Real Time Analytics
Noticias

A verdade sobre a FNAC Duty Free e seu iPhone super barato

Antes de qualquer coisa, saibam que desde o começo eu já sabia que a notícia da Folha sobre a tal FNAC Duty free estava muito estranha, só estava esperando a bomba estourar para me pronunciar. Tudo começou quando a Folha de São Paulo postou uma notícia dizendo que a FNAC iria vender um iPhone ao preço dos EUA. Ela conseguiria isso pois, teoricamente, ela operaria uma loja franca no novo terminal 3 do aeroporto de Guarulhos, ela então teria isenção de impostos por parte do Governo, resumindo: seria uma loja Duty Free.

Porém, isso é meio difícil de acontecer por uma questão bem simples: atualmente somente uma empresa tem autorização para ser uma loja franca, sem impostos, no aeroporto de Guarulhos e no resto do Brasil: a Dufry. Essa autorização veio por licitação pública. Além da Dufry, a joalheria Amsterdã Sauer também tem autorização para comercializar seus produtos no aeroporto.

Como a FNAC entrou nessa? Tudo começou quando o presidente da Fnac, Jacques Brault, detalhou os planos para o aeroporto e anunciou que o espaço iria funcionar como loja franca. Porém ele esqueceu de falar apenas um detalhe: a receita federal ainda não tinha aceitado o pedido da FNAC para operar como loja franca. O pedido foi feito a 4 meses, e a FNAC contava que conseguiria a aprovação antes da inauguração da loja, o que não aconteceu. Não sei dos detalhes da negociação, mas sei que isso é muito difícil de acontecer.

Cade os iPhones baratos?

Como funciona a concessão?

A Dufry ganhou a licitação de operar no terminal 3 do aeroporto de Guarulhos no ano passado, vencendo outras duas gigantes sendo uma da Ásia e outra da Europa. A FNAC sequer concorreu. Teoricamente, não basta somente a FNAC pedir para a Receita, ela teria que ter uma licitação ganha para isso. O pior é saber que a própria empresa contava com isso, e um jornal como a Folha foi capaz de propagar isso sem averiguar os fatos, resultando em uma notícia replicada em todos os jornais e blogs do pais. 

A Dufry é a maior empresa Duty Free do mundo e tem um contrato de concessão que beneficia ambas as partes. É certo que uma “concorrente” como a FNAC não beneficiaria ninguém. Outra coisa, quem mais beneficiaria o governo: a FNAC, com uma loja pequena ou a Dufry que possui uma loja ao lado infinitamente maior? só para constar, a loja do terminal 3 da Dufry é a maior loja franca do mundo da empresa.

Como fica a situação da FNAC? Nessas condições fica difícil de dizer, afinal não faz sentido operar uma pequena loja que cobra impostos ao lado de uma gigante que não cobra impostos. Não tem como saber se a loja continuara aberta nessas condições.

Leiam também:  Primeiro Windows Phone 7 da Nokia chegará primeiro na Europa esse ano

Mas há o outro lado da moeda que deve ser analisado. É óbvio que uma empresa como a FNAC saberia de tudo isso, então a pergunta é como que eles chegaram a abrir uma loja sabendo que não podia operar? Sem dúvida ele devem ter um motivo muito forte para isso. Não podemos esquecer que estamos no Brasil, aqui sempre há um “jeitinho” para resolver. Não seria a primeira vez que dinheiro poderia se sobressair sobre uma licitação.

A Receita federal não comentou nada a respeito, se está ou não avaliando o pedido da FNAC, mas a mesma enfatizou a Folha que somente Dufry e Amsterdã tem concessão atualmente. De qualquer modo, ainda não ouve um “não” oficial por parte deles para a FNAC.

O que mais me deixa triste é saber como uma notícia dessa foi publicada pela Folha sem ao menos ir ao Aeroporto e verificar os fatos. Triste para imprensa nacional e para os outros que somente replicam noticias na internet.

 

Comentários
  • Caro amigo, a fnac também passou por licitação. Ninguém consegue espaço em aeroportos sem participar da mesma.

    Na licitação a infraero disponibiliza o espaço, não existindo licitação que conceda isenção fiscal.
    Isenções devem ser previstas em lei e fazem jus à esta quem atende os requisitos previstos na norma.

