desejo_vs_necessidade

Para um blogueiro que fala sobre celular, mais especificamente de smartphones, é inevitável nos tornarmos uma espécie de “guru mobile”. Uma coisa eu posso afirmar: as vezes é muito chato. Imagine que vocês estejam em um local ou ocasião importante que não envolva tecnologia: talvez uma festa, em uma igreja, ou outro local e de repente um amigo seu – que nem é tão amigo assim – lhe pergunta: meu celular (Android) fica pedindo senha para o um negócio estranho, um tal de Gmail, tem como tirar isso dele? Acreditem, isso realmente aconteceu comigo. Estão achando bizarro? esperem para saber o celular dele: um Galaxy S II. É difícil acreditar que alguém que compra um celular desse porte não sabe o que o Gmail ou Android e ainda menos um aplicativo. Deu muita vontade de perguntar o que raios levou ele a pagar 2000 Reais em um celular desses, mas fiquei quieto e deixei para lá. Sabe o que eu fiz? anotei uma ideia de post (Um viva para o Evernote \o/). Ontem algo parecido aconteceu novamente, outra pessoa que também tem um Galaxy S II me perguntou como colocava uma música para usar como toque, e dai expliquei certinho para ele (sem o celular em mãos) e ele me responde: “deixa para lá que é muito difícil, esse negócio de mexer em configurações é coisa de Nerd”. São histórias simples mas que me levam a fazer a pergunta usada no titulo do post.

Tudo bem que os casos acima são extremos, mas eu mesmo já cheguei a me perguntar se um smartphone era algo realmente útil. Isso se intensificou no mês passado quando, acreditem, sobrevivi perfeitamente usando um Nokia Asha, um legitimo dumbphone. Não estou dizendo que não vou mais ter um smartphone, pelo contrário, atualmente uso 3 – um meu e dois de empresas –  não que seja indispensável mas sim porque gosto de smartphones e obviamente preciso para testar aplicativos e também uso no trabalho não bloguistico. Mas tirando isso, existem muitos fatores que irei analisar abaixo que acredito que muitos poderão chegar a conclusão que um smartphone é um item dispensável no dia a dia.

desejo_vs_necessidade

Afinal, para que raios serve um smartphone?

Como a própria palavra diz, se trata de um celular esperto. Tecnicamente podemos considerar um smartphone mais um computador do que um celular, afinal existem dezenas de smartphones com mais processamento e memória do que o desktop da empresa onde trabalho. Um computador serve para trabalharmos, consultarmos a internet, se comunicarmos, jogarmos e outras coisas derivadas disso (não necessariamente nessa ordem). Sendo um smartphone um computador, o uso é praticamente o mesmo tirando a parte de usar como celular (falar) que para muitos – como eu – é o menos importante.  Seguindo essa linha de raciocínio, considere esse trecho de conversa que já ouvi ou li em algum lugar desse planeta:

Trabalho entre 8 e 10 horas por dia sentado na frente de um computador e com um telefone na mesa, então para que vai servir um smartphone? 

– Mas e durante a noite fulano?

Cara, não sei você, mas eu tenho vida off-line.

Sei que o texto acima é bem exagerado, mas eu ouvi essa conversa. Hoje na era das redes sociais é raro alguém que mesmo em casa não navegue ao menos alguns minutos na internet depois do trabalho. Mas comprar um smartphone para utilizar em casa e durante a noite acho sinceramente um desperdício de dinheiro e um consumismo absurdo. O que você vai fazer com um smartphone a noite em casa? jogar? – prefiro um vídeo game – redes sociais? – prefiro um computador – filmes e séries? – prefiro a TV ou PC. Se você se encaixa nas situações acima e ainda assim tem, ou pretende ter um smartphone top de linha, sério, ou você tem dinheiro sobrando (ai é outro caso) ou você está dominado pelo consumismo.

Mas então quem precisa de um smartphone?

Agora existe o outro lado da moeda, aqueles que realmente precisam de um smartphone e todas as suas funcionalidades. Existem pessoas que embora até trabalhem com um computador, dependem do celular para se comunicar com clientes, fornecedores e etc.

