Real Time Analytics
Android, LG, Noticias, Reviews

Review LG G3, uma super tela em um corpo de plástico

A LG mais uma vez tenta mostrar que nem só de Samsung vive o Android. Correndo atrás dos concorrentes Galaxy S5 e do Xperia Z2, a LG, com um pouco de atraso, lançou o LG G3 e tenta repetir o sucesso do seu antecessor G2. Em um momento que o hardware está nivelado entre todos os fabricantes, a LG tenta inovar trazendo o primeiro smartphone com uma tela Quad HD, além de um visual diferenciado e uma câmera que não faz feio para a concorrência. Mas não são só essas as mudanças, há uma série de detalhes que veremos a seguir no nosso review do LG G3.

O que o G3 trás de diferente?

Como dito acima, a LG demorou um pouco em lançar um topo de linha esse ano, sendo que Samsung, Sony e HTC sairam na frente com o S5, o Z2 e o M8, respectivamente. Se de um lado ela perdeu mercado, por outro deu tempo da empresa trazer diferenciais em relação aos concorrentes. Podemos citar: bateria removível, slot para microSD, traseira metalizada – que é de plástico (what?!) – e uma nova interface que se aproxima do Android L. Mas sem sombras de dúvidas a maior novidade fica por conta da tela.

A super tela Quad HD do LG G3, é realmente extraodinária?

A tela do LG G3 tem 5.5 polegadas e resolução Quad HD de 1440 x 2560 pixels, isso dá a incrível densidade de pixels de 534 pixels por polegadas. A tecnologia empregada foi  a True HD-IPS, ela é muito boa, talvez a melhor atualmente.

review LG G3 - tela

Dentre várias novidades citadas acima, sem dúvidas que a maior e mais destacada é sua tela. De fato, não há outro smartphone atualmente com tamanha resolução de imagem. Segundo a empresa a ideia era colocar pixels para preencher o espaço entre as linhas, para fazer algo que separa o “espaço morto”. É difícil entender o que eles disseram, mas olhando a tela você percebe que há uma suavidade nas linhas que eu nunca antes havia visto. É impossível enxergar os pixels da tela, mesmo encostando a mesma nos olhos. Até com um lupa de aumento fica difícil ver eles. Vale dizer também, que embora o G3 tenha a tela mais cara utilizada, ele não é mais caro que os concorrente e isso sim é um ponto positivo.

review LG G3 - icones

Mas tem o outro lado da moeda. A tela é legal, porém não é algo extraordinário ou um divisor de águas na tecnologia. Na verdade, embora seja melhor que a concorrência, a sensação que ela passa não é tão diferente que qualquer tela full HD atual passa. Resumindo: A tela do LG G3 rompeu os limites da percepção dos olhos humanos, e em muito.

Ela apresenta o mesmo comportamento que a maioria das telas apresentam, como por exemplo, perder totalmente o brilho se olhada de lado. Parece coisa simples, mas isso mostra que a ainda é uma tela considerada normal.

A sensação que tive é que a tela Quad HD é simplesmente um avanço natural. A LG adiantou a tecnologia, mas não é algo que deva ser considerado um diferencial na hora de comprar se comparada com telas full HD, em 1 ano todos os topos de linha terão essa resolução. Eu esperava ver algo que realmente me surpreende-se, mas não foi dessa vez. Ainda espero uma tecnologia que comparada com a atual eu diga: é algo totalmente novo e revolucionário!

Design metálico que não é de metal. É de plástico.