    A fnac deve ter submetido pedido a receita demonstrando se encaixar nos mesmos requisitos que a dufry para ter direito a isenção.

    Isso tudo,óbvio, é apenas uma dedução tendo por base as normas isentivas em casos como o presente.

    Se você se admirou com a folha publicando o que publicou, deveria ter tomado mais cuidado e solicitado uma consultoria jurídica na hora de.emitir sua opinião.

    Caso precise, para futuros artigos, estou a disposição.

      • Opa, como disse, tomei como base as normas gerais, pois não conheco e nem estudei a realidade específica para o caso.

        Independente de quem seja o órgão ou pessoa jurídica pública, os princípios e regras são os mesmos e segue a lógica que explicitei anteriormente. Seja infraero ou "nasa", hehehehheh

        • Concordo com tudo o que você disse. Mas os documentos das licitações ditas no texto são fáceis de encontrar. Porém, não existe nada a respeito de licitações por parte da FNAC, porque? te respondo: A GRU (administradora de Cumbica) não exige licitação para operar nela, o dinheiro fala mais alto, ela não tem obrigação por ser empresa particular, ela NÃO É UMA EMPRESA PÚBLICA, ou seja, o seu princípio dito acima não se aplica aqui.

          A Dufry ganhou das outras duas empresas, (dá uma pesquisada no google que vc acha), ela apresentou mais vantagens frente as outras, como por exemplo, experiência no Brasil e logística pronta, já que opera nos outros terminais de Guarulhos.

          Ou seja, a única licitação envolvida no caso de Cumbica seria a de operar como Free-shop, concessão dada pelo governo federal. E a FNAC não participou de nenhuma.

          • Agora.entendi amigo.

            Mas acredito que independente de licitação, se a fnac atender aos mesmos requisitos que dufry, pode pleitear a isencao.

            Opa, não.quis da carteirada, o intuito era só.informar.. Hehehehe

          • Então, desculpe pelo comentário acima. Mas de qualquer modo, nesse caso é sim exigida a licitação. Pois a Dufry teve problemas com isso no passado por não ter havido licitação há 30 anos atrás. Porém, desde 2012 é exigida a licitação por parte do governo, sendo que uma das lojas da empresa chegou a fechar no RJ por falta de licitação no ano passado, então em 2013 foi aberta licitação e a Dufry ganhou em RJ e depois em Guarulhos. A licitação é válida até 2016. Porém, como disse, duvido que não possa haver algo "no jeitinho" brasileiro por parte da FNAC e governo.

          • A legislação que regulamenta a abertura de Lojas Francas é a Instrução Normativa RFB nº 863, de 17 de julho de 2008. Nesta época só haviam lojas francas em aeroportos da Infraero, portanto a IN exigia a a realização de concorrência pública por parte do administrador do aeroporto, conforme artigo abaixo:
            Art. 2º A autorização para operar o regime depende de prévia habilitação pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) e será outorgada à empresa selecionada mediante concorrência pública, realizada pela entidade administradora do porto ou do aeroporto em que se pretende instalar a loja franca.

            A GRU passou a operar o aeroporto de Guarulhos em 2013, e desde então não há necessidade de concorrência pública neste aerorporto, assim como em Viracopos.
            Veja que no artigo 4° da IN é exigida a apresentação de contrato de uso da área franca. A Infraero, para assinar contratos de uso de espaço, era obrigado a realizar concorrência. Já GRU não tem obrigação alguma.

            Art. 4º A habilitação para operar o regime será solicitada pela empresa interessada, mediante requerimento à unidade da RFB responsável pela fiscalização de tributos sobre o comércio exterior com jurisdição sobre o local onde se pretende instalar a loja franca, acompanhado de:

            I – cópia do contrato de uso da área destinada à loja franca;

            II – ato constitutivo, estatuto ou contrato social em vigor, devidamente registrado, em se tratando de sociedade comercial e, no caso de sociedade por ações, os documentos que atestem o mandato de seus administradores;

            III – documentação técnica relativa ao sistema informatizado referido no inciso VII do art. 3º e indicação do nome e número do registro no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) do profissional responsável por sua manutenção.

