Parece que a Foxconn ganhou destaque no tekimobile hoje, depois de noticiarmos o trabalho semi-escravo de suas fábricas na China, agora vamos falar um pouco sobre a situação no Brasil. A empresa anunciou o fechamento de uma de suas fábricas em Manaus. Eles culpam o governo brasileiro por alterar o PPB (processo produtivo básico) que empresas brasileiras são obrigadas a seguir.

Funciona assim: para se enquadrar nos incentivos fiscais do governo, como por exemplo na fabricação de tablets, as empresas  precisam garantir que uma porcentagem minima de suas obras primas sejam produzidas por empresas brasileiras, o governo determina essa quantidade. Mas o governo vem diminuindo essa exigência aos poucos, abrindo assim competição para empresas estrangeiras. Foi o que causou o fechamento da fábrica da Foxconn.

[related_posts]A fábrica em questão fornecia peças de plástico exclusivamente para suprir a fábrica da Nokia, também em Manaus. Com a diminuição das exigências do governo, a Nokia simplesmente decidiu comprar peças de empresas da China e Índia, afinal a mão-de-obra semi-escrava deles acaba resultando em produtos mais baratos.

“A fábrica produzia peças para 16 itens dos aparelhos da Nokia. Após a alteração [do PPB], passou a ter dez itens e chega ao fim das atividades com seis, restando para o próximo ano apenas quatro itens”. Essa foi a declaração oficial da Foxconn. Eles também disseram que não foram avisados da mudança. Com o fechamento da fábrica, cerca de 280 funcionários, os últimos dos 900 que chegou a ter, foram demitidos.

O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Material Plástico de Manaus diz que a mudança atingiu a cadeia produtiva do setor. Neste ano, dos 12,5 mil empregados, 4.000 foram demitidos.

Existem dois lados da situação. Em primeiro lugar não culpo o governo por isso, afinal estamos em um mundo globalizado que a competição faz parte. Embora a Foxcoon tenha dito que não sabia das mudanças, fato improvável já isso era uma coisa premeditada há meses pelo governo, a empresa com certeza teve tempo para tentar baixar o preço de suas peças e competir com os importados. Porém, do outro lado, temos a sempre burocrática e difícil missão de produzir no Brasil. Por mais que a Foxconn do Brasil baixasse o preço, dificilmente conseguiria competir com os chineses e indianos.

Então olhando esses dois lados, o culpado é quem? o governo que não realiza de uma vez por todas a reforma tributária que tanto impede o país de, ao menos tentar, competir com outros países.

Via Gizmodo

1 Comentário

  1. Não poder competir com Índia ou China é ridículo..mesmo com a mao de obra deles mais barata a isençao os impostos da zona franca deveria compensar o custo maior da mao de obra.

Deixe uma resposta