Se a LG trouxe diferenciais frente a concorrência, em alguns aspectos fez o mais do mesmo. O corpo dele é de plástico ou para ser mais especifico de policarbonato, enquanto o HTC M8 é de metal e o Xperia Z2 é de vidro. O S5 e o Z2 ainda tem a vantagem de serem a prova d’água. Vale lembrar que isso vem causando uma confusão. A propaganda da empresa veiculada na TV aberta diz que ele tem “visual metalizado”. Ouvindo isso, muita gente acha que ele é feito de metal, mas não é. O visual metalizado se trata de uma textura no plástico que imita aço escovado.

review LG G3 - traseira
Parece metal, mas não é

O telefone tem um bom acabamento, mas ainda não oferece a mesma qualidade superior como o HTC One, iPhone ou Sony Xperia Z2. Porém, a LG consegue com isso unir o melhor dos dois mundos. Com sua imitação de metal escovado ele se parece com a concorrência e passa a sensação de premium, mas oferece o menor peso e os benefícios de conectividade adicionais que o policarbonato oferece. Por outro lado, ao colocar a mão nele, ele passa a mesma sensação de fragilidade que o Galaxy S5 trás.

No geral, o aparelho é extremamente bonito e muito bem construido. A imitação de aço escovado é perfeita, só dá para perceber que é de plástico colocando a mão mesmo, já que ele é muito leve. O encaixe é perfeito. Lembrando que ele tem tampa removível assim como a bateria. Eu ainda acho que a LG ainda continua fazendo os smartphones mais bonitos desde o Optimus G.

Leiam também:  Samsung oficializa Galaxy S4 Active, o S4 melhorado fisicamente

As bordas laterais da tela são muito finas. Segundo a LG é o smartphone com o melhor aproveitamento de espaço no mercado, titulo antes do antecessor G2. De fato, o aparelho é muito pequeno se levar em consideração o tamanho da tela. Além das bordas laterais extremamente finas, a inferior e superior também são pequenas e muito bem aproveitadas.Fico imaginando um smartphobe com o acabamento do Z2 e o aproveitamento de espaço do G3, seria algo incrível.

review LG G3 - bordas
Bordas super finas

A tampa traseira é encurvada em forma de concha, isso facilita a empunhadura do aparelho e evita que o mesmo se escorregue da mão.

review LG G3 - curva

Lembrando que ele não tem botões nas laterais, mais uma vez a LG traz o smartbutton, já usado na linha premium da marca. Porém, os 3 botões traseiros ficaram menores e com uma textura mais confortável. Ele ficaram  menos salientes e levemente chanfrados facilitando o aperto dos mesmo. Ao mesmo tempo não parecem frágeis.

review LG G3 - smart button

Só um detalhe: o plug de fone de ouvido fica na parte de baixo do aparelho, contrário ao tradicional atualmente que é ficar em cima.

Android atualizado e com interface renovada

O LG G3 trás a versão oficial mais nova do Android, o kitkat 4.4.2. Porém, a interface foi atualizada em relação ao G2 e trouxe algo mais próximo do Android L, um visual mais limpo. Olhando de relance parecer ser exatamente a mesma versão da skin usada no G2, mas não é.

review LG G3 - tela principalreview LG G3 - android kitkat

Foi-se o esqueumorfismo em favor de um design mais flat, ou mais plano. Os ícones foram redesenhados. As diferentes aplicações têm o seu próprio esquema de cores para facilitar o reconhecimento e a paleta de cores é mais tênues do que antes. Somando isso com a resolução Quad HD, realmente ficou muito bonita a nova interface.

É um sistema muito mais fluido que mostra que a LG tem evoluído, trazendo uma forma mais intuitiva de navegar através do telefone. Ela aproveitou elementos da concorrência. Enquanto traz cores mais suaves como o HTC Sense, os ícones são bem desenhados e planos assim como o do iOS 7.

Há ainda outras diferenças em relaçã a interface anterior. A mais destacada é a nova barra de notificações que perdeu as cores dos ícones e foi substitui por uma barra preta translúcida e por apenas contornos dos ícones em verde florescente.

review LG G3 - barra de notificações

Outra novidade é o gerenciador de tarefa que é parecido com o do falecido Maemo da Nokia. Onde thumbnails na mesma proporção da tela são distribuídos por toda a tela.

review LG G3 - gerenciador de arquivosreview LG G3 - menu

Os aplicativos nativos da LG também ganharam novas texturas sem sombras e com cores sem degrade ou algo parecido, mais uma vez com o design mais flat possível. Um exemplo é o gerenciador de arquivos.