        • O "genio", o Aeroporto de Guarulhos é administrado por uma empresa particular, a GRU. Obviamente que tem autorização para ter uma loja, pois paga a GRU por isso e deve ter ganhado concorrência de outras empresas para conseguir o local. O fato é que para operar como loja franca é necessário uma licitação do governo federal, e a GRU não tem poder sob isso. Ou seja, a FNAC não tem licitação para operar como loja franca, mas pode atuar normalmente como loja comum, assim como tantas outras.

          A propósito, ótimo texto. Embora alguns detalhes como esses que eu disse deveriam estar inclusos no texto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Apple, Noticias

Há 40% de chances da Apple comprar o Netflix e 30% a Disney

Existe uma probabilidade de 40% de que a Apple adquira a Netflix graças a reforma fiscal promovida pelo presidente Donald…

Existe uma probabilidade de 40% de que a Apple adquira a Netflix graças a reforma fiscal promovida pelo presidente Donald Trump foi aprovada. Quem afirmar são os analistas do Citi Jim Suva e Asiya Merchant.

O corte nos impostos, juntamente com o novo subsídio oferecido para que as empresas repatriem seu dinheiro aplicado fora dos EUA sem ter que pagar tributos altissímos, dará à Apple um montante de dinheiro nunca visto antes dentro dos EUA. Segundo a Bloomberg, a companhia tem cerca de 252 bilhões de dólares aplicados, mas boa parte dessa quantia está em territórios fora dos EUA e, até o momento, era impossível trazer esse dinheiro de volta para o país devido aos impostos aplicados. O montante, segundo os analistas, cresce 50 bilhões de dólares ao ano.

Para entender essa quantidade de dinheiro, basta saber que a Apple precisaria apenas de um terço desse dinheiro para comprar o Netflix.

“Historicamente, a Apple evitou repatriar dinheiro para os EUA para evitar a elevada tributação desses valores. Por isso, a reforma tributária pode permitir que a empresa coloque o dinheiro em uso”, dizem os analistas, no relatório.

Segundo Citi, a Apple mantém mais de 90% de seu dinheiro fora dos EUA, então a empresa poderia se beneficiar se fizesse uma repatriação única. “Com uma taxa de 10% sobre o dinheiro, a empresa teria 220 mil milhões de dólares para aplicar em aquisições”. Ai que entra o Netflix ou mesmo a Disney.

A Apple tinha de 20 à 30% de chance de adquirir a Disney, porém isso foi antes da aquisição pela Disney dos ativos de estúdio e TV da Fox. Ou seja, isso provavelmente não ocorrerá.

A Apple tem lutado há anos para oferecer uma oferta atraente para a TV. O iTunes tem sido um grande sucesso para a empresa, mas os telespectadores migraram cada vez mais para serviços como Netflix, Amazon ou Hulu para assistir seus programas e filmes favoritos. Comprar o Netflix seria algo importante para consolidar a empresa nesse ramo.

Leiam também:  Novo Blackberry 10 aparece em fotos vazadas

Via Business Insider

materia completa
Noticias

Chinesa VIVO irá lançar primeiro leitor de digitais na tela amanhã

Vários documentos já apontavam que a chinesa Vivo iria lançar o primeiro smartphone com leitor de digitais na tela. Ao…

Vários documentos já apontavam que a chinesa Vivo iria lançar o primeiro smartphone com leitor de digitais na tela. Ao que parece, isso vai acontecer amanhã na CES 2018. A empresa enviou um convite para a imprenssa mostrando claramente do que se trata.

A Vivo publicou uma imagem teaser com o slogan “Desbloquear o futuro” e prometeu desvendar o primeiro smartphone com um leitor de impressão digital na tela em 10 de janeiro. Interessante é que será mostrado, provavelmente, um smartphone pronto e não um protótipo.

Embora possa ser o primeiro, ele talvez não seja o único a ser lançado na CES. A empresa Synaptics também prometeu um telefone com leitor de impressões digitais na tela durante o evento. Só não se sabe se trata de um aparelho comercial, ou apenas um conceito.