Também existem aqueles que trabalham em trânsito e necessitam acessar e-mails, agendas e a internet o tempo todo. Esses ainda são o principal público das empresas, geralmente são eles que contratam planos pós-pagos com preços mais elevados e cheio de “vantagens”.
Mas na era da mobilidade, existe um grupo que hoje domina entre os usuários de smartphones: os geeks. Ou em um português mais claro: entusiastas de tecnologia e de aplicativos. Embora grande parte dos aplicativos  hoje são indispensáveis, aqueles que gostam – e tenham paciência – de garimparem é possível achar diversos aplicativos que podem ser extremamente úteis na vida cotidiana. Outro característica interessante é a possibilidade de instalar jogos, que dependendo da capacidade do seu aparelho, possuem gráficos extremamente bem trabalhados e podem acabar com horas do seu dia com certeza.

Para vocês terem uma ideia de aplicativo útil, ontem encontrei um app muito legal chamado “Smart Tools” para o Android. Ele é um “canivete suiço” que traz diversas ferramentas como: trena eletrônica, esquadro, transferidor, bússola, detector de metais, lanterna, Decibelímetro e vibrômetro. Todos eles fazem uso dos sensores que a maioria dos smartphone mais potentes possuem. São ferramentas que podem quebrar o galho em muitas ocasiões.

Enfim, antes de comprar um smartphone, pense bem no porque quer fazer isso. Abaixo umas perguntas que podem te ajudar:

  1. Eu uso um celular apenas para ligações ou para fazer outras coisas?
  2. Se uso para fazer outras coisas, o que seria: apenas internet ou mais?
  3. Você gosta de ficar usando aplicativos para cumprir atividades que você já faz atualmente sem precisar deles? Gosta de jogar em pequenas telas?
Se depois dessas perguntas você acha que precisa de um smartphone, pergunte-se: tudo isso justifica o investimento ou poderia usar o dinheiro para algo que eu sei que realmente seria útil? Essa é a principal pergunta com certeza, afinal se você não tem uma árvore de dinheiro no seu quintal, tá na hora de começar a valorizar seu dinheiro.
Para finalizar, gostaria de uma pesquisa rápida com vocês leitores, respondam a enquete abaixo.
[poll id=”6″]

13 Comentários

  1. utilizon um smartphone midle end unica e exclusivamente para trabalho….fico em transito 90 a 100% do dia…acesso e respondo e- mails e a noite acesso blogs de tecnologia….utilizo muito pouco o meu lap top…tablet nao vejo utilidade para mim.

    • So para complementar utilizo bastante o GPS (de preferencia off line) , camara muito pouco , jogar no celular …não curto, musica….. ate que de vez em qdo. o utilizo para este fim. MUITO BOM este post!!

  2. Eu so comentei duas vezes com essa no seu blog a outra foi na promoção mais com esse seu post aqui eu precisava comentar… Primeiro serio que o kra disse que trocar o toque do telefone era coisa de nerd… Ai também é demais ele merece um nokia "indestrutível"
    Eu sinceramente quando li até mim questionei também se precisava de um smartphone(atualmente infelizmente to com motoenrola atrix) mais minhas "necessidades nerds" falam mais alto e eu sou do grupo que procuram nas esquinas do google paly por novos apps que tirem ao máximo do meu smart.
    O resto infelizmente (para as pessoas que compram sem ter idéia do que estão levando, já ouvi pessoas dizendo que queria o iPhone porque ele tinha câmera frontal) é puro capitalismo e cosumismo desenfreado
    Parabéns pelo blog suas opiniões são muito bem formadas e concretas continue sempre assim.

  3. Acredito que também tenha aquele caso que o cliente leigo chega na loja e pergunta:
    -Qual aparelho é "o mais bom"? (procurando um aparelho que não vá quebrar sosinho e dure anos)

    Aí o vendedor recomenda os melhores na opinião dele ( os TOPS claro,como SII ou iphone4s).

    Pronto,temos uma pessoa que mal sabe mudar o toque do smartphone com um aparelho de 2000 porque todo mundo falou que "esse é baum".