Screenshot_2014-08-17-15-40-05 Screenshot_2014-08-17-15-41-32

Ele traz funções já comuns entre os fabricantes, como por exemplo, a possibilidade de abrir mais de um aplicativos ao mesmo tempo dividindo a tela.

Ele também tem emissor infravermelho, ou seja, dá para usar o LG G3 como controle remoto. O app de controle também foi remodelado e assim como o G2 há um extenso banco de dados de  marcas, até brasileiras como a operadora de TV a cabo GVT está presente. Ele também é capaz de aprender o código de qualquer controle remoto, basta apontar o controle para o celular que ele aprende o código que você apertar no controle de verdade. E por último você pode montar um controle remoto universal colocando todos os seus equipamentos na mesma interface.

Leiam também:  Vaza caixa do Galaxy S9 com suas especificações

review LG G3 - controle remotoreview LG G3 - controle remoto

Nova câmera com laser para focar

A câmera 13MP no LG G3 também é outro grande destaque, tanto em termos visuais graças ao novo software como a tecnologia adicional embarcada nela.

review LG G3 - camera

Vamos começar pela tecnologia, ou a principal novidade: o auto foco de laser, que é projetado para torná-lo o smartphone com foco mais rápido do mercado. Sinceramente eu dou um voto de confiança para a LG e acredito. Mas na prática, a não ser que você seja capaz de perceber a diferença de meio segundo e 100 milissegundos, a velocidade desse foco não faz tanta diferença assim. Mas não deixa de ser algo bonito de se falar: “Meu smartphone tem um laser para focar”.

Deixando a brincadeira de lado, a câmera é extremamente rápida na hora de focar. Até ai não é tão diferente da concorrência, até o momento de tirar uma foto no escuro. Câmeras de smartphones e lugares escuros é uma terrível combinação, pois nenhum deles conseguem focar no escuro. O G3, embora não seja perfeito, é bem mais rápido que a concorrência nessas condições, ele foca relativamente rápido graças ao laser.

O laser funciona enviando um sinal infra-vermelho cônico (a tecnologia veio dos aspiradores-robôs fabricados pela coreana) e absorve informações dos arredores para criar uma imagem instantânea e clara para a câmera. Isso significa que ele não tem que olhar para as mudanças de contraste como acontece com câmeras comuns, o resultado são imagens nítidas e aceitáveis mesmo no escuro.

review LG G3 - Foto tirada no escuro
Foto tirada no escuro

Uma mudança drástica aconteceu com o aplicativo da câmera: ele ficou extremamente simples, sinceramente até demais. Pois passa a sensação de smartphone básico sem funções. A LG abusou do modo automático ao extremo.

review LG G3 - camera app

Claro que isso é a minha opinião, que prefiro “fuçar” nas configurações para tirar fotos melhores. Mas em situações comuns, isso é bom, pois basta o usuário abrir a câmera e tocar no visor para tirar a foto, tudo muito rápido. Esse era o objetivo da LG.

Dentre as funções, uma que gostei bastante é o foco mágico. Com ele você tira uma foto normalmente, depois de tirada, o app abre a foto e pede para escolher onde você quer dar o foco principal: no objeto que está na frente ou no fundo. Escolhendo o local, ele desfoca totalmente o fundo ou o que estiver na frente. Tudo bem que é um resultado obtido facilmente e sem software em uma DSLR, mas como estamos falando de um celular, achei bem bacana. Abaixo uma foto usando esse artifício, notem que desfoquei totalmente o fundo da foto.

review LG G3 - foco mágico
Foco mágico, reparem como o fundo está bem desfocado.