Leiam também:  Netflix não vai repassar ISS para clientes em SP
materia completa
Noticias

Drone de brinquedo de US $ 99 possui tecnologia da Intel e DJI

A chinesa DJI, mais conhecida pelo Spark e Mavic Pro, decidiu fazer uma parceria com a Ryze Tech para criar…

A chinesa DJI, mais conhecida pelo Spark e Mavic Pro, decidiu fazer uma parceria com a Ryze Tech para criar um modelo de apenas US$ 99. O Tello tem foco no aprendizagem de programação e ainda conta com tecnologia Intel embarcada.

O Tello, feito pela startup chinesa Ryze Tech é um drone acessível com tecnologia da Intel e DJI que tem como foco ensinar programação para crianças e adultos. Custando US $ 99, o Tello é uma pequena máquina com uma câmera que pode capturar vídeo de 360 ​​graus e transmitir imagens ao vivo para um tablet ou um óculos VR, que não foi informado ainda qual.

Destina-se a um público jovem, e a Ryze promete recursos que o tornarão seguro e fácil de usar, incluindo decolagem e pouso automáticos. Ele diz que esses recursos são possíveis por causa de um chip de processamento grafico da Intel e estabilização de vôo da DJI, detentora de 70% do marketshare de drones no mundo.

O Tello é bem compacto, mede apenas pesa apenas 98×92,5×41 mm e pesa cerca de 80 gramas. Ele pode voar por até 13 minutos a uma velocidade de 28,8 km/h e uma distância de 100 metros, transmitindo imagens ao vivo em HD (720p). A câmera integrada tira fotos de 5 megapixels.

Há alguns recursos bacanas: você pode simplesmente jogar o Tello no ar para que ele comece a voar; deslizar o dedo na tela do aplicativo para fazer manobras aéreas; e gravar vídeos com trajetórias pré-definidas. Todo o controle é feito por meio de Bluetooth, seja por meio de um aplicativo no smartphone ou um controle dedicado.

O Tello pode ser usado por crianças, pois ele possui detector de colisão, proteção nas hélices e sistema contra falhas, permitindo pousar com segurança mesmo se a conexão for perdida. E, por meio do kit de desenvolvimento, é possível programá-lo com a linguagem Scratch.

Leiam também:  Review Motorola Milestone 2 com Froyo

Via The Verge

materia completa
Noticias

5 melhores smartphones para jogar atualmente

Os dias em que o celular era usado apenas para realizar chamadas e enviar mensagens SMS já se passaram. Segundo…

Os dias em que o celular era usado apenas para realizar chamadas e enviar mensagens SMS já se passaram. Segundo o provedor de inteligência de mercado NewZoo, em 2017, o setor de jogos de dispositivos móveis espera um aumento de 42% da renda global de mercado de jogos, acumulando mais de 120 bilhões de reais (BRL). Com cada vez mais jogos para dispositivos móveis, desde a indústria de cassino para dispositivos móveis se aproximando cada vez mais da jogabilidade portátil até simuladores de construção, como Fallout Shelter da Bethesda e muito mais, os desenvolvedores de telefone trabalharam muito para desenvolver a tecnologia para atender à crescente demanda de jogadores de portáteis, com alguns tendo mais sucesso que outros. Estamos aqui para conferir alguns dos melhores smartphones para jogar no mercado, com o nosso objetivo sendo encontrar para VOCÊ o melhor telefone para jogar em 2017.

Ao procurar smartphones para jogar para comprar, há vários fatores importantes que devem ser considerados. Dentre eles:

  • Um processador potente
  • Uma tela de tamanho razoável com resolução decente
  • Espaço de armazenamento e unidades de expansão
  • Vida útil da bateria
  • Alto-falantes e/ou entrada de áudio
  • O desempenho integrado que aprimora os aplicativos é sempre um ótimo bônus, apesar de não ser necessariamente um requisito, pois há diversos aplicativos no mercado de aplicativos móveis que realizam funções semelhantes

Agora que sabemos do que bons smartphones para jogar precisam, vejamos alguns dos dispositivos que fornecem as melhores experiências de jogo:

  1. HTC 10

htc 10 jogos
Créditos da imagem: HTC

Dentre nossa lista de melhores smartphones para jogar, quem fica na quinta posição é o HTC 10. O HTC 10 possui um processador Snapdragon 820 e uma CPU de quatro núcleos por trás de uma tela de 5,2 pol. de 1440x2560p, sendo uma das telas mais responsivas da HTC já lançadas. Para compensar o processamento superior, o HTC possui uma bateria de 3.000mAh com Carregamento Rápido 3.0, permitindo que os jogadores possam voltar à ação ainda mais rápido, carregando até 50% em apenas 30 minutos. Combine isto com o sistema de gerenciamento de aplicativos próprio da HTC, o Boost+, que permite que jogadores ajustem o dispositivo para oferecer ainda mais capacidade de jogabilidade e você terá um dispositivo excepcionalmente poderoso com quase a metade do preço das nossas duas melhores escolhas.

