantes coloquem 3 botões físicos em seus aparelhos que rodam o Windows phone 8. Com isso ela pretende dar mais flexibilidade aos fabricantes para customizarem seus aparelhos. Assim, o Windows Phone usaria botões virtuais na tela como acontece no Android. Isso facilitaria também as OEMs adaptarem hardware prontos, originalmente feitos para rodar o Android, para rodarem o Windows Phone.

Microsoft, contudo, não se estabeleceu em uma decisão final ainda. Os novos botões virtuais ficariam na parte inferior da tela em uma faixa preta, bem parecido com o Android. Segundo o The Verge, a Microsoft supostamente já começou a testar a compatibilidade dos aplicativos existentes para os sistema com o novo padrão de botões.

b

Definitivamente isso faz mais sentido. Para quem não acompanha a história, recentemente surgiu um rumor onde dizia que a Microsoft iria acabar com o botão voltar em seus aparelhos (Nokia). Na realidade, o rumor fica sendo uma verdade, pois ele não vai acabar, vai simplesmente ser substituído por um virtual. A decisão, supostamente é para diminuir os custos envolvido com peças de hardware usadas na confecção dos botões. Com isso, poderia até haver uma redução de preço nos Nokias, afinal se compararmos um Nokia com qualquer Android com o mesmo hardware, o aparelho finlandês é bem mais caro.

Outro motivo para tal decisão, é que a Microsoft esteja fazendo de tudo para trazer a HTC para seu lado, como um parceiro chave além da Nokia. As vendas de smartphones da HTC rodando Android vem descendo ladeira abaixo, não tá nada fácil competir com a Samsung. Mas pode não ser fácil atrair a HTC, recentemente surgiu o rumor que a Amazon está sondando a HTC para finalmente fabricar seu “Kindle phone”, isso pode ser mais tentador para a taiwanesa.

Não é a primeira vez que a Microsoft cede, só para lembrar, uma das exigências iniciais era o botão dedicado para câmera, porém algum tempo atrás ela parou de exigir isso. Apesar que mesmo assim os fabricantes continuam a usá-lo.

Fonte: The Verge

Sem comentários

Deixe uma resposta