A câmera frontal é de 2,1 MP e focada na única função que atualmente ela tem: tirar selfies. Basta fazer um gesto de tchau para ela com as mãos que a câmera é ativada, mas tira as fotos segundo depois para dar o tempo de você se ajeitar. É um recurso interessante. Além disso, assim como a Sony fez com a linha Xperia mais atual, ele automaticamente dá uma “fotoshopada” no auto retrato corrigindo imperfeições da pele, automaticamente.

Ele grava vídeos em 4K. No geral os vídeos são muito bons. Lembrando que a câmera possui uma abertura de f2.0, o que é suficiente para filmar em ambientes pouco iluminados sem perder a nitidez. Claro que não se trata de uma câmera profissional, mas é satisfatório os resultados.

Abaixo algumas fotos tiradas por ele.

Mesmo hardware da concorrência e versão inferior no Brasil

Na parte de hardware já tinha adiantado no texto acima que ele está no mesmo patamar da concorrência, mas isso somente no Brasil. Digo isso porque a LG lançou duas versões do G3, uma com 32 GB de armazenamento interno, 3GB de memória RAM e TV digital, já a outra com 16GB e 2 GB respectivamente e sem TV. Adivinha qual que é vendida no Brasil? A pior. E a versão top não será vendida no Brasil nem agora nem nunca. Sabendo disso, ele trás a lista de configurações abaixo:

  • Processador Quad-core Snapdragon 801 com clock de 2,5 GHz
  • 2GB de memória RAM
  • GPU Adreno 330
  • Conexão 4G
  • 16 GB de armazenamento interno
  • Entrada para cartão micro SD
  • Rádio FM
  • Suporte para carregadores sem fio
Leiam também:  LG lança o LG G Flex, seu smartphone curvado

Com essa configuração temos o que há de melhor. Reparem que deixei para falar por último do hardware justamente por achar que atualmente, entre os topos de linha, os diferenciais dos fabricantes são o que realmente interessa, já que com o hardware nivelado nem vale a pena perder tanto tempo falando nisso.

review LG G3 - antutureview LG G3 - antutu

Ele roda qualquer coisa que existe atualmente nas lojas de aplicativos, e vai ser assim por pelo menos os próximos 2 anos. No Antutu Benchmark, ele fez algo perto dos 32 mil pontos, ficando atrás somente do M8 da HTC e do Galaxy S5 da Samsung, mas por diferença irrelevante. Era para ser bem melhor, mas o hardware tem que lidar com uma tela com resolução altíssima exigindo assim mais deles.

review LG G3 - bateria

A bateria dele é de 3000 mAh, o que é um número bem alto. Mas na prática nada de anormal. Como a tela deve consumir bastante acaba equilibrando. Ele aguentou o normal de sempre: 1 dia de uso moderado. Quando digo moderado, me refiro a ficar com o 4G e WiFi ligados direto, ouvindo cerca de 3~4 horas de música, 1~2 horas de streaming no Netflix, algumas fotos e 4~5 ligações curtas durante o dia. Com esse uso a bateria durou até ao final do dia, sendo necessário usar o carregado antes de dormir.

Multimídia

A LG também deu uma repaginada no visual do player de música, ficando mais simples como todo o resto. Os botões são muito parecidos com os usados no iOS. Uma característica intrigante é que não dá para colocar efeitos de som em áudios de alta definição “para manter a qualidade do áudio”, vai entender.

review LG G3 - player review LG G3 - player

A LG já traz embutido no software melhorias como o Dolby Surrond. Quando conectado o fone de ouvido, o som se transforma. Ao que parece a LG colocou um amplificador separado para os fones de ouvidos, pois a qualidade é muito boa. Para ajudar, a LG como sempre faz com os topos de linha, colocou um fone de ouvido de excelente qualidade e intra auricular. A qualidade boa, principalmente dos graves, deve agradar até mesmo os entusiastas de música.