      • Cara nesse caso ai o cara foi meio idiota. Se não tem vontade de ter um aparelho que tenha que configurar mais de dez coisas compre um dumbphone.
        Ele se deixou levar pela história do vendedor.
        Isso aconteceu mais ou menos com minha mãe semana passada. Ela comprou um Nokia 710 com Windows Phone. Logo após a compra ele me ligou toda contente dizendo que tinha comprado um celular de "dedinho" igual ao meu. Hehehe
        Quando peguei o celular, mexi um pouco para entender como o Windows funcionava, configurações e umas coisas a mais.
        Para começar ela já tinha gasto 5 mb de dados e nem tinha o pacote – deve gastar uma graninha ai. Configurei o Windows Live (básico como a conta Google no Android). Baixei uns dois joguinhos e fui mostrar a minha a mamãe. Como eu já esperava ela achou tudo muito complicado. Não que ela não quisesse usar, só queria que fosse tudo muito simples. Infelizmente ainda não tem como ser simples como falar pro celular e ele entender tudo que você quer, cada mínimo detalhe. No futuro isso acontecerá.
        Eu acho simples, mas ela simplesmente não estava a fim de tanta informação.
        Bom com certeza ficará para eu fazer as confugarações quando ela precisar. E ela diz: "Tive filho para isso mesmo."
        Hahahaha
        E eu gosto de ajudá-la. Me deixa feliz e tenho certeza que ela também fica feliz comigo a ajudando.

  4. Dentro do meu limite de valor estipulado para a compra de um smartphone (R$ 1.000,00), eu posso dizer que meu N8 é necesssário, mas não é indispensável, por me auxiliar da seguinte forma:
    – Durante o percurso serviço-casa-serviço: redes sociais e músicas;
    – Uso diário (qualquel aparelho): cerca de 5 a 6 ligações;
    – Agenda de compromisso pessoal, social e de trabalho: (somente para Smartphones);
    – GPS usado 2 ou 3 vezes por semana: (somente para Smartphones);
    – Perfil personalizado automatizado: silencioso, reunião, modo avião (somente para Smartphone);
    – Câmera fotográfica ótima (não é excelente): (somente para Smartphones);
    TV Digital, HDMI e ser usado como modem: (somente para Smartphones);
    Calculadora normal, científica e HP12C: (somente para Smartphones);
    utilização de 90% das funções do aparelho apenas por voz (pensando nas pessoas com alguma deficiência): somente Smartphone.

    Das opções citadas acima, uso todas constantemente, exceto a última, que foi apenas para deixar registrado.

  5. Essa pesquisa aqui feita reflete o que pensa a maioria dos Usuários de smartphones
    Eu mesmo uso o meu mais para diversão, mas se não tivesse todos os recursos dele conseguiria viver sim.
    O problema é que quando se acostuma a ver seu e-mail em qualquer lugar e mensagens no facebook é ruim de desacostumar rs

  6. Ja tive que ensinar cerca de 5 amigos a usar a play store. Nao intendo essas pessoas que compram as coisas sem ao menos ter a vontade de aprender a usar seus "brinquedos"( e o unico termo que se adequá ao uso que eles fazem). Infelizmente os smartphone viraram sinal de status. A , eu uso o meu para trabalho em geral, como tenho que ficar conectado praticamente o dia todo, prefiro usar um smart do que sair pela rua com um tablet na mao

  7. Parabéns pelo post, ninguém precisa concordar comigo, mas finalmente encontrei a fórmula, depois de gastar o dinheiro q não tinha. Um IPad 3 3G + um celular dualchip, nem micro ou notebook tenho. Me atende perfeitamente. Quando tinha iPhone não fazia ligações pouco recebia, só acessível internet. Pronto resolvido uso wifi de casa ou a do trabalho , na rua uso internet pré paga.

  8. Muito bom o post!! Bem! Eu uso muito pra acessar a internet onde estiver, gosto sempre de olhar o Twitter pra ver as notícias, dicionário, facebook…?! eu não sentiria a mínima falta. Mas gosto muito de ouvir música, jogos, ter uma câmera em mãos. Outra grande utilidade pra mim é o fato de poder levar meus cursos em vídeo pra todo lugar, sempre que tenho um tempinho livre paro e assisto por uns instantes. E além do mais, se eu vou ter que carregar um celular comigo que ela seja o mais completo possível. Por mais que eu não use frequentemente…nunca se sabe quando vai precisar!!

  9. Meu caso é um pouco diferente, sou estudante, passo o dia e a noite na faculdade e posso dizer, quebra uma galhão pra mim, tanto pra pesquis de materiais, como também eu conversar com os meus amigos pela Internet porque estou praticamente o dia todo na faculdade.

Deixe uma resposta