  1. Motorola Moto Z2 Play

moto z2 play melhor celular para jogos
Crédito da imagem: Motorola

 

Leiam também:  Cuidado! Você sabe como usar seu smartphone corretamente?

Equipado com um poderoso processador Qualcomm Snapdragon 625, tendo 8 núcleos e uma frequência de relógio máxima de 2,2 GHz, o Moto Z2 é certamente potente suficiente para executar aplicativos de jogos, apesar de não ser o único motivo de ter chegado nesta lista. Combine o Z2 com o Moto Gamepad, que se conecta a qualquer smartphone da família Moto Z, e você terá um console móvel completamente funcional no seu bolso. Com dois analógicos de controle, setas direcionais e quatro “botões de ação tática”, o módulo conecta-se diretamente ao dispositivo, significando que não haverá nenhuma lentidão de conexões sem fio. Potencializando este complemento, há uma bateria de 1.035 mAh independente (isto ultrapassa uma bateria de 3.000 mAh no próprio telefone). O Moto Z2 pode não ser tão poderoso quanto um iPhone 7 ou um Samsung S8, para jogadores com um determinado orçamento, é certamente uma escolha confiável.

  1. Sony Xperia Z5

xperia z5 celular jogos
Créditos da imagem: Sony

Mais uma opção entrando para o mercado de jogos bem-sucedido é o Xperia Z5 da Sony. Capaz de se conectar a outros dispositivos da Sony em sua casa, os jogadores podem transmitir jogos do PlayStation 4 direto para o celular e até mesmo jogar usando um controle Dualshock 4 conectado. No entanto, esta funcionalidade não deve diminuir o telefone em si. Com uma tela de 5,2 pol. com um processador Snapdragon 810, e 3GB de RAM, o Xperia Z5 não é inferior quando se trata de desempenho sob pressão. Lançado inicialmente em 2015, significa que, apesar de o dispositivo não ser tão poderoso quanto alguns telefones mais novos no mercado, você pode adquiri-lo com um preço inferior, ou seja, podendo gastar mais dinheiro em jogos propriamente ditos. 

  1. iPhone 7

iphone 7 celular jogos
Créditos da imagem: Appleapple

Quando o assunto são telas de ótima definição e processadores potentes, é difícil superar o iPhone da Apple e o iPhone 7 e 7S não são uma exceção. A tela de LCD Full HD de 1080x1920p demonstra sua potência com uma CPU A10 Fusion de quatro núcleos que, combinada com o iOS da Apple, oferece um desempenho extremamente impressionante na maioria dos aplicativos.

  1. Samsung Galaxy S8

galaxy s8 celular jogos
Créditos da imagem: Samsung

Apesar de todos os dispositivos nesta lista estarem equipados para enfrentar o desafio de oferecer desempenho para jogos decente, o novo S8 e S8 plus da Samsung leva os jogos de celular para patamar completamente novo. Com um processador Qualcomm Snapdragon 835 de oito núcleos, 4GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno, o Samsung S8 possui o primeiro processador de 10nm do mundo, que não só supera todos os rivais, mas com 20% de potência a menos. Combine esta potência de computação com uma GPU que a Samsung diz ser 50% mais capaz do que os modelos anteriores, significando que até mesmo os aplicativos com os gráficos mais intensos devem rodar suavemente. A capacidade de o dispositivo se conectar a dispositivos de armazenamento externo significa que o seu espaço nunca acabará e, a verdadeira cereja do bolo, com o Samsung DeX, é possível conectar o seu Galaxy S8 ou S8+ a um monitor, teclado e mouse para ter uma experiência completa de computador de mesa.

Leiam também:  Review do Nokia N8 com Symbian^3

materia completa