O som dos altos falantes são bons, mas inferiores ao Xperia Z2. Lembrando que há apenas uma caixa de som na traseira, diferente do Xperia Z2 que possui na frente e atrás. Mas no geral o som não distorce.

review LG G3 - alto falante

Na parte de vídeo, a LG mais uma vez tem uma extensa lista de codecs pré instalados, sendo que seu player de vídeo reproduz praticamente todos os formatos que testamos, até o matroska que é o mais utilizado para vídeos de alta definição.

Na parte de jogos, obviamente, se sai muito bem sendo capaz de que com maestria rodar qualquer jogo. Testamos jogos pesados como o Modern Combat 5 e ele rodou perfeitamente e iniciou bem rápido.

Vídeo Review

Para vocês terem uma noção do LG G3 em ação, assistam nosso vídeo review abaixo.

Prós e contras

Prós

  • Tela excelente
  • Desempenho de ponta
  • Preço abaixo da concorrência
  • Câmera com bom desempenho

Contra

  • Poderia ser a prova d’água
  • Faltou TV digital
  • Versão brasileira não é a topo de linha

Conclusão

Se você procura um topo de linha, sem dúvidas o LG G3 vale a pena de ser adquirido. Se comparado com os concorrentes ele sem dúvida sai na frente em vários aspectos, a começar pelo preço menor. Quando lançado ele foi anunciado oficialmente por R$ 2299, valor menor do que o praticado pela Sony no Xperia Z2 (R$ 2499) e Samsung com o Galaxy S5 (R$ 2599), porém atualmente já é possível comprá-lo por 1900 Reais e já apareceu por menos em promoções.

Também podemos citar a tela Quad HD e a câmera que se sai bem mesmo em ambientes com pouca iluminação. Porém ele peca em não ter proteção contra água e poeira como o S5 e o Z2 e também não ter TV digital como o Z2.

 

Comentários
    • Caio, já testamos o Z2 por aqui também. Eu, particularmente, não vejo necessidade para meu uso de ter proteção contra água e poeira e TV digital não faço questão. Esses são os únicos pontos a favor do Z2. No quesito câmera, ambos estão no praticamente no mesmo patamar, com leve vantagem para o Z2. O Hardware e desempenho são iguais. Na tela o G3 ganha. Colocando tudo na balança, dentro das minhas necessidades citadas acima. O G3 é melhor opção.

      Com base nisso, acho que dá para você ter uma ideia de qual é melhor para você, espero ter ajudado. Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Android, Samsung

Galaxy A8 deve custar R$ 2.400, o modelo mais barato

A Samsung enviou um convite a imprensa – embora tenha deixado o tekimobile de fora – essa semana sobre o…

A Samsung enviou um convite a imprensa – embora tenha deixado o tekimobile de fora – essa semana sobre o lançamento de um novo modelo da linha Galaxy, possivelmente será a chegada do Galaxy A8, novo intermediário premium da empresa. Mas o preço poderá assustar.

O evento acontecerá dia 6 de Fevereiro, mas ainda não se sabe exatamente quando ele começará a ser vendido, mas já podemos falar em preços. No Brasil, o Galaxy A8 vai custar R$ 2.399, enquanto sua versão maior, a A8+, sairá por R$ 2.699. Ambos aparecem em versões com 4 GB de memória RAM e 64 GB para armazenamento, além de suporte a dois chips ou uso do slot adicional para a instalação de cartões SD. São três opções de cores: preta, dourada e ametista.

Isso mesmo, ele vai chegar custando quase o preço do Galaxy S8, claramente a melhor opção. Quanto as diferenças do modelo comum do Plus está em dois aspectos. Enquanto o A8 chega ao Brasil com tela de 5,6 polegadas e bateria de 3.000 mAh, o A8+, como o nome já indica, é um pouco mais robusto, trazendo um display de 6 polegadas e célula de 3.500 mAh, garantindo um pouco mais de autonomia aos usuários.

Samsung Galaxy A8 e A8+ chegam ao Brasil em três opções de cores

No restante, a parte visual permanece com as mesmas características dos lançamentos internacionais. Apesar de serem classificados pela Samsung como parte de seu segmento intermediário, as configurações do A8 e A8+ herdam características de seus companheiros do topo de linha, como a tela com proporção 18,5:9 e resolução de 2960 x 1440 pixels. Ficou de fora, entretanto, a curvatura, que faz com que as imagens apareçam até as laterais do dispositivo.

Na parte de dentro está um processador Exynos octacore, com dois núcleos rodando a 2,2 GHz e os outros seis a 1,6 GHz. Outros recursos de celulares mais potentes também aparecem aqui, como a dupla de câmeras na parte da frente, com 16 MP e 8 MP, respectivamente, além de um sensor traseiro de 16 megapixels. Todas as câmeras contam com sistema de otimização para imagens noturnas, além de tecnologia de correção automática de pixels, que garante a melhor qualidade possível para as fotos e vídeos produzidos com o aparelho.

Leiam também:  Samsung oficializa Galaxy S4 Active, o S4 melhorado fisicamente

Além disso, como não poderia deixar de ser, teremos o suporte aos óculos de realidade virtual GearVR e também a possibilidade de recarga rápida da bateria, com o carregador apropriado. As vendas, como sempre, devem começar por meio da loja oficial da Samsung e varejistas parceiros.

A fabricante, entretanto, ainda não confirmou a chegada oficial dos modelos por aqui. Mas se você se interessou pelos Galaxy A8 e A8+, já pode ir separando suas economias, pois o lançamento está mais próximo do que nunca.

Via Canaltech

materia completa
Android, Motorola

Moto G6, X5 e Z3 Play: Confiram as fotos dos supostos aparelhos

Ontem vazaram vários renders da nova geração de smartphones da Motorola apareceram. São fotos do Moto G6, X5 e Z3 Play. Todos…

Ontem vazaram vários renders da nova geração de smartphones da Motorola apareceram. São fotos do Moto G6, X5 e Z3 Play. Todos com grandes e importantes mudanças. Também foram mostrados alguns novos Moto Mods. Vejam abaixo os detalhes.

Moto G6, Moto G6 e Mot G6 Play

Seguindo a tradição, será dois Moto G6 já conhecidos; Moto G6 e Moto G6 Plus. Porém a diferença é que nos renders aparecem um novo modelo chamado Moto G6 Play.

As diferenças entre o Moto G6 e o Moto G6 Plus se destacam pelo processador. Mas há mais mudanças entre eles. Seguindo o novo padrão de design trazido pelo Moto X4, os novos Moto G6 terão traseiras de vidro com o mesmo efeito 3D. Além da câmera salda com duas lentes.

O Moo G6 deve contar com um display de 5.7″ Full HD (com aspecto 18:9 e bordas reduzidas), sensor dual-cam na parte traseira (12 + 5MP), módulo de 16MP na frontal, e leitor de impressões digitais na parte frontal.

O processador provavelmente será um Snapdragon 430, e terá 3 ou 4GB de RAM com 32 ou 64GB de armazenamento interno. A bateria seria de 300 mAh segundo os rumores.

Já o Moto G6 Plus teríamos como principal diferença o processador. Nesse caso seria um Snapdragon 630. Além disso a tela seria maior com 5,93″, bem como a bateria, que seria de 3200 mAh.

Por último teríamos o novo Moto G6 Play. Esse teria as mudanças mais interessantes. Primeiro seria a mudança do leitor de impressões digitais, que ao invés de ser na frente como acontece tradicionalmente com a linha G, ele seria movido para a traseira. O que parece bem legal é que um pedido que os fãs da Motorola fazem há anos e usar um leitor de impressões digitais embutido no famoso circulo com o logo da empresa.

Leiam também:  Novo Google Nexus será da LG, um Optimus Nexus.

A bateria também seria maior com 4000 mAh.

Moto X5

O mais aguardado seria mesmo o Moto X5, sucessor do não tão aclamado Moto X4. Por mais que o Moto X4 não tenha feito tanto sucesso, pelo menos no Brasil, ele trouxe vida nova a linha Motorola com diferenciais como corpo em vidro e proteção contra água e poeira.

O Moto X5 manteria o design de vidro curvo e também a proteção contra água. Mas o mais interessante seria mesmo o seu formato sem bordas. Seguindo a moda de outras marcas. Notem que ele praticamente não possui bordas laterais e na parte de cima e de baixo são menores, lembra bastante o design do Galaxy S8.

Mas o mais “interessante” seria que na parte de cima o Moto X5 tem o famigerado entalhe, ou dente, que o iPhone X trouxe. Nele estaria acomodando a câmera frontal e possível sensores faciais para desbloqueio da tela. Pelo menos a solução da Motorola é colocar uma faixa preta por trás das notificações, disfarçando a existência do dente.

Conforme o banner, há um tal de “Moto Smar Ai”. Esse novo sistema de inteligência artificial deve ser o responsável por administrar o reconhecimento facial. Notem que não um leitor de impressões digitais no aparelho, mostrando que a Motorola deve estar apostando suas fichas no reconhecimento facial.

 

Há ainda uma espécie de barra de rolagem ou botão virtual abaixo do doc de aplicativos. Ele também pode estar ligado a inteligência artificial presente no aparelho.

Moto Z3 Play

Por último temos o Moto Z3 Play, que chegaria como o intermediário premium da Motorola e compatível com os Moto Snaps. Assim como o Moto X5, ele adota o padrão sem bordas, e parece que também usará reconhecimento facial como modo de desbloqueio, afinal não sinais de um leitor de impressões digitais. Uma segunda opção seria um leitor por debaixo da tela, já que a Vivo já apresentou a tecnologia na CES.

O Z3 Pay provavelmente teria um processador Snapdragon 660. Sua tela seria de 6 polegadas com aspecto 18:9 e resolução full HD+. Vale notar que mesmo aumentando a tela, o fato de reduzir as bordas laterais e superiores, além do novo aspecto 18:9, daria perfeitamente para manter o tamanho do Z2 Play e, consequentemente, a compatibilidade com os Moto Snaps atuais.

Leiam também:  Nokia 6 chega aos EUA. Brasil ainda espera o lançamento

Como de praxe, deve ter também uma versão mais potente do Moto Z3 play, talvez um Moto Z3 Force. Esse teria a mesma tela, porém com maior resolução e processador Snapdragon 845.

Moto Mod 5G

O Moto Z3 chegaria ao mercado trazendo consigo outro importante lançamento para a linha de Moto Mods; trata-se de um módulo capaz de conectar-se à redes 5g.

Levando em consideração a quantidade de vazamentos, é quase certo afirmar que conheceremos esses dispositivos (e talvez muito mais) durante a MWC 2018.

Fonte: Slashleaks, com informações do Tudocelular

materia completa
Android, Samsung

Galaxy S9 e S9+ chegam dia 26 de Fevereiro. Fonte é segura.

A Samsung ja havia confirmado que provavelment o Galaxy S9 e S9+ seriam lançados na MWC 2018 que acontece em Barcelona em…

A Samsung ja havia confirmado que provavelment o Galaxy S9 e S9+ seriam lançados na MWC 2018 que acontece em Barcelona em Fevereiro. De acordo com Evan Blass, famoso por vazar informações no Twitter, de fato os novos tops de linha da Samsung chegam mês que vem.

Leiam também: Review do Galaxy S8

De acordo com o Twitter de Evan Blass, o Galaxy S9 e Galaxy S9+ serão apresentados dia 26 de Fevereiro. Depois, a partir do dia 16 de Março, começará a distribuição global dos aparelhos. As pré-orders começarão antes, no dia primeiro de Março. Vale lembrar que no ano passado, em 2017, o Galaxy S8 atrasou um mês em relação aos anos anteriores.

A Samsung irá usar seu recém lançado chipset Exynos 9810 no Galaxy S9. Além disso, a versão americana, como sempre acontece, deverá vir com o Snapdragon 845. Não haverá alteração na relação de aspecto 18.5:9 do Infinity Display. Outra coisa que, para a felicidade de muitos, é que o conector P2 para fones de ouvido 3,5 mm continua firme e forte. Além disso é certeza que a Samsung finalmente vai abrir mão de colocar o sensor ao lado da câmera, será abaixo como em outros fabricantes. Abaixo uma foto com a suposta caixa do aparelho que vazou.

galaxy s9 caixa

A respeito das câmeras, o Galaxy S9 terá apenas um sensor. Já o Galaxy S9 Plus virá com um sensor duplo. O sensor principal será um de 12 MP como os anteriores. A novidade fica por conta da abertura que será variável entre f/1.5 e f/2.4.

Leiam também:  Google lista os 10 melhores aplicativos Android de 2012

galaxy s9 galaxy s9 plus

Isso é uma novidade já apresentada pela Samsung, assim diz o Ars Technica. A Samsung já fez um sensor semelhante em um aparelho chamado W2018. No que isso ajuda? Em condições de pouca iluminação, ele usa a abertura f/1,5 para capturar o máximo possível de luz; em cenas mais brilhantes, ele usa a abertura f/2,4 para uma profundidade de campo maior. Atualmente, com a abertura f/1,6 fixa, o Galaxy S8 costuma estourar na luz em ambientes muito iluminados, já que entra muita luz no sensor pois é bem aberto.

Como você pode ver no GIF abaixo, um conjunto de lâminas de abertura abre e fecha à medida que os níveis de luz mudam, semelhante a uma câmera DSLR:

Ao que parece, o Galaxy S9 Plus terá uma qualidade ainda melhor que o Galaxy Note 8, um dos melhores no mundo atualmente.

Com informações: Tecnoblog, Twitter

materia completa
Android, Motorola

Moto X4 depois do Android 8.0 Oreo? Como ficaram a câmera e o armazenamento?

Semana retrasada o Moto X4 ganhou uma esperada atualização para o Android 8.0 Oreo, mas será que melhorou? E sua…

Semana retrasada o Moto X4 ganhou uma esperada atualização para o Android 8.0 Oreo, mas será que melhorou? E sua câmera frontal e armazenamento interno, foram corrigidos os “problemas”? Saiba  no vídeo acima.

Vale notar que a câmera frontal do Moto X4 desde o começou recebeu criticas por conta do foco. Segundo a Motorola, o foco fixo da mesma é de 40 cm, ou seja, menos que isso o resultado não é bom. Porém, 40 cm é pouco, muita gente prefere selfies em uma distância menor do que isso. Sendo assim, a questão do foco não foi mexida, por outro lado, o que me pareceu é que a qualidade em si melhorou. Com a diminuição de ruídos nas fotos, a impressão é que o foco melhora. Ponto para a Motorola.

Já a questão do armazenamento houve sim melhoras. A Motorola conseguiu otimizar mais o sistema diminuindo o seu tamanho de 8 para 6 GB. Como o aparelho utiliza o Seemless update (detalhes aqui), que consiste em clonar a partição, o espaço usado diminuiu de 16 GB para 12 GB. Assim o aparelho ganhou 4 GB de espaço interno.

No geral o sistema ficou mais rápido e fluído. A bateria continuou com o mesmo desempenho, assim como também a câmera traseira.

Alguém tem um Moto X4? O que estão achando dele depois da atualização para o Android 8.0 Oreo?

Leiam também:  Novo Google Nexus será da LG, um Optimus Nexus.
materia completa